Home / Curiosidades / Curiosidades Sobre o Bacalhau

Curiosidades Sobre o Bacalhau

O bacalhau é um dos peixes mais apreciados pelos brasileiros. Ele é muito consumido  no período de quaresma e na Páscoa. Esse peixe também é um dos alimentos mais comercializados nas celebrações de fim de ano, como Natal e Réveillon.

Bacalhau Peixe
Bacalhau Peixe

Mas você sabia que “bacalhau” não é o nome de um só peixe específico? Na verdade, o nome é utilizado para denominar outras espécies de peixes que são classificadas em vários gêneros. O bacalhau considerado o mais legítimo entre as espécies do Atlântico é o chamado Gadus morhua, o Cod. Ele vive nas águas frias do Hemisfério Norte, nos mares do Canadá e Noruega. O Cod é também chamado de Bacalhau Porto e de Imperial. Outras três espécies que também são comercializadas como bacalhau são o Saithe, o Ling e o Zarbo.

Separamos para você algumas curiosidades sobre esse peixe.

Bacalhau Peixe
Bacalhau Peixe

Confira:

  • O costume de comer bacalhau na Quaresma e no domingo de Pácoa veio da tradição católica. A Igreja proibia o consumo de carne como forma de sacrifício pelo que Cristo fez pela humanidade. O peixe, dessa forma, substituía a carne nos pratos dos católicos nesse período e se tornou a escolha principal.
  • Acredita-se que a escolha pelo bacalhau, no lugar de qualquer outro peixe liberado pela Igreja, se deu por se tratar de um alimento que tem uma durabilidade maior. Além disso, ele pode ser transportado por longas viagens e armazenado por mais tempo.

  • Esse peixe é rico em minerais e vitaminas, além de grande versatilidade no preparo de deliciosas receitas.
  • A versão salgada do bacalhau é a mais consumida e já é produzida há mais de 500 anos, desde a época das grandes navegações. Antes de existir a refrigeração, houve a necessidade de preservar o peixe para aguentar as longas jornadas. As técnicas de secagem e salga deixaram o alimento mais saboroso.
  • Apesar disso, há alguns registros de que o bacalhau, sem salgar, já era preparado por vikings no século 9.
  • O processo de dessalga, se feito corretamente, pode aumentar o tamanho do bacalhau em até 20%.
  • Especialistas em culinária aconselham dessalgar o bacalhau dentro da geladeira, pois assim ele ficará tenro e consistente. Na água gelada, o bacalhau não deixará cheiro; mas, fora da geladeira, o pescado deixará cheiro forte e corre o risco de pré-cozinhar e estragar.
Pesca de Bacalhau
Pesca de Bacalhau
  • O bacalhau não deve ser fervido, a não ser que isso faça parte da receita. A fervura tende a alterar o paladar e ressecar o peixe. A preparação ideal é em fogo brando, sem borbulhar.
  • O ideal para retirar a pele do seu pescado é quando ele ainda está salgado e seco. Levante a pele em uma das extremidades e retire com puxadas firmes. Após o cozimento, essa pele sairá com relativa facilidade. O momento seguinte é o ideal para retirar as espinhas, enquanto se desfia o bacalhau.
  • O primeiro povo a consumir e comercializar o bacalhau salgado foi o basco. Antes, ele era apenas deixado para secar ao sol, o que não garantia uma longa durabilidade à carne.
  • Reza a lenda que, em Portugal, há mais de 365 maneiras de cozinhar bacalhau, uma para cada dia do ano.

  • O peixe também é bastante comum na região da Galícia, na Espanha, e nas colônias portuguesas de Cabo Verde, Angola, Macau e no Brasil, é claro. Em menor intensidade, ele também é encontrado nas tradições gastronômicas da República Dominicana e de Porto Rico.
  • Ao chegar a fase adulta, o principal destino dos cardumes de Bacalhau é o Arquipélago de Lofoten, na região noroeste do mar da Noruega, onde são realizadas as maiores pescarias de bacalhau no mundo.
  • A cidade de Aalesund, na Noruega, é conhecida como a capital mundial do Bacalhau. Nela se encontram as maiores indústrias de transformação e um dos principais portos de exportação.
  • As importadoras fazem a viagem do bacalhau em containers refrigerados entre 2º e 5º C em uma transição de duas a três semanas.
Bacalhau Gigante
Bacalhau Gigante
  • O Brasil consome 30% do bacalhau pescado na Noruega. Em quilos, isso dá 18 mil toneladas por ano.
  • O bacalhau foi introduzido no Brasil no século 19 pela corte de D. João VI.
  • O peixe pode viver até 20 anos e chega a atingir 1,80 metro.
  • O bacalhau corresponde a cerca de 10% da indústria de peixes do mundo.
  • Uma porção de bacalhau contém 13 gramas de proteína e 58 calorias, das quais apenas 4 provêm de gorduras.
  • O alimento também é fonte de vitamina C, D, B6 e B12.
Bacalhau da Amazônia
Bacalhau da Amazônia
  • Apesar de ser chamado de bacalhau do Porto, esse tipo de peixe praticamente não existe na costa portuguesa e muito menos na cidade de Porto. O peixe é, na verdade, pescado nas águas frias da Noruega e, depois de salgado, transportado para Portugal. O Porto é um importante centro de comércio de bacalhau.
  • Na região do Amazonas, o Pirarucu (Arapaima gigas) é conhecido também como “bacalhau-da-amazônia”.
  • Do final de inverno até a primavera, os bacalhaus adultos formam grupos de desova. As fêmeas libertam os seus ovos várias vezes, enquanto os machos competem para fertilizá-los. Após fertilizados, os ovos são arrastados pelas correntes oceânicas e se transformam em larvas. Uma fêmea jovem chega a pôr 500 mil ovos, mas apenas 1% consegue sobreviver aos intemperismos.

  • Ele costuma habitar águas rasas, sendo facilmente encontrado a 35 metros de profundidade. Em períodos de reprodução, ele migra para águas ainda mais rasas e calmas perto da costa e desova em locais mais quentes.
  • Durante muito tempo, o bacalhau foi um alimento barato e fazia parte do cardápio das camadas populares. Depois da 2ª Guerra Mundial, houve uma escassez de alimentos, especialmente na Europa. A consequência disso foi aumento no preço do bacalhau e restrição do consumo popular.
  • Os bolinhos de bacalhau ou pastéis de bacalhau são uma especialidade da culinária do Mediterrâneo, encontrada na Espanha, Itália, França e Portugal. No entanto, é muito popular tanto em Portugal, quanto no Brasil e Angola.
  • A primeira receita oficial do bolinho de bacalhau data de 1904, em um livro chamado Tratado de Cozinha e Copa, de Carlos Bandeira de Melo, um oficial do exército português.

Fotos de Bacalhau 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *