Home / Curiosidades / Quantos Anos o Tubarão Pode Viver? Quanto Ele Pode Pesar?

Quantos Anos o Tubarão Pode Viver? Quanto Ele Pode Pesar?

Explicar a capacidade física de alguns animais é quase impossível. Só o que podemos pensar é que o processo evolutivo caprichou muito. E um dos exemplos desse “privilégio” é o tubarão. 

Ele tem um corpo propício para o nado, algumas espécies conseguem nadar mesmo quando estão dormindo – pois eles podem afundam se pararem -, tem a capacidade de substituir um dente caso perca algum, se camufla muito bem na água e ainda pode viver muitos anos. Muitos mesmo, uma idade que os humanos sequer  imaginam chegar. Bom, pelo menos por agora, vai saber o que a ciência nos reserva para o futuro. 

Um exemplo disso é um tubarão conhecido cientificamente como Somnious microcephalus. Com um comprimento de 5 metros, foi descoberto que essa espécie pode viver até os 400 anos. Isso mesmo, 4 séculos. Isso quer dizer que ele é o vertebrado com maior expectativa de vida, que até então pertencia a baleia-da-Groenlândia, que vive até os 210 anos. 

E sua longevidade tem um motivo científico. As fêmeas não estão prontas para reproduzirem até alcançarem os 156 anos. Ou seja, não seria possível a preservação e reprodução da espécie se este não vivesse tanto tempo. 

Tubarão
Tubarão 

O animal já era conhecido como ancião na década de 1930, com cientistas curiosos sobre sua capacidade de viver tanto tempo, vez ou outra na história. 

Os especialistas acreditam que o maior responsável por isso seja o habitat escolhido pelo bicho: águas frias. 

A temperatura seria a causa por trás desaceleramento do crescimento e da atividade bioquímica. A criatura cresce um centímetro por ano. O frio também pode ativar genes de antienvelhecimento, o que provavelmente acontece com esses indivíduos. 

O tubarão também nos surpreende no quesito tamanho. Claro que isso vai depender de espécie para espécie, mas a média costuma ser de 2,5 metros de comprimento para cima. O maior desse animal é o tubarão-baleia que chega a incríveis 12 metros de envergadura. O engraçado que apesar do tamanho, que com certeza causa medo para quem vê a criatura de longe ou de perto, é que, ao contrário de seus primos, ele não é carnívoro e nem um caçador. A baleia se alimenta por meio de filtragem de água, onde costuma sugar lulas, pequenos peixes e plâncton para sua boca gigante. Também é considerado um indivíduo tranquilo e que muitas vezes é flagrado nadando ao lado de mergulhadores. Está vendo como tamanho não é documento?! 

Apenas para compararmos, do outro lado da tabela está o tubarão-lanterna, o menor da espécie, com apenas 17 centímetros.

Sobre o tubarão

O bicho é um animal vertebrado, que pertence a classe dos Chondrichthyes, o que quer dizer que ele é uma criatura cartilaginosa. Sua subclasse é a Elasmobranchii.

Tem um corpo composto de cartilagem com cálcio. É do tipo carnívoro, o que faz ele estar no topo da cadeia alimentar em ambientes marinhos. 

Ele pode habitar os mais diversos ambientes oceânicos, desde grandes profundidades, costas, assim como locais com diversas temperaturas. 

Tubarão e Homem
Tubarão e Homem

Características do tubarão 

Esse indivíduo normalmente tem porte grande, com algumas espécies alcançando 20 metros de comprimento. Exibe um corpo fusiforme, ou seja, muito bem desenvolvido para o nado. Detém pele áspera e resistente que é coberta por escamas placóides. O formato desta e sua distribuição também auxiliam na locomoção na água. 

Suas nadadeiras tem um suporte de raios e uma parte da cauda dorsal com um tamanho maior que a ventral. As dorsais são as responsáveis por estabilizar seu corpo, já as peitorais e pélvicas auxiliam a criatura a realizar uma série de manobras. 

Como um peixe, tem a respiração do tipo branquial, o que permite que ele retira oxigênio da água. 

Para poder flutuar, ele detém um fígado repleto de óleo. Com um tecido de densidade menor que a água e um corpo grande, o órgão auxilia na flutuação. Mas só ele não é capaz de fazer o bicho não afundar, então ele nunca pode parar de nadar. 

O tubarão também é conhecido por ter órgãos sensoriais bem desenvolvidos. Ele tem uma boa visão, assim como pode identificar odores a longas distâncias e exibe uma estrutura capaz de identificar os campos magnéticos de outros animais próximos a ele.

Alimentação

Como existe uma grande variedade de espécies, o tipo de alimentação vai variar de acordo com estas. Alguns consomem bichos grandes como outros peixes, focas, tartarugas, como é o caso do tubarão-branco, por exemplo. 

Mas nem todos são caçadores ferozes, como é o caso do baleia, como já citado anteriormente. 

Os indivíduos caçadores costumam apresentar uma mandíbula forte e dentes bem afiados. Estes estão em fileiras e, conforme vão caindo, os novos se direcionam para a parte da frente da boca. 

Reprodução 

O tubarão faz fecundação interna. Para realizar o depósito do gameta dentro do corpo da fêmea, o macho utiliza de uma estrutura chamada de claspers. 

Entre os animais, existem os ovíparos, vivíparos e ovovivíparos. O primeiro bota ovos, o segundo o filhote se desenvolve no interior do útero e o terceiro guarda os ovos no oviduto. 

Algumas espécies de tubarão 

Tubarão-branco 

Tubarão-branco
Tubarão-branco

O mais conhecido entre os peixes, o branco é um grande predador. O bicho pode chegar aos 6 metros de comprimento e viver até os 70 anos. Sua dieta é composta de vários animais, como pinguins, moluscos e outros peixes.

Tubarão-martelo 

Tubarão-martelo
Tubarão-martelo

O tubarão-martelo não é um indivíduo, o nome na verdade é usado para nomear criaturas do gênero Sphyrna. Sua característica marcante sem dúvida alguma é sua cabeça achatada, que tem como propósito ajudar o bicho na natação, assim como na visão e na visualização das presas. Algumas espécies chegam aos 5 metros de comprimento. 

Tubarão-baleia

Tubarão-baleia
Tubarão-baleia

Sendo o maior da família, existe registro de um animal que chegava aos 20 metros de comprimento e um peso de 35 toneladas. Seu corpo é forte e cheio de manchas claras, normalmente brancas. Exibe uma cabeça achatada. 

Costuma migrar por causa da temperatura da água e também em decorrência da quantidade de alimento da região. Como dito, ele come por meio da filtração e sucção. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *