Home / Curiosidades / Tubarão-mako ou Anequim é Perigoso? Ele Ataca Humanos?

Tubarão-mako ou Anequim é Perigoso? Ele Ataca Humanos?

Por causa do filme “Tubarão” de Steven Spielberg grande parte das pessoas criou uma relação de medo não só com o tubarão-branco, mas com basicamente toda espécie desse animal. Bom, isso é bom e ruim. O lado ruim é que isso não deve ser aplicado em todos os peixes, como é o caso do baleia, por exemplo. Apesar de ser o maior da família, é um indivíduo super tranquilo e nem é um predador. O lado bom é que realmente alguns bichos são perigosos e devemos manter distância, se possível. Como é o caso do tubarão-mako. 

Para se ter ideia, ele é o 5° cação mais perigoso para o homem, e isso está diretamente relacionado a sua habilidade de locomoção. Ele é muito ágil dentro da água. 

Na verdade, ele é o exemplar mais rápido das espécimes. Ele consegue alcançar os 88 km/h quando está na nadando. Entre os peixes, ocupa o segundo lugar de indivíduo mais ágil, perdendo apenas para o atum. 

E, sim, existem casos onde o animal atacou seres humanos, como no caso do pescador do Rio Grande do Sul que foi mordido em 2016 por este indivíduo e morreu devido ao ferimento. Sendo assim, é preferível manter distância dessa espécie. 

Tubarão-mako
Tubarão-mako 

Sobre o tubarão-anequim 

Encontrado em mares tropicais e temperados, o tubarão-anequim é capaz de manter sua temperatura maior que a do seu ambiente, o que é uma mão na roda já que ele pode habitar locais com 16 graus. 

Ele pode ser encontrado no sul do Brasil e nas ilhas do Hawaii. 

Existem duas espécies do mako, e é possível identificá-los porque um tem barbatanas curtas e o outros, longas. O primeiro foi amplamente estudado pela ciência, já o segundo pouco se sabe sobre ele. 

Chega aos 2,4 metros de comprimento, com alguns exemplares crescendo até os 4 metros. Pesa 500 quilos. 

Ele tem um corpo que varia do azul ao cinza. Sua barriga é branca e detém um corpo fino, o que faz ele ser bem rápido ao se locomover. No bicho de nadadeiras longas, essa região costuma ser mais escura que o resto do torso. 

Costuma ser adorado entre os pescadores porque é um bicho muito resistente na hora de ser fisgado. Ele também costuma ser pescado para recreação, o que acaba diminuindo um pouco o número desses indivíduos na natureza. 

Apesar dos ataques, ele não é muito visto perto da costa, e especialistas acreditam que ele é uma criatura de altas profundidades, ou seja, não dá muito as caras para seres humanos, mas pode ser um perigoso se esse contato for constante. 

Tem uma ampla distribuição pois se encontra em quase todos os oceanos do planeta. 

Alimentação

A criatura tem uma dieta variedade, mas ele gosta de consumir peixes, principalmente aqueles que normalmente não são comidos por outros tubarões, como o espadarte.

Alguns pesquisadores apontam que a criatura também se alimenta de mamíferos marinhos, mas seria uma ocasião rara, principalmente para as espécies menores. Entre os grandes, seria possível graças ao tamanho dos seus dentes, que crescem junto com seu corpo. 

Reprodução 

O tubarão-anequim é do tipo ovovivíparo. A fêmea pode dar luz a uma ninhada de 5 a 10 crias. Os filhotes podem comer uns aos outros quando estão no útero da mãe. 

19 Curiosidades 

  1. O bicho gosta de águas quentes, por isso acredita-se que ele migra para ficar nas correntes com essa temperatura. 
  2. Como dito, é comum o anequim comer os mais fracos dentro do útero da mãe. 
  3. O animal é famoso por dar grandes saltos, muitas vezes pulando para dentro do barco dos pescadores e ferindo-os. 
  4. É bem agressivo. 
  5. Por ser rápido, o bicho recebeu o apelido de falcão peregrino do mar. 
  6. Seus dentes são visíveis mesmo quando está com a boca fechada
  7.  Tem uma aparência cruel, por isso causa tanto medo. 
  8. O tubarão-mako de barbatana curta é responsável por todos os ataques a seres humanos dentro da sua espécie.
  9. Como não tem predador natural, ele é o responsável por controlar a população excessiva das suas presas. 
  10. O anequim está em risco de extinção e seus status na lista da IUCN é de vulnerável. 
  11. Em Portugal é chamado de tubarão-sardo. Em Galiza, marraxo. 
  12. Para se ter ideia, o tubarão-mako chega aos 88 km/h – em curta distância -, enquanto o atum, o peixe mais rápido do mundo, alcança 120 km/h. 
  13. Ele faz parte da família Lamnidae.
  14. Tem um crescimento acelerado se comparado a outros tubarões. 
  15. As fêmeas são maiores que os machos. 
  16. A maioria dos ataques acontecem quando o bicho é fisgado por linhas de pesca. Quando o pescador vai tirá-lo da rede, o tubarão ataca. 
  17. Existem apenas 9 ataques de curto alcance registrado, entre 1580 a 2017. 
  18. De todas as espécies, o mako é o bicho com o maior cérebro. Devido essa descoberta, uma pesquisa foi feita e os cientistas descobriram que ele aprende coisas muito rapidamente. 
  19. A carne do anequim é muito valorizada na Ásia. 

Os peixes mais rápidos do mundos

Como dito, o mako está na lista de animais mais rápidos do mundo. Vamos conhecer os outros? 

Marlim-preto 

O primeiro colocado dessa lista é o Marlim-preto. Devido a isso, ele é muito famoso entre os praticantes de pesca esportiva. Ele chega aos 129 km/h e é encontrado próximo a ilhas do Pacífico e na costa da Austrália. 

Peixe-vela

O peixe-vela nada a 110 km/h. Além de ser ágil, uma de suas características mais marcantes é sua barbatana dorsal que se sobressai acima do nível da água enquanto ele nada, parecendo uma vela. Ele encontra-se nos oceanos Pacífico e Índico. 

Marlim-listrado 

Outro muito apreciado na pesca esportiva, o marlim-listrado vive em regiões de águas tropicais e temperadas dos oceanos Índico e Pacífico. Ao nadar, alcança os 80 km/h. Em 1982 uma espécie com 190 quilos foi pescada. 

Cavala-wahoo

Muito próximo do tubarão-mako, a cavala-wahoo chega aos 78 km/h. Ele é encontrado em todo o mundo, principalmente em mares tropicais e subtropicais. Sua carne é bastante apreciada. 

Costuma nadar sozinho ou em grupo de no máximo 3 peixes. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *