Home / Curiosidades / Qual é a Origem do Pardal? Como Saber se Ele é Macho ou Fêmea?

Qual é a Origem do Pardal? Como Saber se Ele é Macho ou Fêmea?

O pardal está espalhado por praticamente todo o mundo. Devido a sua popularidade, eles são conhecidos tanto por especialistas em aves quanto por pessoas comuns, que veem o animal em seu dia a dia.

No entanto, esses indivíduos desconhecem a grande lista de características do bichinho, mesmo tendo contato constante com ele. Agora, você poderá se informar mais sobre o pardal e entender como ele chegou até aqui.

História do pardal no mundo

Seu nome científico é em latim, Passer Domesticus, que traduzido livremente seria algo como Pássaro doméstico ou ave que habita as casas.

O pardal é originário da Europa, da Ásia e do Oriente Médio. Atualmente, ele está presente em todos os continentes, exceto a Antártida. Ele chegou ao Brasil por volta de 1906, trazido para combater a crise de insetos que assolava a população.

No entanto, o pássaro logo percebeu que era mais fácil viver nos centros urbanos do que na zona rural e passou a se alimentar de migalhas encontradas no lixo ao invés de comer as pragas.

Além disso, o pardal também foi o responsável por expulsar o tico-tico, um pássaro descrito como sociável e muito útil no combate aos insetos que costumam invadir plantações. Ele e o pardal são semelhantes tanto em tamanho quanto na coloração.

Pardal
Pardal

Como saber se o pardal é macho ou fêmea?

Se você tem um pardal e quer descobrir o sexo do seu animal, explicaremos melhor sobre alguns pontos que podem te ajudar nesse processo.

Primeiro, o pardal macho costuma ter, em média, 15 centímetros. A fêmea é um pouco menor que isso, com medidas incertas.

O macho tem duas cores de plumagem: uma durante a primavera, em que ele se mostra numa mistura de cinza, preto, marrom e branco distribuídos por seu pequeno corpo. Já no outono, ele é mais discreto, com tons mais desbotados. A parte abaixo de seu bico é uma junção de preto e amarelo.

Já a fêmea tem uma coloração mais opaca. Ela possui algumas cores – cinza e marrom – em comum com o macho, mas tem uma lista mais clara logo acima dos olhos. Essa coloração discreta é útil para que a ave possa se camuflar no ambiente com mais facilidade. Quando estão no processo de incubar os ovos nos ninhos, conseguem se esconder melhor de predadores.

O filhote do pardal, antes de chegar a idade adulta, é mais semelhante às fêmeas.

A principal diferença entre o pardal macho e fêmea é que apenas o do sexo masculino pode cantar. É assim que ele atraia a fêmea para o acasalamento. O lado negativo dessa característica é que, ao cantar, acaba se tornando uma presa mais fácil por denunciar sua localização.

Na natureza, estudiosos perceberam que, na hora de dormir, o macho é sempre o que fica no canto mais alto da árvore para não ser predado.

Principais predadores do Pardal 

Quando estão nas grandes florestas, principalmente, o pássaro é constantemente atacado por tucanos, gaviões, falcões e corujas. As serpentes, gatos e cachorros, no entanto, costumam procurar por filhotes e ovos do pardal, que são mais vulneráveis.

O próprio ser humano costuma caçar a ave para se alimentar de sua carne ou cria-lo como animal de estimação.

Alimentação do pardal

A dieta do animal inclui sementes, como alpiste, mais comumente, e pequenos insetos. Esse último é mais frequente quando a ave está no período reprodutivo.

Como se tornaram mais comuns na cidade, estão adaptadas a comer restos de comida, como arroz, pedaços de pão e biscoito, por exemplo. Da natureza, o pardal come flores e frutas, como acerola, banana e maça, além de legumes.

Como o pardal se reproduz?

A cada estação de procriação, o animal procura uma nova companheira para ser seu par monogâmico. Uma das formas de conquistar a fêmea, além do seu canto, é exibir um ninho previamente preparado para incubar os futuros ovos do casal.

Esse ninho pode ser feito tanto na natureza, como em árvores e arbustos, quanto na parte urbana, como nos edifícios ou no teto de uma casa. Além disso, o pardal costuma também expulsar outras aves dos ninhos que elas próprias construíram para poder ocupa-lo.

Para construir o lugar, o macho usa vegetação seca, pena, corda, papel, lã ou qualquer tipo de pedaço abandonado; tudo para fazer do ninho o local mais seguro possível nas circunstâncias atuais.

Pardal
Pardal

Quando o ambiente está pronto para ser apresentado para a fêmea, o pardal macho eriça as penas negras que ficam em seu pescoço. Se a possível parceira gostar do lugar, uma nova família está para ser formada.

Depois da cópula, a fêmea é capaz de botar até oito ovos por estação. De cor cinza, ambos os pais participam do processo de incubação, que dura entre 12 e 14 dias. Dependendo da temperatura do ambiente, esse número pode ser maior ou menor.

Quando os filhotes começam a nascer, eles passam os primeiros dias de vida em uma dieta vegetariana antes de serem alimentados com pequenos insetos.

Só abandonam o ninho de vez quando atingem os 10 primeiros dias de vida. Os filhotes costumam voltar a sua casa frequentemente apenas para dormir.

Algumas curiosidades sobre o pardal

  • Sabia que a fêmea tem um nome exclusivo? Ela pode ser chamada tanto de pardaloca quando pardaleja ou pardoca.
  • O pardal é a espécie de ave com maior distribuição geográfica no mundo inteiro.
  • Eles andam em grupos. Sempre há apenas um macho dominante nesse espaço. Costumam se reunir ao entardecer e fazem muito barulho até o cair da noite.
  • O período de reprodução do pardal é entre fevereiro e maio. Nesse meio tempo, o macho constrói o ninho e o oferece a pardaloca para ver se ela gosta.
  • A presença da ave nos centros urbanos tem diminuído bastante e alguns estudiosos apontam para a substituição das casas no térreo por grandes prédios que o pardal não consegue alcançar o topo.

Agora, sempre que você se deparar com esse pequeno animal, saberá mais sobre ele e como foi que o pardal chegou aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *