Home / Curiosidades / Qual o Significado das Renas, um dos Símbolos do Natal?

Qual o Significado das Renas, um dos Símbolos do Natal?

Chega o fim do ano e o espírito natalino começa a dominar cada espacinho. Seja nas redes sociais, em lojas e até mesmo em residências, é possível encontrar algum elemento que remeta ao feriado que tantas pessoas amam. É uma época repleta de símbolos que viraram tradição e, por isso, acabam sendo usados por puro reflexo, sem questionar muito.

Mas vamos fazer uma pausa e refletir sobre um elemento tão importante: as renas do Papai Noel. Você já parou para pensar no que elas representam?

Renas
Renas

Qual o significado das renas, um dos símbolos do Papai Noel?

É importante saber que diferentes visões vão ser abordadas aqui, certo? Não tem como saber exatamente o significado da simbologia, mas, sim, analisar como ela é vista ao redor do mundo.

Na Sibéria, por exemplo, há todo um contexto espiritual. A rena é vista como um elemento essencial para a sobrevivência, já que fornece alimento, proteção e vestimenta para os habitantes. Além disso, são consideradas também como uma manifestação do Grande Espírito de Rena, que é invocado pelos xamãs quando há um problema que precisa ser resolvido. De acordo com a história, o Espírito viaja, em transe, em um trenó conduzido por renas voadoras.

Dada essa grande importância, a rena tem múltiplos significados para o xamanismo. Enquanto pode representar coisas incríveis, como poder, realização, força e habilidades sociais, tem um outro lado que remete a adversidades, momentos decisivos e a necessidade de encarar o ciclo da vida. De modo mais direto, acabam despertando o desejo de viajar e explorar o mundo.

O que significa sonhar com renas?

Para os especialistas que são capazes de interpretar sonhos, a aparição da rena remete sempre a coisas boas. Pode representar tanto o sentido material, como lucro inesperado, mas também mais sentimental, como lealdade dos amigos e da família.

Mesmo sendo algo um pouco improvável sonhar com algo tão distante da nossa realidade – no sentido geográfico –, a aparição do animal pode acontecer como forma de dizer algo, principalmente sobre comunhão e amor.

Esses sentimentos são bem característicos do período natalino, né? Fim de ano, momento de agradecer pelas pessoas que estão por perto e fazer votos para o ano que está chegando. Mas mesmo com essas concepções bem sentimentais sobre as renas, Papai Noel e o próprio natal, o que realmente tornou esses elementos tão conhecidos foi o mercado, por meio da publicidade e de diversas jogadas de marketing.

Como as renas ficaram conhecidas mundialmente?

Há certa inspiração na realidade para a criação do mito. Por volta do século XIX, na Europa, a história inicial foi desenvolvida com base na tradição que existe em alguns países frios como o Alasca e a Rússia, cujos cidadãos usam as renas para puxar trenós em meio a neve, já que a locomoção fica prejudicada. Daí, só foi preciso adicionar um pouco de magia!

Na realidade, os trenós são puxados por apenas oito renas. Na tradição do Papai Noel, esse modelo também era adotado, mas em 1939 houve um acréscimo ao grupo capaz de voar mundo afora. Criado por Robert L. May, Rudolph (Ou Rodolfo, no Brasil) acabou se tornando o nome mais conhecido quando se trata das companheiras do Papai Noel.

Robert trabalhava na loja Montgomery Ward Company e foi encarregado de desenvolver uma história de Natal para ser dada de presente aos clientes. Utilizando a clássica história “O Patinho Feio” como referência, o produto desenvolvido foi um sucesso imediato.

A história trata de Rudolph, uma rena que possuía uma anomalia física que deixou o seu nariz com uma tonalidade tão forte de vermelho que chegava a reluzir. Graças a isso, as outras renas tentavam humilhá-lo, mas seus pais sempre reforçaram o quanto ele era especial e o tratavam com todo carinho do mundo! <3

Renas do Papai Noel
Renas do Papai Noel

Então, certo dia, o Papai Noel o encontrou pela primeira vez. Preocupado com a neve forte que caía e com medo de não conseguir entregar os presentes das crianças a tempo, o nariz reluzente da rena surgiu como uma solução no meio do caos que se formava. O brilho de Rudolph chamou a atenção do velhinho e ele imediatamente fez contato, propondo essa união com o animal, que acabou topando.

No fim, tudo foi um grande sucesso. Rudolph iluminou o caminho e impediu que o trenó sofresse quaisquer acidentes ou atrasos, garantindo a segurança e o presente para todas as crianças. O Papai Noel fez questão de deixar claro que, se não fosse pela ajuda dele, nada daquilo teria sido possível.

A partir disso, Rudolph se juntou ao time já formado pelas oito renas: Dasher, Dancer, Prancer, Vixen, Comet, Cupid, Donder e Blitzen (em português: Corredora, Dançarina, Empinadora, Raposa, Cometa, Cupido, Trovão e Relâmpago). A equipe completa conta com a Mamãe Noel e os inúmeros elfos, além dos que já foram citados.

Escrito em versos, o livro de May foi distribuído a 2,4 milhões de pessoas no ano em que foi criado, em 1939. Até 1946, estima-se que o número tenha ultrapassado os 6 milhões, demonstrando o sucesso que havia atingido.

É válido perceber que nesse período acontecia também a Segunda Guerra Mundial, que levou destruição para diversos países, de forma direta ou indireta. Uma história leve e divertida sobre amizade, aceitação e magia, conforme o livro de Rudolph oferecia, acabou sendo uma válvula de escape para aqueles que tiveram acesso aos versos escritos e distribuídos na época. Mesmo com a escassez de papel característica do momento vivido mundialmente, a procura se intensificava continuamente.

Rudolph em outras mídias

Em 1949, o compositor Johnny Marks, cunhado de Robert L. May, escreveu uma música contando a história de Rudolph. Gravada por Gene Autry, teve 2 milhões de cópias vendidas nesse ano e firmou-se como um clássico de natal imediatamente.

Como filme, a história mais famosa de Rudolph foi lançada em 1998 com o título “Rudolph, a Rena do Nariz Vermelho”, conteúdo perfeito para ser apreciado com a chegada do período natalino.

A lição que tiramos daqui é a seguinte: as renas simbolizam união, amizade e trabalho em equipe para concluir um objetivo. Tem tudo a ver com o momento em que aparecem – o fim do ano -, que trata de realizações e sobre passar o tempo com quem amamos. Sempre que ver uma dessas, lembre-se do que elas representam. É um exercício que pode render sentimentos bons (e dar aquela aquecida no coração)!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *