Home / Curiosidades / Qual o Comprimento de um Tubarão Branco Fêmea?

Qual o Comprimento de um Tubarão Branco Fêmea?

Hollywood é o responsável por eternizar diversas coisas em nossas vidas. Quem nunca viu um filme que envolva tubarões, que atire a primeira pedra. Mas dificilmente qualquer deles irá superar o clássico que é “Jaws”. Longa dos anos 70, “Tubarão” foi responsável por criar toda uma história de terror e suspense em volta do tubarão-branco. O terror psicológico com direito ao bicho perseguindo um barco, morte, muito sangue e uma boa trilha sonora fizeram desse filme uma obra-prima da indústria cinematográfica e também da carreira de Steven Spielberg. Acontece que muita gente acaba relacionando os fatos de ficção com os de verdade. 

Impossível não fazê-lo, não é mesmo? Como não temer um bicho de mais de 7 metros de comprimento. Aliás, sabia que a fêmea é maior que o macho?  Então estas medidas seriam dela. A diferença entre sexos no quesito envergadura pode variar de 2 metros de um para outro. Incrível! Não que 5 m não seja menos ameaçador, não é mesmo. 

Mas o terror com relação ao suposto “predador de humanos” não para por aí. Por ser um exímio caçador e carnívoro, muitos acreditam que podem ser devorados por um animal desses se der bobeira na água. Bom, pode acontecer, mas o bicho não faz de propósito. Falaremos mais disso logo abaixo. 

Tubarão Branco Fêmea
Tubarão Branco Fêmea 

Sobre o tubarão-branco 

Conhecido pelos cientistas como Carcharodon carcharias, o tubarão-branco é a espécie mais famosa da família a habitar todos os oceanos ao redor do mundo. 

Com um corpo que lembra um torpedo e isso faz da criatura um ótimo nadador, ele está na cabeça de muitas pessoas devido ao seu longo torso que pode chegar até os 7 metros, com uma diferença entre macho e fêmea neste quesito, como já citado antes. 

Quanto ao peso, este também não fica para trás e o indivíduo pode alcançar 3,4 toneladas. 

Exibe um focinho pontudo, enormes nadadeiras peitorais, uma dorsal triangular alta e uma caudal simétrica. Aliás, todas elas funcionam como um tipo de propulsor para o animal, que pode nadar até 24 km/h. 

Outro fator que chama muito atenção no tubarão-branco sem dúvida alguma são seus dentes, que estão espalhados em diversas fileiras. Aliás, sabia que sua boca pode ter uma abertura de até 1,2 metros? 

Inclusive, parte do nome do seu gênero advém desta característica física: carcharias, significa áspero/imperfeito. Já odon é traduzido do grego como dentes.

Exibe um dorso acinzentado e uma barriga branca. 

Como grande parte da sua família, apresenta as ampolas de Lorenzini, o que faz ele ser capaz de detectar diversas substâncias na água, mesmo que esta esteja a quilômetros de distância, como uma gota de sangue, por exemplo. 

Habitat 

Esse bicho gosta de regiões temperadas e tropicais, principalmente águas com uma temperatura em torno de 12 a 24 graus. Sendo assim, é possível avistá-lo nos oceanos Atlântico e Pacífico, entre a costa dos México e Estados Unidos. Assim como ao sul da África, Mar Mediterrâneo, Oceania e Japão. 

Ele também gosta de águas rasas. Em regiões de costeiras e plataformas, por exemplo, o tubarão costuma ficar bem próximo à superfície, por volta dos 2 metros. Mas em mar aberto ele prefere os locais com 1200 metros adentro da água. 

É do tipo migratório na fase adulta entre oceanos. Quando jovem faz isso apenas nas costas. 

Comportamento

É um indivíduo solitário, mas as vezes é visto em pares ou em grupos de até 10 membro. Imagina ver 10 tubarões-brancos, juntos? 

Essa número é comum quando ele está se alimentando de uma carcaça. Dentro desse conjunto existe uma hierarquia que normalmente é definida pelo sexo. Como é comum na natureza, as fêmeas se sobrepõem aos machos. Mas é também levado em consideração tamanho e a idade. 

Alimentação 

O branco está no topo da cadeia alimentar, o que faz total sentido já que ele é um ótimo caçador. A criatura se alimenta de raias, tartarugas – sim, isso é possível graças aos seus dentes -, polvos, golfinhos, leões-marinhos, focas e crustáceos. E a escolha da comida não é o caso. Ele sempre vai optar por criaturas com alto teor de gordura. 

Sua dieta também tem um papel importante no ecossistema. Por ele conseguir identificar bichos doentes e feridos e comê-los, a espécie evita que mazelas se espalhem no oceano. 

Para pegar sua presa, ele utiliza de diversas estratégias – isso vai variar conforme o tamanho da comida que pretende perseguir -, uma delas é nadar abaixo da caça, e funciona devido a sua cor, que acaba camuflando a criatura. Quando avista algum animal, ele nada a todo vapor para cima para mordê-la. Após isso, o tubarão fica observando a vítima até ela morrer de hemorragia. Ele só a come depois que esta vem a óbito. 

E, voltando a questão dos ataques a seres humanos, isso está relacionado a forma como tubarão escolhe sua presa. Ele decide se vai comer ou não por meio da mordida teste, então até ele abocanhar o possível alimento, ele não sabe do que se trata e se vai comê-la. Por isso é comum nestes acidentes ele ferir e soltar a pessoa, porque ele percebe que não é o tipo de carne que costuma comer e larga, deixando para lá. Então, a maioria dos ataques não são propositais. 

Reprodução

O branco é do tipo ovovivíparo, com os ovos se desenvolvendo dentro do corpo da mãe. A cada ninhada nasce de 2 a 10 filhotes. Durante a cópula, o macho pode dar pequenas mordidas na fêmeas, deixando-a com marcas no flanco, nadadeiras peitorais e dorsal. 

Os ovos são fertilizados dentro do corpo da parceira, que recebe os espermatozóides por meio dos claspers, órgão sexual do macho. 

Aqui também acontece o canibalismo, já que os recém-nascidos se alimentam daqueles ovos que não foram fertilizados. 

Aliás, um dos motivos pela espécie estar vulnerável está diretamente relacionado ao seu processo de reprodução. Com a caça, cada vez mais se tira essa criatura da natureza, mas acontece que estes não tem tempo de fazer a reposição em um período hábil pois o tubarão tem crescimento lento e só alcança a maturidade sexual por volta dos 16 anos, para as fêmeas, e 6, para os machos. 

Ou seja, é preciso parar de matá-lo antes que seja tarde demais e ele suma. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *