Home / Curiosidades / Pardal-Doméstico: Como Criar? Como Se Locomove?

Pardal-Doméstico: Como Criar? Como Se Locomove?

Está pensando em adquirir um pardal como animal de estimação? Aqui você encontrará dicas para a criação doméstica desta ave que possui as suas características particulares e que tem atraído a atenção de alguns tutores.

Se você duvida, a criação de aves como pets fica atrás somente da criação de gatos e cachorros. Isso mesmo, as aves estão em terceiro lugar entre os animais mais apreciados como pets.

Pardal-Doméstico
Pardal-Doméstico

A Chegada Do Pardal Ao Nosso País

O pardal doméstico também é conhecido como pardal de telhado e o seu nome científico é passer domesticus da família passeridae. Originalmente foi descoberto na região da Europa e do continente asiático sendo introduzido gradativamente em outras localidades como na América tanto na região Norte, quanto na América Central e parte da América do Sul, isso mesmo, o pardal doméstico pode ser encontrado em partes do nosso país. Além das Américas foi introduzido também na África Subsaariana, na Nova Zelândia e na Austrália.

Atualmente é tido como uma das aves com maior distribuição geográfica do mundo, podendo ser encontrado em diversas regiões.

Em relação a sua introdução ao Brasil há uma história curiosa. De acordo com dados históricos, o prefeito do Rio de Janeiro em meados de mil novecentos e cinco,  Francisco Pereira, autorizou que aves trazidas de Portugal fossem soltas na capital carioca. Dando, desta forma, início a esta espécie em nosso país.

Características Físicas Do Pardal Doméstico

O pardal doméstico é uma ave de pequeno porte que integra a paisagem urbana de diversas localidades. Se você vive na Região Sul e Sudeste do nosso país, por exemplo, certamente já deve ter avistado esta ave em seu quintal, ou cozinha. São muito presentes em cidades de localidades onde são encontrados. Possuem um bico forte e é tido como uma ave robusta com aproximadamente cerca de trinta gramas quando adulto.

Como ave vivendo em liberdade pode atingir cerca de sete anos, em cativeiro essa expectativa quase dobra podendo atingir cerca de treze anos.

Possui dimorfismo sexual entre os sexos sendo o macho maior do que as fêmeas, como é comum em diversas espécies diferentes. Mas além do porte outras pequenas características distinguem os dois sexos. Dentre estas características temos a coloração, o macho apresenta suas partes inferiores em tom acinzentado e manchas pretas no tórax e na garganta. Entre os olhos e o bico possui uma macha característica preta que assimila-se a uma máscara. As suas asas possuem a coloração chocolate com algumas manchas brancas e pretas. A fêmea por sua vez possui igualmente as partes inferiores acinzentadas mas as suas asas são em um tom leve de pardo.

O Convívio Humano

Normalmente podem ser vistos se deslocando pelo chão em pequenos pulos onde procuram comida que muitas vezes é oriunda do desperdício humano. Sua alimentação, entretanto, é composta de sementes e insetos que costumam caçar durante o período em que alimenta suas crias visto que este é o alimento oferecido aos recém nascidos. Podem ser facilmente avistados também em parques, jardins e granjas onde a presença humana não o intimida tanto assim, embora sejam assim como toda e qualquer ave, arrisca a estranhos.

Apesar de ser facilmente avistado onde habita o número desta ave tem decaído e muito ao longo dos anos. Ao que tudo indica, na Europa onde foi originalmente descoberto cerca de sessenta por cento desapareceu entre os anos de mil novecentos e oitenta e dois mil e treze. De acordo com pesquisas o desaparecimento gradativo desta ave tem ocorrido dentre outros fatores por conta da escassez de espaços para a construção de seus ninhos, a utilização de pesticidas, a emissão de dióxido de carbono e o aumento de invasores e predadores. Como predadores podemos falar da população de felinos que tem crescido tanto dos gatos domésticos quanto dos gatos de rua.

Infelizmente no Brasil não há dados da população de pardais que gradativamente perdemos ao longo dos últimos anos.

A Reprodução Do Pardal Doméstico

A reprodução deste pardal ocorre mais o menos durante a primavera que é quando o mesmo faz os seus ninhos em brechas encontradas em edifícios, alto dos telhados de nossas residências (por isso o seu nome pelo qual também é conhecido, pardal do telhado) e em troncos de árvores.

Durante o período reprodutivo a fêmea se acasala com um único parceiro no qual vem a colocar cerca de quatro a cinco ovos.

Os ovos são incubados durante um período de dez dias tanto pela futura mamãe quanto pelo papai pardal. A alimentação dos filhotes também ocorre de maneira conjunta onde o macho e a fêmea, ambos dividem a responsabilidade na criação de suas crias que logo passados cerca de dez dias do nascimento já desenvolvem um corpo coberto por plumas.

A título de curiosidade o ninho dos pardais é construído com uma mistura de plumas, galhos e até papel encontrado em suas andanças.

A Criação Doméstica Do Pardal Doméstico

Pesquisando um pouco sobre esta ave não encontramos nada sobre a sua comercialização e consequentemente sua criação doméstica pelo homem. O que nos leva a crer que a criação deste pássaro como ave doméstica não é uma prática comum.

Se você está pensando em começar a criá-lo agora e não o encontrou em nenhum petshop ou casa de ração e está pensando em captura-lo recomendamos que não faça isso. Pássaros que estão acostumados com a sua liberdade podem até mesmo morrer se forem mantidos em cativeiro.

Caso você já tenha um pardal doméstico como animal de estimação e nunca teve problemas ou está começando a criá-lo agora, os cuidados são os mesmos tidos com outras espécies de aves. A gaiola, o comedouro e o bebedouro devem ser limpos diariamente e a gaiola deve ser higienizada mensalmente.

Pardal-Doméstico
Pardal-Doméstico

A alimentação do pardal doméstico é bem simples e variada composta pelo consumo de sementes, frutas e verduras.

No mais não há grandes preocupações em relação a sua criação. Mas caso você tenha capturado a ave e perceba que o mesmo apresenta um comportamento abatido, triste e não tem se alimentado recomendamos que você solte o pássaro. A depressão é uma doença que também acomete as aves e pode ser fatal para as mesmas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *