Home / Curiosidades / Qual é o Tamanho de um Ovo de Dinossauro?

Qual é o Tamanho de um Ovo de Dinossauro?

Como se sabe, existia dinossauros de todos os tamanho, por causa disso muitas perguntas envolvendo seus ovos são feitas. Por exemplo, como um animal gigante como o tiranossauro rex chocava seus zigotos, se esse fosse o caso? É um ótimo questionamento, que responderemos mais a frente. Mas e quanto o tamanho desses? Bom, como dito, esses animais tinham diversas estaturas, o que obviamente influencia no diamante dos zigotos. Os maiores já encontrados tem 60 centímetros de altura e 20 cm de largura. Estes foram achados na China, em rochas da era Cretáceo, na década de 1990. 

O primeiro ovo descoberto 

O primeiro ovo desenterrado desses animais aconteceu em 1859, em um local ao sudeste da França, por Jean Jacques Pouech. Estes pertenciam a pássaros gigantes – como se acreditou na época. Já em 1869, Matheron achou alguns exemplares mais preservados. Na ocasião, o cientista achou que estes tratavam-se de zigotos de crocodilos gigantes. Lembrando que este foi o começo da descoberta desse grupo, ou seja, a humanidade não sabia quase nada a respeito da espécie. Foi só em 1877, que Paul Verbais publicou um estudo dizendo que, na verdade, esses ovos poderiam ser de dinossauros. Por causa disso, descobriu-se mais tarde que aqueles achados tratavam-se de bebês do grupo dos saurópodes, da espécie Hipselossauro. 

Ovo de Dinossauro
Ovo de Dinossauro

Quanto tempo eles levavam para chocar 

Com o passar do tempo, por meio de descoberta de mais fósseis e do avanço da tecnologia na área científica, os especialistas começam a ter mais informações sobre essas criaturas, como, por exemplo, quanto tempo os ovos demoravam para chocar. Em 2017, comprovou-se que esse processo demorava incríveis seis meses. Até então eles acreditavam que o tempo era similar das aves de atualmente. Eles levavam isso em consideração por esse grupo é composto de descendentes dos dinossauros, muito mais próximos que os crocodilos ou as cobras.

Essa nova informação foi possível graças à análise dos dentes de embriões que não nasceram. Um deles era do Protocerátops, que tinha o tamanho de uma ovelha e do Hypacrossauro, maior e mais pesado que o anterior. O primeiro poderia passar três meses sendo incubado, já o segundo demorava até seis meses. Em decorrência desse tempo, os cientistas acham que quanto maior o animal, igualmente era o tempo de incubação. Enquanto as aves fazem esse processo entre 11 a 85 dias. Isso quer dizer que esta fase é muito mais parecida com os dos répteis de hoje em dia. 

Grande desvantagem

Com essas novas informações, os especialistas acreditam que isso trouxe diversas desvantagens para essas criaturas, a mais importante e maior delas foi a extinção. Como demoravam muito para nascer, isso pode ter contribuído para o sumiço da espécie no planeta. Ou seja, se o processo fosse mais rápido, mesmo com os efeitos do meteoro no planeta, algumas espécies poderiam ter sobrevivido ao acidente, como aconteceu com outros seres. 

Isso também fazia com que os adultos passassem mais tempo preso aos filhotes, para protegê-los, o que quer dizer que eles não poderiam migrar de região, por exemplo. Além disso, esses zigotos também ficavam a mercê do tempo instável, como enchentes ou secas. Ou seja, eles teriam que se adaptar a vários climas antes mesmo de nascer. 

Com eles eram chocados?

Imagina um dinossauro gigante chocando ovos? Essa parece a receita certa para um desastre. Mas não podemos esquecer que a natureza é inexplicavelmente maravilhosa e sábia. Após a descoberta e estudo de um ninho fossilizado de um ovirraptorossauro, encontrado na China, os cientistas puderam responder mais essa pergunta. Como foi observado, o bicho tinha uma estratégia para não fazer dos filhotes um grande omelete. Os zigotos foram distribuídos em um círculo, deixando um grande espaço no meio deste. Provavelmente era nesse buraco onde as mamães sentavam para chocar seus bebês. E essa disposição dá a entender o hábito de sentar em cima dos ovos observado nos pássaros atuais é uma herança desses antepassados.

O que foi uma ótima técnica, já que estes animais podiam pesar até 1,8 mil quilos, com um tamanho próximo a um rinoceronte ou um hipopótamo. Com certeza os filhotes não aguentariam todo esse peso em cima deles. Por causa disso, esses locais chegavam a ter 30 centímetros a 3 metros de largura. E obviamente que esse tamanho variava de acordo com a estatura dos seres. Em ninhos menores, as mães quase não deixavam um espaço livre no meio. Quando era o contrário, com locais maiores, mais espaçoso essa era zona, o que acabava criando pilhas bem elaboradas com os ovos. 

Apesar disso, os cientistas não sabem dizer porque as criaturas faziam isso. Se era para abrigar e proteger os mini dinossauros, ou simplesmente para oferecer calor a eles. 

Pais até a morte 

Em abril de 2018, uma equipe de cientista do Museu Americano de História Natural apresentaram ao mundo algo espetacular: um dinossauro que morreu em cima do seu ninho, protegendo os ovos. Esse exemplar foi achado no Deserto de Gobi, na Mongólia. Conhecido como Citipati osmolskae, era um ovirraptorossauro do tamanho de um emu. Ela provavelmente foi enterrada viva sob uma duna que caiu ou morreu durante uma tempestade de areia, sendo coberta pela substância, o que acabou preservando a posição que estava. O animal faleceu numa posição onde esticou as asas sobre seus ovos. Tal hábito pode ser observado nas aves atuais, que fazem o mesmo para camuflar ou proteger os zigotos do vento ou da chuva. 

Com a descoberta foi possível afirmar, mais uma vez, que eles construíam o local com um espaço no meio para sentar e colocavam os zigotos em um círculo. 

Outra coisa intrigante é que os especialistas não souberam dizer se era um macho ou uma fêmea, o que pode trazer outro questionamento à tona: será que as aves atuais do sexo masculino também herdaram o hábito de cuidar do ninho dos dinossauros? Como se sabe, muitos machos também tomam conta dessa área durante a postura dos zigotos. Bom, é algo que ainda não se pode afirmar. Mas a magia dessa área é justamente a possibilidade de novas informações a qualquer momento. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *