Home / Curiosidades / Quais Bichos São Pragas Para a Plantação?

Quais Bichos São Pragas Para a Plantação?

Já tentou plantar algo em casa, mas não deu certo porque algum bicho acabou comendo a sua plantação? Infelizmente isso é mais comum do que imaginamos, e não acontece somente nessas pequenas hortas em casa, mas também – e principalmente – em plantações de grande escala. Aliás, é por isso que o uso de inseticidas é – infelizmente – muito comum. 

Ao mesmo tempo que se pensa em não afetar o meio ambiente – e o próprio alimento – com o uso desse venenos, o agricultor precisa de um meio para se defender desses vilões que podem destruir o seu lucro do mês. Nestes casos, ele não tem outra alternativa senão usar as substâncias para eliminar essas pragas. 

Está pensando em começar alguma plantação e gostaria de estar a par de quais bichos podem atacar a lavoura? Abaixo listamos as pragas mais comuns no Brasil. 

Inimigos das plantações 

1 – Cochonilhas

Cochonilhas
Cochonilhas

O primeiro vilão da nossa lista recebe esse nome por ser parecido com uma concha. São insetos em tonalidades de amarelo ou marrom. A principais formas de atuação da cochonilha é atacando e sugando as substâncias da planta, normalmente ele faz isso na parte inferior das folhas e também nas fendas. Além de prejudicar a plantação por si só, seu ataque ainda abre brecha para outro inimigo: os fungos. 

As principais vítimas do animal são as rosas. 

2 – Pulgões 

Pulgões
Pulgões

São as pragas mais comuns encontradas nestes locais, e atacam não só lavouras de grande escala, como também aquela hortinha que você tem em casa. Eles são chamados de insetos sugadores. Gostam de atacar, principalmente, botões e brotos de flores. Seu ataque é focado nas extremidades, o que acaba retirando as substâncias da planta. Aparecem principalmente em períodos quentes. 

3 – Lagartas 

Lagarta-elasmo
Lagarta-elasmo

Esse é o bicho mais comum que ataca plantações. Você mesmo já deve ter visto elas na sua pequena horta. Elas se alimentam de brotos, flores e folhas. No caso dos pesticidas usados para combater esse animal, ele não prejudica a qualidade do alimento. 

Ex: Lagarta-elasmo 

Como já dito, as lagartas são as pragas mais comuns das plantações, e uma delas é a Lagarta-elasmo. Ela ataca mais de 60 espécies de vegetais, entre eles a cana, feijão e o milho. Atinge o caule destes construindo túneis em seu interior, o que acaba matando as folhas mais próximas do caule. Quando adulta, também se torna uma mariposa e vive por cerca de 42 dias. Durante esse período, a fêmea bota cerca de 120 ovos. 

4 – Ácaros 

Ácaros
Ácaros

Existem diversas espécies de ácaro, a mais comum é o vermelho. Este ataca, principalmente, as flores. Consomem seus brotos, folhas e pétalas. São mais comuns em locais quentes e secos. 

5 – Nematóides 

Nematóides
Nematóides

São uma espécie de verme que atacam as raízes das plantas. Seu alvo preferido é a Dalila. A melhor forma de impedir que ele ataque sua flor é tratando a terra antes de iniciar a plantação. 

6 – Bemisia tabaci 

Bemisia tabaci
Bemisia tabaci

A mosca-branca já foi vista atacando cerca de 506 espécies de vegetais, entre elas o algodão e o tomate. É uma grande ameaça a agricultura, principalmente aquelas localizadas em regiões temperadas e tropicais. 

Recebe esse nome devido a seu tom esbranquiçado. 

7 – Formiga-saúva 

Formiga-saúva
Formiga-saúva

Ela é considerada por muitos especialistas a pior praga das plantações brasileiras. Também conhecida como saúva, ela causa destruição por onde passa, principalmente em locais de reflorestamento de pinheiros e eucaliptos. Vivem apenas nas Américas. 

8 – Gafanhotos: Locusta migratória e Schistocerca gregaria 

Locusta migratória
Locusta migratória

Essa é quase, literalmente, uma praga saído da Bíblia. Isso porque desde o tempo bíblico é considerado um animal de grande destruição, que ataca em todo o mundo. E dentre as espécies mais destruidoras, essas duas estão no topo da lista. Com direito a cena saída de filme, uma nuvem desse inseto pode consumir 80 toneladas num único dia. 

9 – Percevejo-marrom

Percevejo-marrom
Percevejo-marrom

Conhecido cientificamente como Euschistus heros, ele ataca as vagens da soja. É do tipo traiçoeiro, isso porque ele pode se esconder por cinco meses em meio às folhas mortas, esperando a próxima colheita. É muito comum no norte do Paraná e na região central do Brasil. 

10 – Besouro bicudo 

Besouro bicudo
Besouro bicudo

Também conhecido como Rhynchophorus palmarum ou broca-do-olho-do-coqueiro, esse besouro chega a 6 centímetros de comprimento e se alastra em palmeiras e coqueiros. Ele é atraído para esses locais devido ao cheiro de fermentação liberado pelas plantas doentes ou feridas. É nelas que ele bota seus ovos. As larvas se alimentam das partes suculentas das árvores. Elas cavam diversos buracos ao longo do caule e devoram o “palmito” que fica na parte central do tronco. 

Uma das formas de acabar com essas praga é usado iscas vegetais contaminados com fungos. Estes são embebedados em hormônio e atraem esses bichos que, então, ficam doentes e acabam transmitindo a doença entre si. 

11 – Corós

Corós
Corós

Essa é uma espécie de larva de besouro que come raízes e sementes de plantas como o milho e o trigo, mas também ataca outras partes dos vegetais. Para extermina-lo, é preciso aplicar inseticida nas semestes das plantas. Atuam principalmente no extremo sul do Brasil. 

12 – Larva-alfinete 

Larva-alfinete
Larva-alfinete

A Diabrotica speciosa come raízes do pé do milho. Ela é capaz de matar a planta no começo do seu desenvolvimento ou fazer com que ela cresça curvada, sintoma chamado de pescoço de ganso. 

13 – Larva-angorá

Larva-angorá
Larva-angorá

Esse bicho mal sequer deixa a planta germinar. Ela ataca as sementes do milho ainda na terra. Quando adulta, vira um besouro de 8 centímetros de comprimento que se alimenta de pólen de plantações de milho, sorgo e algodão. 

Ela pode ser encontrada no Paraguai, Argentina e Brasil. 

14 – Broca da cana-de-açúcar 

Broca da cana-de-açúcar
Broca da cana-de-açúcar

Apesar do nome, esse bicho também adoece plantações de milho. Essas larvas perfuram seu caminho até o centro do caule, onde se desenvolve até a fase adulta. Quando chegam neste período, se transformam em mariposas. 

Agora que você está a par de alguns animais que podem atingir sua lavoura, não esqueça de tomar os cuidados necessários antes, durante e depois da plantação. E, caso sofra com alguma dessas pragas, não esqueça de verificar se o pesticida que vai usar é liberado no Brasil e não afeta a qualidade do alimento. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *