Home / Curiosidades / Qual o Tempo de Vida de um Cavalo Marinho no Aquário?

Qual o Tempo de Vida de um Cavalo Marinho no Aquário?

Muitos animais possuem uma beleza exuberante e a vontade de tê-los em casa é tentadora, principalmente para os amantes de aquários. Esse é o caso do cavalo-marinho. Quem não gostaria de tem exemplar ao alcance dos olhos. É um indivíduo de beleza magnífica.  

E a boa notícia é que você pode sim ter um em casa, mas a má notícia é que sua expectativa de vida, que já  curta na natureza – ele vive de 5 a 7 anos – diminuí ainda mais em um aquário, baixando para de 2 a 4 anos. 

Sem contar que é preciso comprar a espécie em um local apropriado, por diversos motivos, um deles é sua alimentação. Uma criatura que já está acostumada a viver neste ambiente vai aceitar comidas artificiais, rações, etc. Agora, se este não for o caso, o dono terá que procurar por alimentos vivos para o seu cavalo-marinho. Mas ainda assim é um risco, pois muitos se recusam a comer em cativeiro. 

Além disso, é preciso ficar atento também a aparência do bicho, preste atenção ao abdômen do cavalo, é ideal que ele esteja gordinho. Caso tenha uma aparência oca no local, quer dizer que ele está doente ou desnutrido. É necessário observar outros aspectos também, como corpo e olhos. 

É necessário verificar igualmente a compatibilidade da criatura com cativeiro e se ele precisa de cuidados especiais. Outra dica importante é nunca separar um casal ou comprar um exemplar que acabou de chegar na loja. 

E, obviamente, adquira o seu em local responsável e que esteja autorizado a comercializar cavalos-marinhos. É necessário prezar pelo bem-estar do animal  então veja se o comerciante está oferecendo os cuidados necessários para a criatura. Apesar de muito bonito, talvez seja melhor deixar o indivíduo no seu habitat natural. Vai querer diminuir sua expectativa quase pela metade só para tê-lo no seu aquário? 

Cavalo Marinho no Aquário
Cavalo Marinho no Aquário 

Sobre o cavalo-marinho 

O cavalo-marinho é um peixe de porte pequeno do tipo ósseo. Exibe uma cabeça alongada, parecida com a dos equinos terrestres. Ele mede em torno de 15 centímetros de comprimento.

Detêm pequenas barbatanas, o que faz com que ele não seja capaz de nadar contra a correnteza. Por isso ele prefere águas tranquilas e rasas. O que, infelizmente, deixa-o mais vulnerável à pesca predatória. 

Este indivíduo pertence à família Syngnathidae. Aqui no Brasil podemos encontrar duas espécies: a Hippocampus reidi e a Hippocampus erectus, sendo a primeira a mais comum em mares brasileiros. 

Atualmente, devido a sua predação, o cavalo-marinho corre risco de extinção. Isso se deve também a destruição do seu habitat natural. Ele é comercializado tanto para aquários, quanto para fins decorativos, onde ele é vendido morto e seco. 

Reprodução 

Além da sua beleza, uma das características que mais chama atenção no cavalo-marinho é o fato de que nesta espécie, em específico, quem engravida são os machos. As fêmeas transferem seus óvulos para uma bolsa incubadora presente no corpo do parceiro. 

Quando isto ocorre, este libera seu esperma na local, fertilizando os ovos. Realizando fecundação interna. 

Estes serão carregados pelo cavalo pelos próximos dois meses até que ocorra a eclosão e os bebês nasçam. 

35 Curiosidades sobre o cavalo-marinho 

  1. Ele tem a capacidade de mudar de cor e se camuflar. O que o ajuda a se defender de seus predadores. 
  2. Exibe dois olhos que podem se movimentar de forma independente um do outro. 
  3. Parece óbvio dizer, mas apesar de se parecer com a espécie terrestre, o cavalo-marinho é um peixe. 
  4. Existem cerca de 40 espécimes deste indivíduo.
  5.  Ele pode ser encontrado em diversas cores e formatos. 
  6. Algumas alcançam apenas os 13 milímetros, enquanto outras chegam aos 30, centímetros de comprimento. 
  7. Se locomovem de forma lenta
  8.  Para não ser levado pela correnteza, prende sua cauda em alguma planta aquática, algas ou corais. 
  9. Além de pequenas, suas nadadeiras são quase transparentes. 
  10. Ele se alimenta de larvas de camarões, moluscos e animais pequenos, como pulgas-da-praia. Para capturar as presas, ele suga a água. 
  11. O bicho não tem útero, sendo assim, os filhotes crescem em um local  chamado de cavidade ovariana. Nesta região, os bebês recebem nutrientes e gases. 
  12. Cada ninhada pode dar 300 bebês que nascem com 2 milímetros e são independentes. 
  13. Poucos filhotes chegam à fase adulta pois são comidos por peixes maiores. 
  14. Acredita-se que conforme vai crescendo, o cavalo-marinho muda de habitat e de profundidade. Sendo assim, seria mais comum encontrar os exemplares maiores em locais mais fundos. 
  15. A presença de ondas interfere diretamente na presença desses bichos em certos locais. 
  16. Tem uma boca muito pequena. 
  17. Em algumas espécies um casal fica junto por vários período reprodutivos, o que leva a crer que o bicho tem uma hábitos monogâmicos. 
  18. Seu nado é na vertical, ao contrário da maioria dos peixes. 
  19. Ele não tem escamas. Ao invés disso seu corpo é recoberto por uma armadura protetora composta de placas ósseas. 
  20. Por usar a cauda para se agarrar em plantas, a região é extremamente forte. 
  21. Se reproduz várias vezes ao ano. 
  22. A dança do acasalamento consiste com os dois bichos balançando-se de um lado para o outro com as causas entrelaçadas. 
  23. Seus ovos são vermelhos. 
  24. A fêmea deposita ovos no macho usando o ovipositor. 
  25. Para dar a luz, o macho realiza uma série de movimentos para expelir todos os filhotes. 
  26. Existem duas espécies que vivem nas águas do norte europeia, mas a maioria prefere águas quentes. Pode habitar também em mangues. 
  27. Alguns exibem espinhos e saliências para espantar e confundir os predadores. 
  28. Pesquisadores acreditam que a criatura existe há mais de 40 milhões de anos. 
  29. Quando comem, fazem um barulho seco, como um “claque”. 
  30. Ele não tem dentes ou estômago. A comida passa direto para seu sistema digestivo. Por causa disso, eles precisam comer toda hora. 
  31. O cavalo faz parte da mesma família que o dragão do mar, peixe-cachimbo e cavalos-cachimbo. 
  32. Engole sua presa inteira. 
  33. Por causa da sua camuflagem, a caça só o vê no momento do ataque.
  34. A fêmea consegue produzir mais ovos do que a bolsa do macho pode acomodar. 
  35. A barbatana dorsal se movimenta cerca de 30 a 70 vezes por segundo para o bicho obter impulso. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *