Home / Curiosidades / O Bicho-preguiça é Realmente Preguiçoso?

O Bicho-preguiça é Realmente Preguiçoso?

Às vezes vocês também se perguntam por que tal animal foi chamado daquele jeito? Se ele foi baseado em uma característica real do indivíduo, por exemplo? Como o mico-leão-dourado, que tem esse nome porque tem pelos meios dourados, ou a borboleta-folha, que se parece com uma folha ou o bicho-preguiça. Neste caso, será que ele realmente é preguiçoso? Bom, descobriremos isso logo mais adiante. 

O bicho-preguiça é realmente preguiçoso?

Você já se perguntou do porquê o bicho-preguiça levar esse nome? Aliás, já se perguntou se ele é realmente preguiçoso? Bom, a resposta é sim e não. Confuso, mas vamos explicar o porquê. Sim, ele é um animal que como dizia aquele personagem do Chaves, gosta de evitar a fadiga, mas ele não é assim porque ele quer. O Bradypus variegatus não tem culpa por ser uma espécie de movimentos lentos. Na verdade, o responsável por isso é o seu metabolismo, que deixa sua movimentação, digestão e respiração em marcha lenta. Seu baixo metabolismo é 70% mais devagar se comparado a outros mamíferos do mesmo tamanho e peso. Mas para quem acha que isso é um problema, está muito enganado. Essa falta de pressa faz parte do seu mecanismo de sobrevivência, que ajuda o animal viver em ótimas condições em seu habitat natural, ou seja, a mata. 

Por ficar tanto tempo numa única posição, normalmente agarrado a um tronco, onde se alimenta e acaba também se camuflando, ele passa despercebido para a maioria dos seus predadores. Então, no final das contas, ser preguiçoso não é tão ruim assim como podemos pensar, principalmente para esse bicho que acaba vivendo mais tempo justamente por não se mexer tanto quanto outros animais. 

Bradypus variegatus
Bradypus variegatus

Poupando energia

Se comparado com outros indivíduos do mesmo porte, o bicho-preguiça realiza apenas 10% dos exercícios que animais do seu tamanho costumam praticar. E o não “desperdício” de energia não para por aí. Ele é devagar até na hora de se alimentar. Esta espécie demora cerca de 30 dias, isso mesmo, um mês para digerir uma única folha. Já imaginou, levar 30 dias inteiros para fazer digestão de um único alimento? É tempo demais. Sua temperatura varia de acordo com o ambiente onde está inserido, o que também o ajuda a poupar energia. Como podemos ver, tudo foi muito bem “planejado” pela natureza. 

Tudo colabora para ele se manter parado 

Por passar boa parte da sua vida parado, o animal acaba criando uma espécie de flora de algas que se espalha por seus pelos e, mais um vez, isso não é uma dificuldade, pelo contrário, além de ajudar na camuflagem, esse musgo serve de alimento para seus filhotes. Os pelos de seu torso também foram “projetados” para fazer com que a água da chuva escorra enquanto o indivíduo está pendurado – sua posição preferida – isto porque estes estão espalhados em sentido da barriga para as costas. 

Alimentação

O bicho-preguiça se alimenta basicamente de alimentos verdes, ou seja, folhas, plantas, brotos, tudo o que pode ser encontrado nas árvores. O que quer dizer que nem para comer ele precisar se movimentar muito. Quanto a hidratação, isso também não é uma grande questão, já que ele não é do tipo que toma muita água. Ele retira a quantidade que precisa beber dos próprios alimentos, sendo assim ele não precisa sair da sua árvore para encontrar água. Aliás, ele não precisa sair dela para quase nada, por este motivo que ele passa cerca de 85% da sua vida pendurado a ela. 

Banheiro 

Pensando que o animal passa 85% da vida parado em uma árvore, você deve ter pensado: e como ele faz com o quesito necessidades fisiológicas? Bom, ele não expele urina ou fezes no seu tronco. Na verdade, essa é uma das poucas ocasiões que faz com que ele tenha que descer da sua “casa”. Porém, como isso é risco para sua vida, ele só o faz uma vez por semana. Sim, o bicho-preguiça só vai ao banheiro uma vez por semana, durante esse tempo ele segura a urina e as fezes até a próxima ida ao toalete. 

Reprodução 

Apesar de serem indivíduos do tipo solitários, isso muda durante a época de reprodução, quando os animais de ambos os sexos se encontram para acasalarem. E, adivinha onde isso acontece? Isso mesmo, nas árvores. A cúpula dura de 3 a 5 minutos. 

Curiosidades sobre o bicho-preguiça

  • Apesar de não se movimentarem muito, a preguiça é uma ótima nadadora. 
  • Elas dormem cerca de 20 horas por dia. Quase um dia todo. 
  • Os testículos dos machos são internos. 
  • No passado, existia uma versão da preguiça com mais de três metros de altura. Elas foram extintas há cerca de 12 mil anos. 
  • Como dito, elas acabam criando musgo no próprio corpo, isso faz com que elas adotem uma tonalidade meio verde. 
  • São animais noturnos, por isso passam a maior parte do dia dormindo junto a algum tronco. 
  • Eles tem garras enormes, que chegam a medir 10 centímetros de comprimento. Essa característica auxilia esses indivíduos na hora de se pendurarem nas árvores. Elas também servem como arma caso esse bicho precise se proteger de algum predador. 
  • A pelagem densa permite que estes se camuflagem junto a folhas secas. 
  • Elas não se movimentam muito bem no chão, por isso preferem sempre estar na copa das árvores. 
  • Estes indivíduos se orientam pelo seu olfato, que é bem apurado. Em contrapartida, tem audição e visão bem ruins. 
  • Fazem parte do filo de mamíferos, com 4 a 6 quilos e medindo até 50 centímetros. 
  • As preguiças vivem de 15 a 20 anos, na natureza. Em cativeiro, essa média pode pular para os 30 anos de idade. 
  • Esses animais vivem nas florestas da América do sul e América Central, como na Mata Atlântica. É possível avistá-las em regiões de mata densa. 
  • Tem sua árvore favorita para passar seus dias pendurado nela. 

Bom, como podemos comprovar, o bicho-preguiça tem esse nome devido a característica físicas, e não é  algo que esteja no controle do animal. Mas, no final das contas, ser preguiçoso acaba lhe trazendo vantagens, então esse modo de viver possibilita que ele tenha uma expectativa de vida muito maior, o que não é nada ruim. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *