Home / Curiosidades / Insetos Diferentes: Nomes e Imagens

Insetos Diferentes: Nomes e Imagens

Os insetos são artrópodes pertencentes ao subfilo Hexapoda que, por sua vez, compreende a classe Insecta e outros três grupos menores (Collembola, Protura e Diplura). Os Hexapoda apresentam em comum um plano corpóreo dividido em cabeça, tórax e abdômen, três pares de pernas, um par de antenas, um conjunto de três aparelhos bucais (mandíbula, maxila e lábio), sistema de trocas gasosas composto por traqueia e espiráculos e podem ou não apresentar asas. Os Hexapoda são fundamentalmente terrestres e os grupos que habitam ambientes aquáticos atualmente invadiram essas regiões secundariamente por meio de adaptações comportamentais e modificações do sistema de trocas de gasosas.

Insetos Diferentes
Insetos Diferentes

A linhagem mais diversa dentre os Hexapoda corresponde aos insetos. São o maior grupo dentre os artrópodes e habitam quase todos os ambientes terrestres e de água doce e, mais raramente, podem até ser encontrados na superfície marinha e em regiões litorâneas. Os insetos podem sobreviver em locais muito inóspitos e pouco prováveis, como desertos, pântanos, fontes de enxofre, córregos glaciais, montanhas muito altas e lagoas de salmora.

Os insetos estão entre os principais predadores de outros invertebrados e constituem a principal biomassa na dieta de muitos animais terrestres. São fundamentais nas cadeias alimentares e apresentam um papel essencial na polinização. Sem os insetos a vida como conhecemos hoje provavelmente nem existiria. Alguns insetos apresentam importância médica por serem vetores de doenças endêmicas e epidêmicas. Esse grupo é incrivelmente abundante: estima-se que para cada humano existem aproximadamente 200 milhões de insetos. Em uma floresta tropical, por exemplo, os inseto constituem cerca de 40% da biomassa animal.

Insetos Estranhos
Insetos Estranhos

Os insetos constituem o grupo mais diverso, inclusive dentre todos os animais. Estima-se que exista um número de espécies de insetos que varia de 890 mil a quase um milhão. Esse número parece crescer gradualmente, uma vez que, a cada ano, cerca de 3 mil espécies novas são descritas e estima-se que o número de espécies ainda não conhecidas e não descritas pode chegar a 100 milhões. Essa rica diversidade de insetos parece ser o resultado de uma combinação de características vantajosas, coevolução com as plantas, capacidade reprodutiva, tamanho reduzido, o surgimento das asas e a capacidade de voar, dentre outras características.

Dentre toda essa diversidade, existem vários grupos de insetos que são muito comuns aos nossos olhos. Convivemos diariamente com formigas, abelhas, moscas, pernilongos, besouros, mas a combinação de uma série de características resultou na existência de algumas espécies fantasticamente incomuns, como os exemplos a seguir.

O Besouro Girafa 

O Trachelophorus girafa é um besouro e, portanto, pertencente à ordem Coleoptera, família Attelabidae. É um animal endêmico de florestas tropicais da ilha de Madagascar. Apresentam corpo preto com asas vermelhas bem distintivas e uma curiosa extensão do tórax que aparenta um pescoço muito comprido. Esses insetos apresentam dimorfismo sexual, sendo que os machos apresentam o pescoço com comprimento de duas a três vezes o pescoço das fêmeas. O pescoço diferenciado é o resultado adaptativo da existência de lutas e displays na época de corte e acasalamento e também de cuidado com a construção dos ninhos. As fêmeas da espécie seguram e enrolam uma folha em seu pescoço, formando um tubo e colocam um único ovo dentro dessa estrutura.

A Cicada Brasileira 

Bocydium globulare pertence à ordem Hemiptera, sendo parente dos percevejos, cigarras e cigarrinhas. Apresenta um aparato acima do tórax muito semelhante às hélices de um helicóptero, cheio de ornamentações, mas essa estrutura apresenta uma diversidade morfológica muito grande dentro da espécie. Estudos apontam que essa estrutura esquisita constitui uma adaptação evolutiva relacionada com defesa contra predadores. O gênero no qual a espécie pertence é cosmopolita, estando distribuído no mundo todo, mas essa espécie é exclusivamente brasileira.

O Louva-a-Deus Rei 

Idolomantis diabólica é um louva-a-Deus gigante, com cores incríveis variando entre vermelho, branco, azul, roxo e preto. Pertence à ordem Mantodea, família Empusidae e é nativo do continente Africano, podendo ser encontrado na Ethiopia, Kenya, Malawi, Somalia, Tanzania, Sudão e Uganda. São predadores de topo e utilizam de mimetismo como auxílio na busca de alimento: sua morfologia é modificada, de forma que muitas projeções do seu corpo o façam parecer uma flor ou folhas, dependendo da cor apresentada. O animal fica parado, à espreita, apenas aguardando suas presas pousarem.

A Borboleta Das Asas de Vidro 

A Greta oto, ou borboleta transparente, pertence à ordem Lepidoptera, família Nymphalidae. É uma espécie que não possui escamas coloridas como as demais espécies de borboletas, sendo que o tecido entre as nervuras das suas asas é transparente, fazendo com que pareçam quase invisíveis. É uma espécie rara, originária do continente Americano, podendo ser encontrada em florestas tropicais úmidas de remotas regiões do México, da América Central, Colômbia e Venezuela. Tem um comportamento de realizar longas migrações e, apesar do aspecto frágil, é muito resistente e capaz de carregar objetos cerca de 40 vezes mais pesados que o seu corpo.

O Escaravelho-Sagrado do Egito 

O Scarabaeus sacer é um coleóptero, ou seja, um besouro, pertencente à subfamília Scarabaeidae. Sua morfologia não chega a impressionar, uma vez que apresenta características comuns aos demais besouros. No entanto, apresenta um comportamento muito peculiar, razão de seu outro nome popular: besouro do esterco ou besouro rola-bosta. Esses animais possuem o hábito de confeccionar porções de fezes, principalmente de mamíferos, rolando-as no sedimento, para serem utilizadas como alimento ou ninhos. Essa espécie é originária da região do Mediterrâneo, vivendo em dunas e brejos. Curiosamente, eram muito populares no Antigo Egito, sendo considerados amuletos, sendo utilizados com inscrições gravadas na sua carapaça dura ou ilustrados em objetos com forma de escaravelhos.

A Mariposa Beija-Flor

Macroglossum stellatarum pode enganar os mais desatentos: quando se olha rapidamente, essa mariposa pode nos confundir, pois parece um beija-flor. Essa mariposa pertence à ordem Lepidoptera e à família Sphingidae. A semelhança é devido à sua morfologia diferenciada, com a presença de uma trompa bastante comprida pela qual se alimenta de néctar das flores e um abdômen robusto com a extremidade em forma de leque. Além disso, apresenta um comportamento no qual paira no ar em frente às flores e emite um ruído semelhante ao de um beija-flor. Essa espécie é originária do norte de Portugal ao Japão, mas é típica de regiões mais quentes da Europa e norte da África, residindo nos trópicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *