Home / Curiosidades / Que Tipos De Fósseis Já Foram Encontrados No Brasil?

Que Tipos De Fósseis Já Foram Encontrados No Brasil?

Você sabia que o Brasil já deu inúmeras contribuições para o estudo fóssil? Pois é, apesar de não ser algo muito divulgado, nosso país já foi à terra de boas descobertas que contribuíram significativamente para o estabelecimento do comportamento, porte, características alimentares e sociais de diferentes animais que já habitaram o planeta na área que corresponde ao nosso país. Mas antes de prosseguirmos…

Os Tipos De Fósseis

Antes de prosseguirmos e determinarmos o que já foi encontrado em nosso país é preciso destacarmos uma informação muito importante. Só existe dois tipos diferentes de fósseis que podem ser descobertos. Fósseis de resto e fósseis de vestígio, sendo a Paleontologia a disciplina responsável pelo seu estudo.

Os fósseis nada mais são do que restos de seres vivos que atestam direta ou indiretamente a sua existência.  São restos biológicos preservados nos mais diversos materiais, mais comumente rochas, mas também podem ser preservados em resina, gelo e piche. Os fósseis são contribuições importantes para determinar dentre outras coisas a evolução biológica das espécies e igualmente do planeta.

Apesar dos diferentes materiais onde os restos biológicos podem ser conservados, os tipos de fósseis são classificados como apenas dois. Podem ser fósseis de resto ou fósseis de vestígio.

Fósseis no Brasil
Fósseis no Brasil

Os fósseis de resto podem ser o tronco, dentes, ossos em geral, carapaças e correlatos. Os fósseis de resto são evidências diretas da existência de determinada espécie. Os fósseis de vestígio são provas da atividade biológica do animal e são considerados indícios indiretos de sua existência. Os fósseis de vestígio podem ser secreções urinárias, excrementos, marcas de mordidas e correlatos. Apesar de ser restos biológicos mais difíceis de serem preservados, não raramente são encontrados, mas ainda assim, fósseis de resto são mais comuns. Ao que tudo indica isso é algo natural uma vez que o que compõe os fósseis de resto são mais resistentes.

Bom, agora que já conversamos um pouco sobre os tipos de fósseis vamos manter o foco em nosso país. Aqui não denotaremos especialmente o tipo de fóssil, porque como comentamos anteriormente há apenas dois tipos e não acreditamos que isso seja enriquecedor para o debate visto que no Brasil já foram encontrados ambos os tipos. Traremos aqui as espécies que tiveram fósseis encontrados em nosso país. Vem com a gente?

Vamos Entender O Cenário Brasileiro

O número de profissionais envolvidos com o estudo fóssil apesar de estar gradativamente crescendo no Brasil ainda é baixo e o investimento em pesquisa também não é dos melhores em nosso país. Apesar de o Brasil e dos pesquisadores brasileiros estarem ganhando cada vez mais o respeito da classe de estudiosos mundo a fora ainda temos muito o que investir neste segmento. Mesmo com todas as adversidades, por assim dizer, o país tem contribuído significativamente com descobertas realmente valiosas no que diz respeito a Paleontologia e o estudo fóssil dos dinossauros. Pesquisadores e paleontólogos acreditam que o número de espécies aqui encontradas corresponde a uma variedade muito maior do que a já descoberta. Ao todo foram encontradas catorze espécies diferentes em terras brasileiras.

Ainda de acordo com estes profissionais, os dinossauros brasileiros viveram entre o período Triássico até o início do período Cretáceo. De acordo com estes estudiosos durante o período Jurássico alguma coisa ainda não muito esclarecida teria feito com que os animais se dispersassem e retornassem apenas algum tempo depois.

Descobertas Brasileiras

O primeiro registro fóssil brasileiro foi encontrado em mil oitocentos e noventa e sete e se tratava de pegadas fossilizadas. Apesar de ter sido encontradas em noventa e sete somente veio a ser analisada em mil novecentos e vinte por geólogos que descobriram que o registro se tratava de uma espécie diferente.

No meio do caminho, em mil novecentos e dois, no Rio Grande do Sul, pesquisadores encontraram o que seria o primeiro fóssil de réptil terrestre da América do Sul. A espécie hoje é conhecida como Rincossauro.

Com a descoberta deste fóssil o país acabou chamando a atenção de paleontólogos de todo o mundo que começaram a estudar o país. Em 1940, Uberaba, no estado de Minas Gerais e em parte oeste do estado de São Paulo acabaram se tornando regiões interessantes para o desenvolvimento do estudo paleontológico. Apesar deste panorama o Brasil como fonte para estudo fóssil acabou sendo esquecido por mais de trinta anos. Somente voltamos ao hall de países promissores para pesquisadores a partir do estudo encabeçado pelo padre Giuseppe Leonardi sobre fósseis que reacenderam as pesquisas no país. Atualmente um sítio localizado em Souza, denominado de sítio paleontológico de Souza é o Parque de Dinossauros Brasileiros.

Este parque é reconhecido em todo o mundo devido as grandes contribuições proporcionadas.

Sítios Paleontológicos

No Brasil já foram encontrados fósseis de vestígio e igualmente de resto. Foram encontrados dentes, ovos, pegadas e ossos em geral. Os sítios paleontológicos com mais relevância estão localizados nos seguintes estados: São Paulo, Rio Grande do Sul, Maranhão, Pernambuco, Paraíba, Ceará e Minas Gerais.

Alguns estudiosos acreditam que espécies encontradas na Argentina teriam possivelmente vivido igualmente no Brasil e que é uma questão de tempo até que sejam encontrados em nossa terra.

De acordo com os fósseis encontrados, houve no Brasil a ocorrência de sauropodomorfos. Espécies curiosamente similares as que habitaram a América do Norte e o continente asiático. Apesar da eventual semelhança não há parentesco estabelecido entre estes animais.

Com base no que foi descoberto no Brasil há a certeza de que o país era realmente muito abundante em saurópodes.

Uma espécie que foi muito estudada devido aos fósseis encontrados no Brasil é o pterodáctilo. Muitos fósseis conservados do animal foram encontrados em Araripe, uma cidade cearense conhecida por sua grande contribuição para o estudo e descoberta de fósseis. Atualmente o município tem pouco mais de vinte mil habitantes.

Além do pterodáctilo, os pterossauros (ordem da qual o pterodáctilo faz parte) também tiveram uma parcela significativa de fósseis descobertos em nosso país. A ordem pterossauro corresponde a um grupo onde estão alocados répteis voadores extintos.

Recentemente no Brasil foi descoberto o chamado Santanaraptor, um animal que teria vivido a cerca de cento e dez milhões de anos atrás na região que hoje compreende ao estado do Ceará. Segundo estudos, esta espécie faria parte da trajetória biológica do famoso tiranossauro da América do Norte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *