Home / Curiosidades / Qual O Preço De Um Cavalo Marinho?

Qual O Preço De Um Cavalo Marinho?

Os cavalos-marinhos são animais muito conhecidos por todos nós. Sem dúvida alguma são as criaturas aquáticas mais conhecidas e hoje vamos descobrir um pouco mais sobre este curioso animal que tem sido muito apreciado para criação em  aquário, chamando a atenção de aquaristas em todo o mundo.

As Apresentações: O Cavalo Marinho

Integram o gênero Hippocampus. Gênero este composto por peixes ósseos da família Syngnathidae que vivem majoritariamente em águas temperadas e de clima tropical. Dentre as espécies que integram este gênero estão as que popularmente conhecemos como cavalos-marinhos.

São animais de pequeno porte com um corpo bem característico.

Antes de prosseguirmos, os peixes ósseos são aqueles que possuem o endoesqueleto e os opérculos constituídos principalmente de ossos. Representam a maior parcelada dos animais vertebrados e isso vai desde o número de espécies a quantidade de indivíduos existentes.

Os cavalos-marinhos são animais que remetem aos cavalos que conhecemos e por isso este nome popular. Possui a cabeça de forma alongada com a distribuição de filamentos que remetem a crina de um cavalo propriamente dita. Além desta pequena descrição inicial, são capazes de mudar a cor como os camaleões e movimentarem individualmente cada um de seus olhos.

Cavalo Marinho
Cavalo Marinho

São facilmente confundidos com algas e anêmonas marinhas. A depender da espécie também podem causar uma confusão ao se assemelharem aos corais.

Como mencionamos anteriormente são de pequeno porte podendo medir entre treze a trinta centímetros de comprimento a depender da espécie, mas costumeiramente atingem por volta de quinze centímetros.

Nadam com o corpo na posição vertical por meio da rápida movimentação de suas barbatanas. O seu peso é tão diminuto quanto o seu comprimento, podendo atingir até pouco mais de cem gramas. O peso médio, entretanto, fica bem abaixo disso, por volta de cinquenta gramas apenas.

No Brasil é possível encontrar duas espécies de cavalo-marinho, a Hippocampus reidi e a hippocampus erectus. Infelizmente, todas as espécies, cerca de quarenta e sete, estão atualmente ameaçadas de extinção, seja pela destruição de seu habitat, sua poluição, além da caça exploratória.

Quando caçados são destinados tanto para servirem unicamente como artigos decorativos quanto para serem criados em cativeiro por aquaristas.

Embora estejamos aqui para falar sobre o valor com o qual se pode adquirir um cavalo-marinho é preciso destacar que esta é uma das práticas que tem colocado as espécies do animal em risco.

De todo e qualquer modo, o mercado brasileiro não é muito voltado para o consumo de cavalos-marinhos ariscando-se mais com a produção e posterior exportação do mesmo.

A Criação Em Cativeiro Do Cavalo Marinho E A Preservação Da Espécie

Apesar da pesca exploratória para a comercialização do cavalo-marinho, em 2010 um grupo de pesquisadores conseguiram reproduzir espécies em cativeiro.

Por meio deste projeto, após quatro meses do nascimento, os filhotes já estão prontos para a comercialização e foram à época, vendidos por cerca de treze dólares. Hoje algo em torno de sessenta e três reais.

Lamentavelmente não conseguimos identificar se o projeto ainda continua ativo, mas de acordo com pesquisadores a época, a iniciativa auxiliava na manutenção da espécie da seguinte forma: não podemos ignorar que o mercado de compra e venda de cavalos-marinhos existe. Aliás, o mercado é forte no exterior, sendo o animal muito apreciado para ornamentar aquários devido a sua grande variedade de cores. Para evitar que este mercado seja suprido pelos animais que vivem na natureza, os criados em cativeiro são comercializados com este fim. Apesar da intenção dos pesquisadores envolvidos nesse projeto na época só eram capazes de suprir a demanda de cavalos-marinhos de parte dos Estados Unidos, mas o objetivo era expandir de modo a preservar os cavalos-marinhos livres, distribuindo os criados em cativeiro para todas as regiões.

Justamente por conta da incidência de pesca predatória desta espécie reforçamos que você deve sempre verificar a procedência de um animal antes de adquiri-lo. Às vezes a sua vontade de ter um pet diferente pode alimentar um mercado de sofrimento animal e desequilíbrio ambiental.

O melhor local para fazer a aquisição de um cavalo-marinho sem dúvida alguma, seria as lojas especializadas em pets e com a procedência garantida.

A Origem Do Nome

Agora que já falamos do assunto central deste post vamos a algumas outras informações sobre o cavalo-marinho. O gênero ao qual integram, o hippocampus, é o nome de um ser mitológico, filho de Poseidon, que curiosamente tem a aparência similar à dos cavalos-marinhos, sendo metade cavalo com o corpo terminado em um animal marinho, ao que tudo indica um golfinho.

Hábitos Alimentares E A Reprodução Do Cavalo Marinho

Os cavalos-marinhos são animais carnívoros e possuem o hábito de consumirem vermes, moluscos, crustáceos e plânctons.

Por não terem o hábito de irem em busca de alimento, acabam por consumir o que lhes é ofertado da maneira mais simplória possível, passando em frente a eles.

Como possuem uma causa preênsil se utilizam da mesma para se prender a determinadas superfícies e ali obtém o que consumir.

Em relação a sua reprodução, diferente do que acontece com a maior parte das espécies, quem faz a gestação dos filhotes (neste caso dos ovos que darão à luz aos filhotes) é o macho.

O período reprodutivo ocorre no início da primavera.

O critério para que as fêmeas escolham o seu parceiro é físico. A fêmea escolhe aquele macho maior e com mais ornamentos em seu corpo. Mas ainda assim esta seria apenas uma pré-seleção uma vez que para que o acasalamento de fato ocorra, o macho precisa dançar para a sua amada, a famosa dança do acasalamento.

Quando o acasalamento ocorre, a bolsa incubadora que está na fêmea é passada para o macho que a armazena na base de sua cauda e a fertiliza.

Cerca de dois meses depois os ovos eclodem e o macho é obrigado a realizar verdadeiras manobras para expeli-los.

Os filhotes nascem com pouco mais pouco menos de um centímetro a depender da espécie e já são totalmente independentes de seus pais.

Assim que nascem rumam a superfície para inflarem suas bexigas natatórias de ar. Este mecanismo atua auxiliando o peixe a manter o equilíbrio na água.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *