Home / Curiosidades / Curiosidades do Sapo Cururu/Comum: Habitat, Respiração e Nome Científico

Curiosidades do Sapo Cururu/Comum: Habitat, Respiração e Nome Científico

As denominações sapo comum, cururu e boi são dadas aos anfíbios da família Bufonidae, do gênero Rhinella e incluem a espécie Rhinella icterica. É o indivíduo mais comum no Brasil e, por este motivo, está fortemente presente em cantigas, contos infantis, entre outros. 

O bicho pode ser encontrado em diversas regiões brasileiras, como no centro-oeste, sul e sudeste, bem como ao leste do Paraguai e no norte da Argentina. Isso acontece por ele ser um animal muito versátil quando o assunto é habitat, sendo possível vê-lo em diversos biomas, como áreas do cerrado e florestas da Amazônia. Também é podemos avistá-lo em locais modificados pelos homens, principalmente aquelas com iluminação artificial, isso porque este atrai insetos, a comida preferida do sapo. 

Sapo Cururu
Sapo Cururu

Características 

A espécie é considerada grande, tem corpo largo e avantajado. Porém, os machos são menores e mais “finos”, medindo até 13 centímetros de comprimento. Mas as fêmeas chegam aos 16 centímetros. Além do sexo, é possível diferenciá-los com algumas características. Por exemplo, o sapo de sexo masculino tem o torso em tom amarelo esverdeado – daí o nome icterica, que advém da coloração amarelada -. Já as fêmeas são bicolores, tendo o corpo bege com manchas marrom ou preto e com uma faixa também em bege. Quando estão na fase jovem, este tem a mistura de cores de ambos os sexos, com o dorso manchado e em tom verde oliva, com a região ventral de ambos os sexos em branco, lembrando o mármore. Sua crista cefálica é bem protuberante, com pele áspera e rugosa  – isso acontece devido a presença de glândulas cutâneas.

Na fase de girino, esse anfíbio tem um torso bem pequeno, entre 9 a 10 mm, e corpo e cauda preta. Normalmente é comum encontrá-los em grande quantidade neste estágio da vida. 

Respiração 

Por apresentarem duas fases de vida, o tipo de respiração do sapo muda conforme esse estágio. 

No período larval, onde vive em ambiente aquático, esse anfíbio realiza respiração branquial. Já na idade adulta, onde vive em terra, ele tem respiração cutânea e pulmonar.

Corpo  

Por sua aparência, alguns podem acreditar que a pele do sapo é umida, mas, na verdade, ele é seca. Além de ser vascularizada e deter glândulas. Não possuem pelos ou escamas. 

Sua pele fina facilita a troca de gases e consequentemente, sua respiração cutânea. Por todas essas características é que sapo precisa viver em ambientes úmidos e com sombra – o contato com o sol faz com que sua pele fique ressecada e, por isso, muitos anfíbios têm hábitos noturnos. 

Sua habitat não só influencia na sua qualidade de vida, como também na sua sobrevivência, isso porque o ambiente interfere na coloração do bicho, que auxilia na sua defesa contra predadores. Outros, porém, são coloridos e chamativos e, em alguns casos, quer dizer que estes são venenosos. 

Sua pele, além do veneno, possui substâncias que ajudam esse bicho a se defender não só de predadores, mas também de bactérias e fungos. 

Habitat 

Esses indivíduos são encontrados em diversas partes do mundo e em grande quantidade, menos em locais frios. Em geral, eles preferem lugares úmidos e próximos de lagoas, riachos, brejos e igarapés. E esta escolha é óbvia: como já dito, eles possuem pele seca e isso requer que eles habitem lugares com água. 

Alimentação 

Os sapos se alimentam de besouros, aranhas, gafanhotos, moscas, formigas e cupins. Algumas espécies maiores chegam a consumir pássaros de porte pequeno e até outros sapatos. 

Quem já viu filme ou mesmo algum programa do Discovery Channel sabe como este bicho se alimenta: por meio de sua longa e fina língua, que é extremamente ágil. Além disso, ela é pegajosa, fazendo com que os animais fiquem presos nela até que ele esteja dentro da boca do bicho.

Um fato curioso sobre sua alimentação, é que o sapo fecha os olhos no momento que engole a comida. Isso acontece porque sua visão é grande e os globos oculares são forçados para a cavidade bucal, auxiliando o alimento a ser empurrado para além da garganta. 

Sapo Comum
Sapo Comum

Reprodução dos sapos 

A primeira fase da reprodução acontece quando os machos cantam para atrair as fêmeas. Em algumas espécies, é por meio deles que a fêmea escolhe seu pretendente, optando por aquele com o coachar mais forte. 

Ao abraçar a sua parceira, processo chamado de amplexo, acontece a liberação dos gametas na água. Os animais realizam fecundação externa. 

Depois de um tempo, os ovos liberam os girinos, que se transformam em adultos em miniatura, e migram para o ambiente terrestre. Essa transformação varia de espécie para espécie, podendo levar dias ou meses. 

A característica mais sobressalente na mutação é a perda da cauda, que se transformam em pernas. E foi justamente isso que permitiu que os animais vivessem na terra, sendo uma importante conquista em questões de evolução. 

Sapos venenosos 

Lembra que comentamos sobre os sapos venenosos? Aqui vão algumas espécies: 

Phyllomedusa bicolor: indivíduo extremamente venenoso. A substância pode causar nos humanos diarréia, vômito e taquicardia. Ele é encontrado na Amazônia. 

Dendrobates leucomelas: normalmente habita rochas e pedras. O veneno fica sob a pele. 

Phyllobates terribilis: encontrado na Colômbia, é um dos sapos mais venenosos do mundo. E existe quem não dê nada para esse bichinho de apenas 5 centímetros. 

Phyllobates bicolor: já foi responsável pela morte de seres humanos. Ele é nativo da Colômbia. 

Curiosidades

  • Seu coachar é uma herança de família – genética – e é passado de uma geração para a outra. Não precisa ser ensinado. 
  • Um sapo adulto consome, por dia, 3 xícaras cheias de moscas. 
  • As substâncias presentes na pele do sapo, que os protegem de bactérias e fungos, possibilita que nós, humanos, não fiquemos doentes caso tenhamos contato com eles. Na verdade, isso é mais provável acontecer no toque com animais de estimação, como cães ou gatos. 

Apesar de não ser uma espécie que corra risco de extinção, alguns lugares já apresentam diminuição na população, em decorrência da drenagem de lagoas ou poluição causadas pelo homem. 

 

E você, gosta de sapos? Provavelmente não. Mas eles são bem interessantes, não? Não esqueça de compartilhar nas redes sociais. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *