Home / Curiosidades / Qual A Diferença Entre Pterossauro E Pterodáctilo?

Qual A Diferença Entre Pterossauro E Pterodáctilo?

Para entendermos a diferença entre ambos é preciso levarmos em consideração que estão estritamente ligados ou correlacionados, como seria a melhor definição aqui. Se você não tem muito conhecimento sobre o assunto vai se surpreender com as descobertas que traremos aqui.

Pterossauro x Pterodáctilo

Para que possamos explicar para você a diferença entre ambos, nada melhor do que explicar o que vem a ser cada um deles separadamente. Assim sendo, após o conhecimento do que individualmente são cada um dos dois, a relação entre eles ficará claramente estabelecida.

Pterossauro, Uma Ordem

Pterossauro
Pterossauro

O pterossauro apesar de ter um nome que parece ser de uma espécie é, na verdade, o nome de uma ordem. Isso mesmo, uma ordem extinta há cerca de sessenta e cinco milhões de anos, que contemplava répteis voadores do período Mesozoico. Por Mesozoico temos, em tradução, idade média. O período Mesozoico corresponde aos períodos Triássico (que fora quando os primeiro integrantes da ordem pterossauro surgiram) e finda-se no período Cretáceo (quando ocorreu a extinção em massa dos animais que viviam no planeta -mais expressivamente os dinossauros- por conta da explosão do meteorito que se chocou contra à Terra.

É também no período Cretáceo-Paleogeno que os pterossauros desapareceram.

Ao que tudo indica, os pterossauros (animais que integraram a ordem) acabaram resistindo um determinado período de tempo após a extinção em massa ocasionada pelo meteorito, visto que os registros apontam para o seu desaparecimento entre o período Cretáceo e o período Paleógeno (que foi o período histórico estabelecido após a extinção).

Segundo alguns estudiosos as espécies que integravam a ordem acabaram se diversificando com o tempo. Inicialmente os pterossauros eram animais com mandíbulas repletas de dentes e com a cauda alongada. No momento de transição entre o Cretáceo e o período Paleógeno, as espécies observadas quase não apresentavam dentes e sua mandíbula lembrava bem um bico. Sua cauda também teria encurtado ao longo dos anos.

Curiosamente, as maiores contribuições fósseis para o estudo desta ordem são brasileiras. Os melhores registros fósseis da ordem foram encontrados em Araripe, cidade atualmente com pouco mais de vinte mil habitantes no estado do Ceará.

Por Falarmos Em Fósseis…

O primeiro registro fóssil de pterossauro foi encontrado por Cosimo Collini em 1784. Infelizmente, por conta de um erro histórico Collini registrou o fóssil como sendo de um animal aquático. Somente anos depois, em 1809, Georges Cuvier corrigiu o trabalho do antecessor e registrou o fóssil encontrado como sendo de um réptil voador.

Como não tinha nome Cuvier nomeou a espécie descoberta de acordo com suas características. O fóssil encontrado mostrava que a espécie tinha asas que eram, na verdade, uma membrana corporal que se ligava as patas traseiras. Pensando nisso Cuvier o nomeou como pterodáctilo. O nome vem do grego ptero (asas) e dactilo (dedos).

As asas dos pterossauros eram membranas dérmicas fortalecidas por fibras e ligadas as patas traseiras por meio do quarto dedo que era incrivelmente longo e totalmente desproporcional.

O Pterodáctilo

A partir deste momento você já deve ter percebido a diferença entre pterossauro e pterodáctilo. Pterossauro é uma ordem de répteis voadores em que uma das espécies a integrar a ordem é justamente o pterodáctilo.

O pterodáctilo é uma espécie de réptil voador da ordem pterossauro. Viveu há cerca de cento e cinquenta milhões de anos atrás no período denominado de Jurássico Superior nas regiões que hoje correspondem ao continente africano e europeu.

Segundo estudos era uma espécie carnívora que se alimentava de peixes e pequenos animais que conseguia capturar.

Possuía uma envergadura reduzida quando comparada a outras espécies que integravam a ordem.

Era um animal leve e delicado. Não chegava nem mesmo a dois quilos.

Como comentamos anteriormente, foi encontrado em meados de 1784 na Alemanha e inicialmente foi registrado como o fóssil de um animal aquático.

O pterodáctilo foi o primeiro réptil voador a ser registrado. Os fósseis encontrados estão incrivelmente conservados e em alguns há até mesmo a impressão de tecidos moles.

Com base no estudo destes registros, pesquisadores apostam que os pterossauros adultos possuíam um tipo de crista na cabeça. Infelizmente não há como comprovar assertivamente esta teoria uma vez que todos os fósseis da espécie encontrados estavam em idade juvenil com crista rala ou praticamente inexistente.

Foram encontrados fósseis de pterodáctilo na França, na Tanzânia e também na Inglaterra.

Curiosamente é uma espécie muito conhecida tanto entre a classe de acadêmicos e especialistas quanto pessoas comuns.

Erros Envolvendo A Espécie

A maioria das pessoas acredita que todo e qualquer pterossauro seja um pterodáctilo. Percebemos este erro quando olhos para o filme Pterodactyl – A ameaça Jurássica.

Apesar do nome dado a película os animais mostrados estão mais para o gênero Pteranodon do que um pterodáctilo.

Isso apenas exemplifica um erro muito comum, muitos animais de diferentes gêneros são considerados pterodáctilo mesmo não sendo e inclusive apresentando substanciais diferenças entre os “verdadeiros”, por assim dizer.

No caso do filme que demarcamos aqui, vale ressaltar que um pterodáctilo não seria uma ameaça provável para nós, seres humanos. O pteranodon por sua vez seria.

Algumas Curiosidades…

Se você está conosco até aqui, certamente é porque se interessa pelos dinossauros (a maioria das pessoas pensa que pterodáctilo ou pterossauros são dinossauros quando, na verdade, são répteis). Pensando em agradar te um pouco mais, reunimos aqui algumas curiosidades sobre estes incríveis animais, os dinossauros.

Os dinossauros, pelo menos os verdadeiros dinossauros, foram animais que viveram pelo menos há duzentos e trinta e três milhões de anos atrás e foram por um período superior a cento e cinquenta milhões de anos o grupo animal dominante sobre à Terra.

Apesar dos registros fósseis destes animais terem sido encontrados muito cedo, o termo “dinossauro” só surgiu a partir de mil oitocentos e quarenta e dois, cunhado por Richard Owen. O conceito dinossauro significa nada mais nada menos do que lagarto terrível, embora, como já colocamos aqui, não se trata de répteis. Os dinossauros estão alocados no clado Dinossauria.

De acordo com estudos, haviam na terra mais de quinhentos gêneros diferentes de dinossauros. Ao todo, o número de espécies distintas passava de mil dinossauros não aviários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *