Home / Curiosidades / O “Pato” Donald é um Pato ou um Marreco?

O “Pato” Donald é um Pato ou um Marreco?

Alguns equívocos são comuns quando falamos do reino animal. O que é normal, com tantas espécies diferentes fica difícil saber tudo sobre elas e, sendo leigo no assunto, é ainda mais complicado saber diferenciar um do outro. O tipo de erro que estamos falando é algo como o fato de muita gente achar que o pônei é um cavalo pequeno, por exemplo. Como inclusive já falamos aqui no site, cada tem suas próprias características e mesmo fazendo parte da mesma família de equino, eles são bichos diferentes. Mas não são apenas os reles mortais que cometem esse tipo de engano, grandes empresas do entretenimento também já se equivocaram quanto a diferenças entre animais da mesma espécie, mas distintas entre si. A maior prova disso é o pato Donald que, na verdade, é um marreco. 

Parece absurdo uma empresa com tantos recursos, inclusive de pesquisa, cometer um erro banal desses, mas, sim, a famosa criação dos estúdios Disney na verdade é um marreco, não um pato, como seu nome sugere. 

Não acredita? Abaixo vamos mostrar a diferença entre os dois e comprovar que, na verdade, o pato Donald é o “marreco Donald”. 

Pato Donald
Pato Donald

Pato Donald: pato ou marreco?

Quem diria que o pato mais famoso do mundo é, na verdade, um marreco. E muito da confusão que acontece se deve a esse erro da Disney. Outra coisa que contribui para essa equívoco entre as espécies é que elas pertencem a mesma ordem: a dos anseriformes da família anatidae. Porém, existem diferenças entre os dois bichos, começando por seus nomes. O pato também é conhecido como cairina moschata. Este indivíduo costuma ser mais gordinho que seu parente. Eles também tem um porte muito maior. 

Originários da América do Sul, os patos não emitem sons altos, tem o torso mais achatado e passa a maior parte do seu tempo numa posição horizontal. Outra diferença entre os dois é o bico, este bicho tem essa região mais fina e pontuda. 

Já os marrecos, também conhecidos como anas boschas, são menores e mais esbeltos que os patos. Estes são do hemisfério norte, dotados de um torso cilíndrico e tem uma postura mais empinada. Isso te lembra alguém? Você também pode identificá-los facilmente pelo bico, que neste é chato e largo. 

Pato de pequim 

Mas acontece que essa confusão não para por aí. Apesar de ter características de marreco, a espécie do pato Donald é intitulado como pato de pequim.  

Este possui pouca habilidade de voo, tem sua origem na Ásia, sendo domesticado na América do norte e na China. Outra característica que comprova que Donald é um marreco é sua cor. Apesar da famosa roupa azul, ele tem penas brancas, comum na espécie, enquanto o pato pode ser encontrado em diversos tons, do preto ao branco. Ele também emite sons, além de ter penas enroladas no rabo, no caso dos machos e a ausência de verrugas (carúnculas) na face. 

E a quem tire vantagem dessa confusão entre as espécies. Muitos vendedores costumam tentar vender marrecos no lugar de patos para os restaurantes, isso porque o primeiro é mais em conta que o segundo. Então, pode ser que aquele prato que você comeu em um restaurante, na verdade, era um marreco e não um pato

E aí, está convencido que o pato Donald na verdade é um marreco? O que não falta são fatos concretos que comprovam isso, mas isso nada afeta o carisma de um dos personagens mais famosos e queridos do estúdio Disney. 

Curiosidades sobre o pato Donald

  • O nome completo do personagem é Donald Fauntleroy Duck. 
  • Foi no começo dos anos 30 que a empresa começou a produzir desenhos animados tendo como inspiração contos infantis. Chamadas de silly simphonies, agradou tanto que começou a ser publicada nos jornais, aos domingos. Foi quadrinizando “A Galinha Sábia” que o cartunista Al Tagliaferro teve sua atenção chamada pelo personagem pato Donald. 
  • O desenho foi ao mundo pela primeira vez no jornal The Sun, em 9 de junho de 1934. Logo em seguida, Tagliaferro, encantado com o personagem, propôs a Roy Disney, irmão de Walt e responsável pela parte comercial da companhia, que tornasse Donald personagem principal de uma série de tiras. Apesar de relutar sobre a ideia no começo, Roy cedeu e, em 1937, pato Donald virou carinha marcada nos jornais dominicais. 
  • Em 1938 a tirinha tornou-se diária e Tagliaferro foi responsável por ela até sua morte, em 1980. Ele também é responsável pela criação dos sobrinhos Zezinho, Huguinho e Luisinho. 
  • Donald já participou de cerca de 200 filmes. Ele até ganhou um Oscar por sua performance em A face de Fuhrer, de 1942. Um curta anti-nazista, no qual joga um tomate no rosto de Adolf Hitler. Essa animação foi eleita o 22° melhor curta da história do cinema americano. 
Pato Donald
Pato Donald
  • Ele também já deu as caras por aqui, em três produções: Alô Amigos (1943), Você já foi à Bahia (1945) e Tempo de Melodia (1948). Em Você já foi à Bahia, Donald atua ao lado de Zé Carioca. 
  • Uma das coisas que tornou o personagem muito conhecido foi sua “voz” muito característica. O responsável por essa característica marcante era Clarence Nash, que foi descoberto pelo próprio Walt Disney nas ruas de Los Angeles. Na época, Nash trabalhava como entregador de leite e fazia imitações para atrair clientes. Em uma dessas performances, Walt viu Clarence incorporando um bebê cabrito esganiçado. Daí surgiu um contrato entre os dois que perdurou por mais de meio século. 
  • A editora Abril foi a responsável pela primeira publicação do gibi no Brasil, em 1950. Essas primeiras edições são tão raras em no início dos anos de 1990 ela foi trocada por um Fusca. 
  • Margarida, a paixão do pato, apareceu pela primeira vez em 1940. Porém, acredita-se que ela na verdade é uma alteração de Donna Duck, outro interesse amoroso de Donald que já tinha aparecido em 1937. 
  • Durante a segunda guerra mundial, os estúdios Disney desenharam cerca de 1200 insígnias para a força aliada. Eram os próprios soldados quem escolhiam o símbolo de sua divisão. O pato Donald foi o campeão de pedidos, aparecendo em cerca de 216 modelos. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *