Home / Curiosidades / Qual a Diferença Entre a Cacatua e Calopsita?

Qual a Diferença Entre a Cacatua e Calopsita?

Para os não entendedores de fauna, é uma tarefa difícil saber diferenciar alguns animais dos outros. O que algo comum, afinal, alguns são tão parecidos que fica realmente complicado saber a qual grupo eles pertencem e até se, apesar do nome diferente, tem as mesmas características. 

Neste sentido, é fácil confundir dois bichos: a cacatua e a calopsita. Afinal de contas, elas são a mesma coisa ou não? 

Apesar de pertencerem à mesma família, Psittacidae, e a mesma ordem, Psittaciformes, são indivíduos diferentes. 

Sobre a cacatua 

As cacatuas na verdade mais se parecem com os papagaios por causa do formato de seu bico, que se parece com uma banana, assim como nos pés, que apresentam dois dedos na frente e atrás. Estes lhe dão uma grande capacidade de se locomover. Com estas o indivíduo consegue andar e se pendurar nas árvores, assim como levar alimentos até sua boca. 

Ela também apresenta uma crista móvel, que levanta e abaixa dependendo do seu humor. Quando está eriçado, quer dizer que o animal está animado ou em alerta. Região relaxada, a cacatua está tranquila e feliz. Agora, se o topete estiver deitado, quer dizer que ela está tensa ou demonstrando submissão. 

Detém plumas bem coloridas e uma cauda curta. 

Cacatua
Cacatua 

A criatura está espalhada na Oceania, exclusivamente, principalmente nas florestas da Austrália e em algumas ilhas vizinhas, no Pacífico. Gosta de habitar locais úmidos e com temperaturas altas, comum do seu habitat. Sendo assim, em cativeiro o dono deve proteger o animal de ventos, este pode deixar a ave doente. Nos dias quentes e secos, é ideal borrifar um pouco de água nas asas do indivíduo. 

Ao todo, existem cerca de 20 espécies de cacatuas. 

É uma criatura bem barulhenta, que vive agrupada em grandes bandos.  Alimenta-se principalmente no solo, consumindo semestres e nozes – seu bico permite que ela coma tal elemento. 

O bicho tem uma expectativa de vida de 30 a 75 anos. Pode medir de 35 a 70 centímetros de comprimento. 

É uma ave muito dócil e bem brincalhona, principalmente aquelas adquiridas em cativeiro. Também são inteligentes, aprendendo a cantar, falar, assim como abrir a porta de sua própria gaiola e a agarrar pequenos objetos, como canetas, relógios, pulseiras, cordões e isqueiros. Sendo assim, não pode bobear com a fechadura da sua casa. O ideal é disponibilizar para o bicho alguns brinquedos próprios e até nozes, para entretê-la. 

Tem uma característica de destruir objetos, como móveis, plantas, roupas e até eletrodomésticos e arrancar as próprias pernas quando se sente abandonada pelo dono. O que é de se esperar, já que é um animal que vive em grandes grupos. Para quem quer ter em casa, o recomendável é comprar mais de um.

Cacatua
Cacatua

Reprodução 

A cacatua começa a se reproduzir entre os quatro e cincos anos de idade. A cada ciclo, cerca de dois a cinco ovos são botados. Estes passam por uma incubação que dura um mês. 

No caso desses bichos, o cuidado com os zigotos e dos bebês é feita pelo macho e pela fêmea. O parceiro não só ajuda a chocar os ovos, como também alimenta os filhotes depois que eles nascem. 

Sobre a Calopsita 

Já a calopsita costuma ser mais comum como animal de estimação. É uma ave dócil, com plumas em diversas cores: branco, amarelo, cinza, entre outras. Uma característica desta espécie é a pinta laranja que protege seus ouvidos. Porém, essa marca não é vista nas albinas. No caso dos machos, seu rosto é amarelo com essa marca alaranjada, na fêmea é a mesma coisa, mas a face é cinza com algumas linhas amarelas. Sendo assim, este grupo apresenta dimorfismo sexual. 

Ela também detém uma crista no topo de sua cabeça – que se movimenta igualmente conforme o seu humor – e exibe diversas tonalidades. Detém um comprimento médio de 30 centímetros. Sua cauda tem penas compridas e estas podem ter metade do tamanho do seu corpo, cerca de 30 a 60 centímetros de comprimento. 

Tem um comportamento inquieto, podendo emitir alguns gritos. Mas também é capazes de cantar – assobiar – e até falar algumas palavras, com seu nome e outros adjetivos que escutar com frequência. Tal atividade é mais comum entre os machos, mas alguns casos tal traço já foi visto em algumas fêmeas. 

Calopsita
Calopsita

É uma ave bem resistente a diversos climas. Sua expectativa de vida é de 25 anos se o dono adotar uma alimentação saudável e balanceada. Ela pode comer maçã, milho cozido, bananada e verduras escuras. Para aquelas que não se movimentam muito, o consumo de semente de girassol e linhaça não é recomendado, isso porque o teor de gordura em ambas é alto e ela precisaria voar quilômetros para gastar toda a energia contida nesses alimentos.  

O espaço onde o animal viverá é igualmente importante. É preciso disponibilizar um lugar espaçoso, onde ela possa se exercitar com facilidade.  Ao contrário da cacatua, é mais frequentemente vista em pares ou grupos pequenos. Mas é comum ver centenas agrupadas em torno de uma fonte de água. 

Pode se tornar um problema para os agricultores, pois pode comer toda uma cultura cultivada na sua região. 

A Calopsita também é natural da Austrália, morando em Pântanos, cerrado e terras mato.

Reprodução 

É uma das únicas aves da família Cacatuidae que já está pronta para reproduzir após o primeiro ano de vida. Ela pode copular durante os doze meses, mas é aconselhável que faça isso de duas a três vezes, para evitar a exaustão da criatura. 

A fêmea coloca de quatro a sete ovos. A incubação destes acontece pelos próximos 17 a 22 dias. Na natureza, a reprodução ocorre em épocas de chuva, pois é nesta estação do ano que a oferta de alimento é maior. Já em cativeiro, está deve transcorrer entre a primavera e o verão. Na floresta, a ave monta seu ninho em algum buraco da árvore, normalmente um eucalipto, e este precisa estar próximo a água. 

Como é um animal da Austrália, todos os exemplares que vivem no Brasil foram criadas em cativeiro, em decorrência de uma lei australiana criada em 1994, que proibiu a exportação do bicho. 

Gostou? Não esqueça de compartilhar. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *