Home / Curiosidades / Diferenças Entre Vespas Sociais e Solitárias

Diferenças Entre Vespas Sociais e Solitárias

Vespa ou marimbondo é um termo genérico para todos os insetos da ordem Hymenoptera. A característica principal deste grupo é a presença de asas formadas a partir de membranas finíssimas, como o nome possa sugerir.

Nessa ordem, as vespas podem ser divididas em dois grandes grupos: vespas sociais e vespas solitárias. Apesar de compartilharem muitas características entre si, suas diferenças também são grandes.

Hoje aprenderemos um pouco mais sobre esses belos e mortais insetos. Além de enumerar as características principais da ordem, como um todo, vamos elencar o que diferencia um grupo do outro. Confira logo abaixo.

Vespas
Vespas

Como São Classificadas As Vespas?

As vespas são animais pertencentes ao filo Arthropoda, sendo chamados de artrópodes. Os artrópodes têm como característica principal o seu exoesqueleto, ou seja, o esqueleto localizado do lado externo do corpo. Como pertencem a classe dos insetos, as vespas possuem um exoesqueleto feito de quitina, que lhe confere um aspecto lustroso.

Como dito na introdução, as vespas são as representantes da ordem Hymenoptera, que quer dizer, literalmente, asas em forma de membrana. Esse grupo também inclui formigas, abelhas e outras 115 mil espécies de insetos, sendo a ordem mais numerosa dentre os insetos. Só de vespas, são 30 mil.

Dentro da classe, encontramos três famílias de vespas: os masarídeos, os eumenídeos e os vespídeos, que são os mais numerosos, em quantidade de indivíduos. A espécie mais popular de vespídeos é a caçununga (Stelopolybia vicina). Este inseto social é capaz de elaborar ninhos enormes, para abrigar suas extensas colônias.

Quais São As Características Principais Das Vespas?

Basicamente, as vespas são todos os insetos com asas formadas por membranas, que não se classificam como abelhas ou formigas. Muitas vezes confundidas com abelhas, as vespas apresentam as pontas dos abdômens mais baixas e o pecíolo (a popular cintura) mais estreita, marcando mais a separação do abdômen e do tórax.

Com insetos, estas possuem o corpo segmentado em três partes: cabeça, onde são localizados os principais órgãos sensoriais, como olhos multifacetados e antenas; o tórax, onde são ligados os 3 pares de pernas e dois pares de asas; e o abdômen, que abriga diversos órgãos vitais ao animal.

O tamanho das vespas tende a ficar entre 1 cm a 1,5 cm, com corpo, geralmente amarelo com listras pretas. Entretanto, podem apresentar-se em tons avermelhados, marrons ou azuis metálicos. Também possuem um ferrão capaz de inocular veneno, podendo este ser nocivo ou não ao ser humano.

O veneno das vespas só surte efeito em pessoas que possuem alergia a este, o que corresponde a cerca de 1% da população mundial. Esta alergia tem base genética e pode variar, ou desaparecer ao longo da vida. Os sintomas podem incluir coceira, vermelhidão, inchaço na região picada ou na garganta, impedindo a passagem de ar.

Picadas em pessoas são comuns, por conta do alto grau de interação entre vespas e seres humanos, fenômeno que é chamado de sinantropismo. Não raro encontramos colônias de vespas sociais estabelecidas em prédios e casas, em perfeita associação com estas.

Hábitos Sociais Das Vespas Solitárias e Das Vespas Sociais 

Os dois grandes grupos em que podemos dividir as vespas são as vespas sociais e as vespas solitárias, sendo este último o mais numeroso.

As vespas sociais respondem por somente 1000 espécies das 30 mil representantes da ordem. Dentre suas características principais está a habilidade de construir maravilhosos abrigos. Seus representantes mais conhecidos são a vespa comum e a jaqueta-amarela.

Os ninhos das vespas sociais são compostos de uma mistura de saliva e celulose das plantas, conferindo ao abrigo um aspecto semelhante a papel machê ou papelão ondulado.

Esse abrigo é formado pela rainha, após o inverno. Esta deixa o abrigo onde hibernou e, após a construção do ninho, deposita, em cada uma de suas células um ovo, que eclodirá em uma nova larva de vespa. Após isso, as larvas tecem, elas mesmas, casulos em trono de si, para eclodirem, após apenas 10 dias, como operárias adultas, completamente adultas e estéreis.

Vespas Solitárias
Vespas Solitárias

No fim do verão, ocorre outro processo, semelhante a este. A rainha põe uma quantidade menor de ovos em seu abrigo. Estes são os que darão origem a machos e fitiras rainhas, férteis e aptos a iniciarem novas colônias.

Por outro lado, as vespas solitárias não constroem abrigos ou colônias. Dentre seus membros mais conhecidos estão as vespas matadoras de cigarras (Sphecius speciosus) e o marimbondo-caçador, nome dado a diversas espécies, possuindo, também, outros nomes populares.

As vespas solitárias, para abrigarem-se, constroem ninhos individuais, utilizando-se de lama e saliva, por vezes misturando seixos. Esses ninhos ficam ao ar livre, no tronco de árvores, em madeiras de construções ou na própria terra.

Vespas Sociais 
Vespas Sociais

As vespas solitárias são maiores que as vespas sociais, podendo alcançar quase 4 centímetros de comprimento. Isso se deu através de seleção natural, visto que as vespas sociais menores, conseguiriam montar colônias completas em menor tempo, para abrigar insetos menores. As vespas solitárias mais fortes, por outro lado, sobreviveram mais tempo que as menores, gerando mais descendentes.

Vespas solitárias também se reproduzem de forma diferentes. Atacam outros insetos ou aracnídeos, paralisando-os com veneno e levando-os ao ninho. Lá, depositam um ovo, no corpo, ainda vivo da vítima e sela o abrigo. A larva, quando eclodir, se alimentará do inseto moribundo até chegar à fase de casulo, que dura de 2 a 8 semanas. Depois, abandona o ninho e reinicia o ciclo.

O uso dos ferrões também é diferente entre as vespas sociais e as solitárias. As vespas sociais o utilizam apenas para defesa, contra predadores. As solitárias o usam como arma ativa para a caça de outros animais, mesmo maiores. Diferentemente das abelhas, as vespas não morrem ao usarem seus ferrões.

Funções Ecológicas Das Vespas

As vespas, em sua maioria, são parasitas ou predadoras. Isso lhes garante um importante papel na ecologia do ambiente onde estão inseridas, pois agem no controle de pragas, evitando que uma espécie se multiplique demais, ameaçando a existência das demais.

Outra função importante de algumas vespas é a polinização de algumas plantas, com flores. Um exemplo bem claro é o da figueira, que tem suas flores polinizadas pela Blastophaga psenes (vespa-figo).

As vespas alimentam-se do sumo das frutas e de néctar, preferindo as frutas mais suculentas. Por isso, alguns produtores tendem a espremer o suco de uma fruta em outra ou em um cacho, para direcionar todas as vespas para aquele ponto, diminuindo as perdas de sua produção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *