Home / Curiosidades / Qual Foi O Maior Dinossauro Aquático Que Já Existiu?

Qual Foi O Maior Dinossauro Aquático Que Já Existiu?

Você chutaria dizer qual foi o maior dinossauro que viveu sobre o planeta Terra? E se dificultássemos ainda mais a pergunta e o questionássemos sobre o maior exemplar de dinossauro aquático que já habitou à Terra? Qual seria a sua resposta? Certamente essa pergunta é difícil para a maioria de nós e pensando nisso hoje ajudaremos você a descobrir qual o maior dinossauro aquático a viver em nosso planeta. No final você também encontra um resumão sobre a história dos dinossauros e a sua posterior extinção em massa.

O Maior Dinossauro Carnívoro Eram Então Uma Espécie Aquática

Espinossauro
Espinossauro

Quando pensamos em predador carnívoro, que obviamente se encaixa no quesito dinossauro, nos lembramos do Tiranossauro Rex. Efetivamente ele possuía um porte invejável, mas nem de longe se aproxima do dinossauro que estamos a nos referir aqui.

Se você vem acompanhando nossos posts sobre algumas espécies de dinossauros, deve ter percebido que as espécies herbívoras são substancialmente maiores do que as espécies carnívoras. Com a nossa espécie de hoje não é diferente. É entre os carnívoros o maior exemplar, mas dentre todas as espécies, não chega nem mesmo próximo aos herbívoros de porte médio.

Estamos a nos referir ao Espinossauro, ou lagarto espinho, nome que inclusive faz muito sentido para o animal e vamos explicar porquê.

O espinossauro é o maior exemplar de dinossauro carnívoro que já existiu e é o primeiro e igualmente o único a apresentar características semiaquáticas. Isso porque não houve nenhum outro dinossauro a apresentar nem mesmo algo próximo ao comportamento do espinossauro.

O espinossauro são se trata de uma espécie claramente aquática, como supostamente podemos imaginar quando pensamos em animais aquáticos, mas passava a maior parte do seu dia na água e saía da mesma por pouco tempo.

Esta conclusão só foi possível por meio do estudo de um fóssil marroquino do espinossauro que atestou, segundo os paleontólogos envolvidos na pesquisa, que o dinossauro passava mais tempo dentro da água do que fora dela.

Um Dinossauro Conhecido

O espinossauro é um dinossauro muito conhecido do grande público devido principalmente ao filme Jurasic Park no qual aparece.

Longe das telas de ficção, seu primeiro fóssil foi descoberto em meados dos anos de mil novecentos e dez. E muitas descobertas foram possíveis de serem estabelecidas desde então. Dentre as mais notórias está a configuração do corpo do espinossauro, o dinossauro possuía cerca de quinze metros de comprimento e as costas cobertas por uma membrana espinhosa, que faz jus ao seu nome traduzido (lagarto espinho).

Outras características estabelecidas é que o animal possuía os pés largos e planos, muito similares aos pés de pato, o que levou a classe científica a duvidar que o mesmo andaria sobre solo terrestre com tanta facilidade. Por falarmos em pesquisadores e profissionais envolvidos com o estudo fóssil, este dinossauro é tido como a mais emblemática espécie que passou enterrada por mais de noventa e cinco milhões de anos.

Sua alimentação era baseada no consumo de peixes enormes, como não poderia ser diferente para um animal de pelo menos sete toneladas.

Outras Informações Sobre O Espinossauro

O espinossauro viveu no período Cretáceo no que hoje é compreendido como a região norte da África. Apesar de ter se concentrado nesta localidade, espinossaurídeos teriam vivido no Brasil, pelo menos dentes e vértebras foram encontradas na região do Ceará.

Em relação às características físicas da espécie, poderiam atingir quinze metros de comprimento e no máximo seis de altura, bem abaixo do encontrado quando analisamos espécies herbívoras.

A membrana espinhosa que recobria suas costas apresentava “espinhos” de tamanhos diferentes, alguns podiam chegar a mais de dois metros de comprimento e os estudiosos não conseguiram até hoje, atestar qual seria categoricamente a sua função. Dentre as expectativas, está a intimidação de rivais e para o galanteio das fêmeas, para auxiliar durante o nado, ou para fazer a termoregulação da temperatura, armazenando o calor do Sol.

Seus braços e sua mandíbula eram extremamente longos e igualmente fortes para capturar e consumir os enormes peixes que compunham a sua alimentação.

Como comentamos anteriormente, o primeiro fóssil de espinossauro foi encontrado em 1912 e esteve no museu alemão localizado na cidade de Munique. Este primeiro fóssil infelizmente foi destruído após um bombardeio durante a Segunda Guerra Mundial. Desde então nenhum fóssil muito completo do espinossauro foi encontrado, somente partes do animal, com exceção do fóssil encontrado no Marrocos que estava bem conservado e que foi a base para a conclusão do estudo de que o animal apresentou características de semiaquático.

Apesar de termos demarcado que o espinossauro possuía cerca de sete toneladas, estudos recentes não são conclusivos e denotam que o peso mínimo ficaria em torno de sete toneladas e o máximo de aproximadamente vinte toneladas.

História Dos Dinossauros

Os dinossauros viveram a cerca de duzentos e trinta e três milhões de anos atrás e por cerca de cento e sessenta milhões de anos foram o grupo animal dominante no planeta Terra. Foram extintos a mais ou menos sessenta e cinco milhões de anos após o período Cretáceo.

O evento que culminou na extinção em massa dos dinossauros é tido como um evento catastrófico nunca imaginado e que felizmente nunca mais voltou a ocorrer. Um meteorito se chocou contra a Terra ocasionando uma grande explosão que carbonizou instantaneamente milhares de animais. Após a explosão uma nuvem densa de poeira encobriu a passagem do Sol, o que dificultou a sobrevivência daqueles que não morreram com a explosão. O planeta se tornou extremamente frio e as árvores secaram. Segundo estudiosos que analisaram o período, os únicos dinossauros a sobreviverem foram os emplumados, de pequeno porte e com comportamento terrestre.

Ao todo se estima que havia mais de quinhentos gêneros diferentes e mais de mil espécies de dinossauros não aviários. Deste total, haviam carnívoros, herbívoros, quadrúpedes (que se deslocam sobre quatro membros, como os cachorros, por exemplo), bípedes (que assim como nós, seres humanos, se deslocam sobre dois membros) e dos mais diversos tamanhos.

Curiosamente e de forma surpreendente, pesquisadores alegam que biologicamente falando, o parente mais próximo do Tiranossauro Rex (um dos dinossauros mais conhecidos do mundo) seria o frango. Isso mesmo, o frango que conhecemos, o macho da galinha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *