Home / Curiosidades / Diferença Entre Perereca e Rã

Diferença Entre Perereca e Rã

Quem nunca ouviu de forma leiga que a rã é a fêmea do macho sapo quando a pessoa é perguntada sobre? Pois é, aposto que você também já, esta falta de conhecimento é muito comum. Mas esta informação não é uma verdade. Fato é que a rã é uma espécie de animal, o sapo outra e a perereca mais outra independente do seu sexo. Mas então qual seria a diferença entre a perereca e a rã? E porque não falarmos também dos sapos? Vamos te apresentar neste texto um pouco sobre o mundo de cada um destes animais com suas diferenças e suas semelhanças.

Sapo, Perereca e Rã
Sapo, Perereca e Rã

Corda Vocal E Seu Uso: Perereca E Rã

Tanto as rãs, os sapos e as pererecas são da ordem anuro, classificação biológica esta que inclui os anfíbios que tem a característica de não possuir cauda. Mas não se engane por esta única classificação, ela abrange muitas famílias com características peculiares. Curiosamente de acordo com a história, esta é a primeira ordem de animais terrestres com corda vocal.

Característica esta que no caso destes três anfíbios é usada somente pelos machos, com o objetivo de atrair as fêmeas para o acasalamento no período reprodutivo e consequentemente reprodução. A fêmea se interessa pelo macho que soltar o coaxe mais alto. Uma curiosidade muito peculiar quanto a isto é que existem os machos oportunistas que se escondem atrás dos machos que coaxam mais alto com o objetivo de enganar a fêmea e se passar pelo dono do alto som soltado pelas suas cordas vocais, oportunismo que pode tanto enganar a fêmea ou não. Doideira, não é mesmo? Nem os animais estão livres de oportunismos na sua convivência.

Sapo, Perereca e Rã
Sapo, Perereca e Rã

Respondendo À Pergunta…

Bom, respondendo a primeira pergunta do texto, a principal diferença entre a perereca e a rã são as patas com membranas e ventanas da primeira. Característica esta que a faz ter a habilidade de nadar nas águas do seu habitat com as suas membranas entre os seus dedos, que formam uma espécie de nadadeira e se prender em superfícies quando saltam ou escalam, especialmente as árvores, que fazem parte do seu habitat. E aí está a segunda diferença entre ela e a rã, a primeira habita árvores, enquanto a segunda não. Mas não pense que por esta diferença seus habitats estão assim tão distantes, ambas habitam habitats úmidos, característica típica de anfíbios. A diferença nisto é que a primeira habita habitats úmidos com vegetações, já que o mesmo inclui árvores, como dissemos, como córregos, por exemplo. Já as rãs habitam habitats úmidos de água doce, como rios, riachos, lagos e lagoas.

Perereca E Rã Controle Natural De Pragas E Insetos

Sobre suas alimentações, compatível com o seu habitat, como é comum com todo animal, a primeira se alimenta de pequenos invertebrados como insetos e aranhas, já a rã, carnívoras como é, se alimenta de pequenos animais como insetos e vermes que capturam com muita habilidade com sua língua comprida e ágil. Como vimos, tanto seus habitats quanto suas alimentações são bem parecidos. Alimentação esta que é muito importante para o controle de pragas e insetos no ecossistema.

A ordem anuro habitam todo o mundo e são abundantes em suas populações, mas ações humanas como a poluição colocam a sua sobrevivência em risco, o que já extinguiu muitas espécies, infelizmente. No caso das rãs, um fator que também coloca a sobrevivência das suas espécies em risco, é o consumo da sua carne por algumas pessoas. Atualmente existem mais de doze espécies de rãs, em que a ranidae é uma delas, a família das espécies de rãs verdadeiras. Dadas as principais diferenças e semelhanças entre perereca e rã, vamos falar um pouquinho sobre os sapos, que justamente, não podem ficar de fora.

E A Diferença Da perereca, Da Rã E Do Sapo?

A princípio, a perereca e a rã têm a pele mais úmida, o que causa certo nojo em algumas pessoas, já o sapo têm a pele mais seca, compatível com o seu habitat seco. Os sapos habitam as águas habituais da perereca e da rã, mais especificamente lagos e lagoas somente quando se reproduzem.

Além de sua pele diferenciada, tem o porte mais volumoso, o que torna seu salto característico dos três animais, menos flexível, enquanto as rãs, por exemplo, podem atingir o salto de até um metro de distância. Além do nojo, um outro sentimento que estes três animais podem gerar comumente em algumas pessoas é medo, o que é irracional, pois apesar deles possuírem glândulas pararoides que contêm veneno, eles só são liberados quando pressionados, como quando são mordidos por seus predadores. No Brasil o sapo mais conhecido é o da espécie cururu, não a toa, há aquela música tão popular que ouvimos e cantamos geralmente nas creches quando somos crianças: Sapo cururu, na beira do rio… se lembrou? Se sim, você é uma destas pessoas que fez parte disto assim como nós.

Sapo
Sapo

E o que os fazem anfíbios? Sua respiração cutânea, que libera substâncias e secreções que mantém suas peles lubrificadas, o que como já citamos, é motivo de repulsa para a maioria das pessoas. Se você é uma das pessoas que têm este tipo de sentimento por estes ou por um destes animais, saiba que não há motivo e que antes de tomar alguma atitude mais drástica se sentindo ameaçado, ele não está afim de fazer mal nenhum a você. Foi só o azar dos seus caminhos se cruzarem. Lembrando que o matando você estará prejudicando o ecossistema, mais uma vez, eles são importantíssimos para o controle de pragas e insetos. Vamos agora falar sobre as suas reproduções curiosas. Afinal, falando em águas, seja doce, rio, riacho, lago ou lagoa, quem são os girinos? São justamente os filhotes dos sapo, perereca e rã que ainda vão se desenvolver. Seus ovos são postos diretamente nas águas dos seus habitats ou no caso da perereca, em folhagens, postura esta que permite o seu acesso à água assim que seus ovos são eclodidos. E aí? Ficou claro para você a pergunta tema deste texto? Esperemos que sim.

Diferenças e semelhanças a parte, fato é que todo animal tem sua importância na natureza e independente dos sentimentos que cause nas pessoas, seja por preconceito ou não, têm direito a vida e a liberdade, sem que nenhum ser humano se ache no direito de colocar a sua vida em risco sem se responsabilizar por seus sentimentos, seja por nojo, repulsa ou até mesmo medo, como é no caso destes três conhecidos anfíbios.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.