Home / Curiosidades / Quais as Cores de Moreia (Animal e Planta) que Existem?

Quais as Cores de Moreia (Animal e Planta) que Existem?

Sempre ressaltamos como a diversidade na fauna brasileira é grande. Aqui podemos encontrar animais que jamais ouvimos falar, mas que são residentes do país. São eles das mais variadas cores e tamanhos. Mas hoje vamos voltar nossos olhares para uma flora, mas não especificamente para uma planta brasileira. 

A moreia (Dietes Iridiodes) é uma vegetação de origem Africana, mas precisamente da África do Sul. Porém, ela tem se tornada famosa no Brasil na área do paisagismo. Ela pode ser encontrada em duas cores: amarela ou branca, e ambas exibem pares de manchas no centro da pétala, uma dentro da outra, em tons de laranja e marrom. 

Da família da Iridaceae, a moréia tem se tornando comum por aqui não só por sua beleza, mas também por demandar pouca atenção de seus donos, o que é ótimo para aquelas pessoas que querem deixar a casa bonita, mas não tem tempo de cuidar das flores todos os dias. 

Moreia
Moreia 

Sobre a moreia 

Ela faz parte de uma família de plantas do filo angiospérmicas e monocotiledôneas, que incluem cerca de 1800 espécies e 80 gêneros diferentes. 

A flor recebe esse nome de Iridaceae por fazer uma referência direta a deusa grega Íris, conhecida por levar as mensagens do Olimpo para a terra caminhando sob um arco-íris. Esta passa as quatro estações com a cor de suas folhas verdes. Ela também pode exibir ervas ou arbustos. 

É do tipo herbácea, com caule mole e flexível e de porte pequeno. É uma flor rizomatosa, ou seja, na sua raiz pode aparecer gemas que darão origem às novas plantas e também entouceira, que facilita a reprodução da moréia. Esta é muito parecida com a iris, mas é considerada mais rústica por não precisar de tantos cuidados, ao contrário da outra mencionada. 

Outro fator que chama muito atenção para esta vegetação é que ela detém uma vida perene, ou seja, sobrevive por longos períodos, tendo um tempo de sobrevivência de dois anos. 

Costuma chegar aos 60 centímetros e 45 de diâmetro. Sua folhagem atinge os 40 cm e ficam dispostas como um leque. A folhagem têm uma textura de couro e um formato de lança. Cada ramificação apresenta de uma a três flores. Sua floração acontece na primavera e no verão, podendo durar até o outono. Claro que isso vai depender da espécie da flor. Neste caso, a amarela é a que floresce nas estações de calor, já a branca prefere as temperaturas frias. Ambas são adaptáveis a climas extremos, ou seja, locais com climas quentes ou frios. 

Apesar de ser endêmica da África e sendo encontrada principalmente por lá, ela também pode ser vista na América do Sul e Central, normalmente em regiões montanhosas e áridas. 

A flor apresenta igualmente uma grande importância econômica para seu país de origem pois, como dito, é muito usada no paisagismo interno e externo, assim como na horticultura. Também são aproveitadas por ter traços aromáticos e terapêuticos. Dentro da sua mesma família estão também a íris, flor leopardo, açafrão, entre outras. 

Cuidados com o cultivo 

Apesar de não demandar muita atenção, alguns cuidados são necessários, como na hora do plantio, por exemplo. Para garantir o crescimento da planta, coloque-a em um solo rico em matérias orgânicos. Isso fará que o seu desenvolvimento seja melhor e que ela cresça mais vistosa. 

Para garantir sua saúde é preciso regá-la em intervalos regulares, mas isso também vai depender da espécie que optou. Essa dica vale para a branca. Além disso é necessário protegê-la de climas adversos e dos insetos, obviamente. 

Para quem quiser adquiri-las, o valor é bem em conta, em torno de R$ 30 reais mais ou menos, então dá para montar um belo jardim com elas. 

Outras plantas baratas e que não precisam de muitos cuidados 

Bambu da fortuna oudracenas 

Ela se adapta bem tanto ao sol quando locais com iluminação artificialmente. Inclusive, o bambu é ideal para quem sempre acaba esquecendo de regar plantas, isso porque sobrevive muito bem ao tempo seco e sem água. O melhor é que ela não murcha. 

Samambaia

É uma ótima opção para quem mora em apartamento, pois esta planta não pode ficar no sol, senão queima suas folhas. Também sobrevive longos períodos sem ser regada e ao ar seco, mas o ideal é molhá-la pelo menos uma vez na semana. 

Cacto mandacaru 

Já esta precisa ficar no sol e em áreas com ventilação. Porém, o cacto resiste meses sem água. Mas, se possível, molhe a terra do vaso a cada 15 dias. 

Aspidistra 

Das mais resistentes, a aspidistra com certeza está no topo da lista. Vive muito bem em diferentes temperaturas, inclusive em calor excessivo ou geadas. 

Kalanchoe 

Pode ficar no sol e não precisa de muito água. Mas é preferível que ela fique em lugares com iluminação natural, como varandas. 

Violetas 

Essa só precisa de água duas vezes na semana, mas é necessário alguns cuidados. Por exemplo, a planta não aguenta luz direta sobre ela e quando for regá-la não molhe nem as flores e nem as folhas, senão ela murcha. 

Orquídeas 

Só precisa ser regada uma vez por semana, e a cada 15 dias quando estiver com flor. Porém, o ideal é fazer esse processo colocando-a embaixo de uma torneira para ela receber água corrente. Também não pode ficar exposta diretamente a luz do sol. 

Avencas e begônias 

Essas duas nem precisam ser regadas diretamente. Basta jogar água no prato do vaso uma vez por semana. A terra deste estará em contato direto com o líquido e absorverá a umidade aos poucos. 

Moreia (peixe) 

Apesar de termos falado da flor, quando se fala sobre moréia normalmente este termo é diretamente ligado ao bicho. 

Ele é um peixe sem nadadeiras ventrais e peitorais, tem um corpo robusto, cilíndrico e alongado, muito parecido com uma cobra. Tem uma coloração que vai do bege ao amarelo-claro, com manchas grandes em tom de marrom ou mesmo preto, o que ajuda o animal a se camuflar muito bem na água. Ele mede até 1,20 metros e ataca quando intrusos invadem seu território. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *