Home / Curiosidades / Quais Espécies de Búfalos Existem?

Quais Espécies de Búfalos Existem?

Os búfalos são animais conhecidos popularmente pela produção de queijo, denominado especificamente como queijo de búfalo. Facilmente olhamos um cardápio e entre os ingredientes está este queijo. Ele tem a característica peculiar de ser mais gorduroso e proteico comparado aos queijos mais consumidos e portanto mais comuns, assim como o seu leite. Ademais o búfalo é domesticado para a produção de carne e de couro.

Família Bovidae, Gênero Bubalus

E aí? Você é um dos consumidores de algum destes produtos oriundos do búfalo? Ou prefere os mais comuns oriundos da domesticação de animais como o boi, a vaca, a ovelha, a cabra e até mesmo o bode? Apesar da diferença do búfalo para estes animais citados, eles têm uma característica em comum, são pertencentes a mesma classificação de família biológica, a bovidae, que logo de cara sugere e remete a nomeação de um dos animais pertencentes já citado, o boi.

Já o gênero do búfalo que o classifica biologicamente e mais especificamente é o bubalus, nomeação esta que está presente em todas as suas subespécies, que não são muitas, no total são cinco, além do que todas elas infelizmente estão classificadas atualmente como ameaçadas de extinção, em perigo, em maior ou menor grau. Apresentadas estas informações iniciais, vamos falar mais a fundo sobre cada uma das cinco subespécies.

Búfalos
Búfalos

Búfalo Asiático Ou D’Água

A primeira a citarmos tem o nome científico bubalus bubalis, de nomeação búfalo asiático pelo seu habitat de origem, a Ásia ou búfalo d’Água por se molharem nas águas ou lamas do seu habitat para se refrescarem no calor.

Apesar da sua região específica de origem, por serem habitualmente domesticados, atualmente habitam quase todo o mundo.

Quando vivendo de forma selvagem na natureza e não de forma doméstica, não são nada territoriais como tipicamente muitas espécies de animais, mas também têm seus hábitos, basicamente são matriarcas, ou seja, convivem em grupos compostos de fêmeas e filhotes, que quem comanda é a fêmea mais velha. Sobre a sua aparência, um búfalo asiático ou d’Água mede pouco menos de dois metros e meio a até três metros de comprimento e pesa cerca de mil e duzentos quilos. Seu corpo é composto de cascos, adaptado ao seu hábito de nadar em lamas e águas. Sua alimentação é herbívora, como a de todas as espécies de animais pertencentes a família bovidae e pelo seu hábito aquático, as plantas aquáticas também estão inclusas como seu alimento.

Para além do ambiente aquático, também têm o hábito de pastar, característica também típica de toda a família. Pela sua ameaça de extinção, classificada atualmente como em perigo, são preservados em reservas de regiões onde habitam de forma selvagem, como a Índia, o Nepal, o Butão e a Tailândia.

Mais Quatro Subespécies De Búfalo

A segunda espécie a falarmos é muito parecida com a primeira e pode ser facilmente confundida, a maior diferença é que enquanto a primeira se tornou uma espécie comumente domesticada, a segunda se tornou mais caracteristicamente selvagem. É a espécie de nome científico bubalus arnee ou de nomeações búfalo d’Água selvagem ou búfalo asiático selvagem, como o imaginado, também são originários da Ásia, mas que por serem menos domesticados comparados aos primeiros e mais selvagens não tem a mesma característica de serem tão espalhados geograficamente pelo mundo todo.

A ameaça de extinção da sua espécie é a mesma que a primeira, em perigo de extinção. A terceira espécie de búfalo a falarmos é a de nome científico bubalus depressicornis, de nomeação curiosa búfalo anão da planície, diferente das duas primeiras espécies citadas, são oriundos da Indonésia. A sua ameaça de extinção também é classificada como em perigo. A quarta e a quinta espécie a falarmos tem a mesma origem, as Filipinas. Uma está classificada atualmente como em perigo de extinção, enquanto a outra em perigo crítico.

A primeira espécie citada é referente ao búfalo de nome científico bubalus quarlesi ou de nomeação búfalo anão da montanha e a segunda espécie citada é referente ao búfalo de nome científico bubalus mindorensis ou de nomeação búfalo anão de Mindoro.

Características Gerais

Geralmente todas as espécies de búfalos apresentadas medem cerca de três metros de comprimento, de um metro e meio a quase dois metros de altura e pesam de setecentos a mil e duzentos quilos. Podem ou não possuir chifres que medem até dois metros de altura ou comprimento. Além de terem o hábito de adentrarem as águas de seus habitats, também habitam planícies e pântanos sempre próximos às águas. Como o dito, são herbívoros, portanto se alimentam de plantas aquáticas ou terrestres. Também como o já dito, quando vivendo de forma selvagem na natureza, convivem em grupos compostos por fêmeas e seus filhotes, em que a líder é a fêmea mais velha, assim sendo, são matriarcas mas não são nada territoriais. Estranho pensar qual seria os seus predadores na natureza com seus portes tão grandes e fortes e sua capacidade de defesa com seus compridos, longos e pontiagudos chifres, mas eles existem sim, e como o imaginável, são espécies de animais medonhas e tão grandes e fortes quanto, são os temidos dragões de Komodo, algumas espécies de tigres, outras de crocodilos, leões, leopardos e até hienas.

Búfalos
Búfalos

Uma das informações que não falamos ainda e que você pode estar aguardado, é quanto a sua reprodução, afinal com um estado de conservação tão preocupante, este é um ponto importante para não falarmos. Geralmente sua gestação dura cerca de onze meses e geram somente um filhote por reprodução, que caracteristicamente já nasce pesando cerca de quarenta quilos.

Crias estas que são protegidas de predadores e de outros perigos pelas suas mães matriarcas com unhas e dentes até atingirem a maturidade sexual e independência para se defenderem sozinhos na natureza selvagem, com cerca dos, um tanto tardios, quatro anos de idade.

No mundo há reconhecidas cento e oitenta e duas raças diferentes de búfalo, nos quais apenas quatro são criadas no Brasil. Curiosamente, as fêmeas concentram o seu período reprodutivo, o cio, em um espaço de tempo muito específico e decentralizar isso acaba sendo um dos maiores desafios da criação de búfalo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *