Home / Curiosidades / Leptospirose: Transmissão E Tratamento

Leptospirose: Transmissão E Tratamento

Se tem uma doença que é conhecida por nós é a leptospirose, ao menos todo mundo afirma que é transmitida pelos ratos e que é uma patologia clínica grave. Mas e os sintomas? Tratamento? Possíveis complicações? Aí complicamos um pouquinho não é mesmo? Hoje conheceremos um pouco mais sobre esta doença e você saberá como se prevenir, tratar, se tem vacina ou não e afins.

A Leptospirose E O Seu Agente Causador A Leptospira

Como diria um ditado um tanto quanto sem sentido, comecemos pelo princípio. Para começo de conversa, a leptospirose não é transmitida unicamente pelos ratos embora sejam eles os transmissores mais conhecidos. A leptospirose pode ser contraída por nós seres humanos por meio do contato direto ou indireto com a urina de animais, alimento ou solo contaminados (a leptospirose é uma doença causada por uma bactéria chamada leptospira). Apesar destes múltiplos meios de contágio é tida como uma doença rara. No Brasil atinge anualmente cerca apenas de quinze mil pessoas. Como podemos constatar a doença é causada por uma bactéria, ou seja, de ordem bacteriana.

Leptospirose
Leptospirose

A forma de transmissão acontece da seguinte forma, vamos considerar o meio de transmissão mais comum, ou seja, por meio dos ratos. Assim como comentamos, a transmissão por meio dos ratos acontece com o contato com a urina contaminada. A urina dos ratos por sua vez está no esgoto, nos bueiros e em outros locais sob os quais naturalmente não teríamos contato. Com a ocorrência de enchentes que tem se tornado cada vez mais comum este dejeto acaba vindo a superfície. Quando em contato com seres humanos a leptospira entra em nosso organismo por meio da pele, penetrando-a.

Justamente por conta disso, as chances de contrair a doença aumentam significativamente quando o indivíduo entra em contato com a água das chuvas, terrenos baldios com a presença de ratos, lagos e lagoas, rios e lama de esgoto contaminadas com a presença desta bactéria. Tratadores de animais bem como veterinários também podem acabar contraindo a doença por meio do contato com animais doentes e ou contaminados. Tanto bois, quantos cachorros e suínos podem transmitir a doença para nós caso sejam infectados pela bactéria causadora da doença.

Você Conhece Os Sintomas Da Leptospirose?

Bom, agora que conhecemos mais sobre a leptospirose e já sabemos que ela não é causada unicamente por meio do rato vamos conhecer os seus sintomas. Com a identificação precoce dos sintomas o seu tratamento pode ser ainda mais eficaz. Contudo, no caso da leptospirose, os sintomas não são assim tão fáceis de serem identificamos porque se assemelham muito aos de uma gripe, ou dos sintomas da dengue, por exemplo. É comum em um quadro de leptospirose o acometido sofrer com febre, dores de cabeça, dores pelo corpo, em alguns casos vômito, diarreia e tosse. Acreditamos que talvez a característica mais interessante em relação aos sintomas da leptospirose é a dor curiosamente mais forte nas panturrilhas.

Todos estes sintomas se manifestam quando pensamos na forma mais leve da doença. Quando falamos sobre casos graves de leptospirose o enfermo necessita de tratamento médico especializado em tempo integral, assim sendo a internação acaba sendo adotada. Os sintomas para este nível da doença são icterícia (coloração amarelada para os olhos e concomitantemente para a pele), meningite e insuficiência renal, respiratória e/ou hepática. Quadros que como bem sabemos podem levar a morte.

Você deve ter se questionado ao longo deste post se a leptospirose pode ser transmitida entre duas pessoas e a resposta é não. A leptospirose não pode ser transmitida de uma pessoa para outra porque não é contagiosa podendo ser contraída apenas em contato com a urina de animais infectados pela bactéria leptospira.

O Uso De Medicamentos E O Tratamento

Como adiantamos em casos graves o paciente é internado e o seu quadro é monitorado por uma equipe médica preparada para dar todo o suporte necessário para o caso. Em situações onde a doença está controlada e não grave o tratamento pode ser feito em ambulatório com suporte adequado e o uso de medicamentos é prescrito.

Os medicamentos mais utilizados para o quadro são cordox e doxiciclina. O Portal dos Animais ressalta que o nome dos medicamentos tem caráter unicamente informativo. O portal ainda reitera que no caso da leptospirose em questão, a automedicação pode agravar a doença e prejudicar o tratamento adequado. Somente um profissional habilitado poderá determinar o melhor fármaco, a dosagem satisfatória, bem como o período do tratamento para efetiva eliminação da bactéria leptospira.

Formas De Prevenção

A melhor forma de prevenção sem dúvida é evitando o contato com água de enchentes ou mesmo lama. Para profissionais que trabalham com a limpeza de galerias, esgoto e afins o indicado como material de segurança é o uso de botas e luvas durante a execução dos trabalhos. Para os animais de estimação há ainda a vacina contra a leptospirose mas a mesma apenas evita que o animal adoeça mas não tem ação de modo a evitar que a doença seja transmitida a nós.

Outra forma mais ampla de prevenção é o controle da população de ratos e isto pode ser feito por meio da adoção de atitudes simples tais como: manter o lixo a ser descartado acondicionado em sacos plásticos ou latas tampadas e longe do chão para evitar fácil acesso destes animais, colocar o lixo para fora de casa pouco antes da equipe de coleta passar para recolhê-lo, manter fendas e outros buracos tampados para evitar que os ratos entre em sua residência, além de verificar se os ralos estão com tampas pesadas de difícil remoção. Por conta da gravidade todo cuidado é pouco quando falamos de leptospirose.

Outras dicas dizem respeito a evitar a infestação de ratos, para isso ao anoitecer recolha os restos de alimento deixados pelos pets em suas vasilhas de alimentação, guarde os alimentos em recipientes bem fechados. Terrenos baldios devem ser mantidos sempre capinados e limpos. Pode até não parecer mas apenas manter a ordem e a limpeza da casa já ajudam a evitar a presença de ratos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.