Home / Curiosidades / Quais Aranhas São Venenosas?

Quais Aranhas São Venenosas?

As aranhas constituem um grupo de espécies de artrópodes que forma a ordem Araneae. Essa ordem pertence à classe Arachnida que inclui todos os aracnídeos: carrapatos, escorpiões, opiliões, aranhas e ácaros.

Diversidade e Características Gerais das Aranhas

A ordem Araneae é a segunda mais diversa dentre os Arachnida, apresentando cerca de 35 mil espécies descritas, distribuídas em 110 famílias. A ordem divide-se em três infraordens: Araneomorphae, Mygalomorphae e Mesothelae.

As Araneomorphae constituem quase 90% das espécies de aranhas existentes e apresentam quelíceras em posição vertical e opostas e seis fiandeiras. As espécies da infraordem Mygalomorphae são as aranhas caranguejeiras e apresentam quelíceras paralelas e quatro fiandeiras. Dentre todas as ordens, as espécies da ordem Mesothelae são exclusivas da Ásia, não ocorrendo nos Neotrópicos como todas as outras.

As aranhas ocorrem naturalmente em todos os continentes, com exceção da Antártida, tendo colonizado a maioria dos ambientes terrestres. São animais caracterizados por um corpo compacto, dividido em cefalotórax e abdômen, ambos não segmentados e unidos por um fino pedicelo. Os apêndices anteriores constituem um par de quelíceras com presas terminais através das quais correm dutos de glândulas de veneno, e um par de pedipalpos. As aranhas apresentam quatro pares de pernas e não apresentam antenas.

Aranhas Venenosas
Aranhas Venenosas

Todas as aranhas apresentam hábito alimentar carnívoro e predador, alimentando-se principalmente de insetos. As presas são capturadas e mortas efetivamente por meio das presas e de veneno. Todas as espécies de aranha são venenosas, com exceção das espécies pertencentes à família Uloboridae, único grupo no qual as glândulas de veneno estão ausentes.

As aranhas são criaturas tímidas, não atacam seres humanos deliberamente e, apesar de quase todas as espécies apresentarem veneno, o veneno produzido para matar suas presas é geralmente inofensivo para os seres humanos. Até as aranhas mais venenosas apenas atacam humanos somente quando ameaçadas ou quando defendem seus ovos ou filhotes. Existem, no entanto, algumas espécies cujos venenos possuem consequências graves aos seres humanos, podendo até ser fatal.

Viúva-negra 

A viúva-negra, Latrodectus mactans, é uma espécie de aranha americana, com distribuição no Canadá, Estados Unidos, México, Antilhas e América do Sul. A espécie habita ambientes terrestres, construindo teias próximas ao solo e em locais escuros e protegidos, além de plantas, pedras e troncos. Pode ser encontradas também em tampas de caixas, em pilhas de materiais, inclusive dentro de roupas e sapatos. A viúva-negra é de cor preta brilhante e, normalmente, na parte inferior do abdômen da fêmea há uma marca vermelha ou laranja na forma de ampulheta.

A espécie não é agressiva, mas seu veneno é neurotóxico, bloqueando a transmissão de impulsos nervosos, podendo causar rigidez dolorosa nos músculos da parede abdominal. O veneno raramente é fatal se vítima for tratada adequada e prontamente. A mordida de uma viúva negra é distinguida por uma ferida dupla.

Aranha-reclusa 

A aranha-reclusa, Loxosceles reclusa, ocorre nos Estados Unidos, e é frequentemente encontrada em torno de habitações humanas, ao ar livre sob rochas e cascas de árvores, bem como no interior de casas, galpões e celeiros. As aranhas pertencentes ao gênero Loxosceles são denominadas aranhas-marrons, de forma geral. A espécie tem pouco mais de um centímetro de comprimento, apresenta coloração marrom e tem uma faixa dorsal em forma de violino em seu cefalotórax.

A gravidade da picada da aranha-reclusa pode variar de leve a grave, sendo ocasionalmente fatal. Seu veneno tem ação hemolítica, produzindo morte de tecidos e necrosando as células em torno da punção, produzindo um ponto gangrenado negro e expondo o tecido ao redor. Muitas vezes, a pele começa a se afastar da área ao redor da ferida, expondo os tecidos subjacentes. As feridas demoram a cicatrizar, deixando uma cicatriz.

Aranha-teia-de-funil 

A aranha-teia-de-funil, Atrax robustus, é considerada a espécie de aranha mais perigosa do mundo. É um animal endêmico da Austrália, encontrado apenas dentro de um raio de 160 quilômetros da cidade de Sydney. A espécie habita barrancos sob rochas e madeira e também vive em solo úmido sob as casas. Constroem suas teias que adentram o solo em forma de funil.

Essa espécie de aranha apresenta quelíceras e glândulas de veneno grandes e bem desenvolvidas. Apresenta tonalidade preto-azulado brilhante e comprimento de até 35 mm. É um animal muito agressivo e seu veneno contem um composto inibidor do canal iônico, sendo altamente tóxico para humanos. Se tratado imediatamente, o ataque não será fatal.

Aranha-bananeira 

A aranha-bananeira, Phoneutria phera, é uma espécie com distribuição na América do Sul, sendo encontrada apenas em regiões tropicais, frequentemente habitando folhas de bananeira. É um animal que chega a no máximo cinco centímetros de comprimento de corpo, mas suas pernas se afastam mais de 15 cm e apresenta tonalidade marrom-café.

Essas aranhas apresentam uma postura de defesa agressiva, na qual erguem as pernas dianteiras no ar. São também popularmente conhecidas como armadeiras. O veneno da espécie é neurotóxico, causando sintomas como salivação, batimentos cardíacos irregulares, sudação, diarreia, dentre outros.

Aranha-das-costas-vermelhas 

A aranha-das-costas-vermelhas, Latrodectus hasselti, é uma espécie pertencente ao mesmo gênero da viúva-negra, mas é nativa da Austrália, sendo também encontrada na Nova Zelândia e na maior parte do sudeste da Ásia, incluindo o norte da Índia. A espécie é comumente encontradas em áreas urbanas e suburbanas, preferindo áreas tropicais e temperadas. As fêmeas da espécie são maiores, chegando a 10 mm de comprimento e são tipicamente pretas com uma faixa vermelha na superfície dorsal do abdome e uma mancha vermelha em forma de ampulheta no lado ventral do abdômen.

A aranha das costas vermelhas são uma das aranhas mais perigosas da Austrália. O principal componente tóxico do veneno da espécie afeta os seres humanos de maneira diferente dependendo da quantidade injetada. Quando as picadas causam dor, elas continuam irradiando do ponto de picada por cerca de 24 horas. Casos mais graves incluem inchaço dos gânglios linfáticos, seguidos de sudorese, batimento cardíaco acelerado, vômito, cefaleia e insônia. Fatalidades são raras.

Aranha-da-areia 

A aranha-da-areia corresponde a um grupo de espécies de aranha dentro da família Sicariidae. As espécies da família são nativas da América do Sul e habitam desertos, sendo capazes de se enterrar quase completamente na areia. São animais que atingem até dois centímetros de comprimento e apresentam coloração clara, de quase brancas a marrom-clara. O veneno dessas aranhas apresenta ação hemolítica e necrosante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *