Home / Curiosidades / Curiosidades do Castor: Barragem, Toca e Alimentação

Curiosidades do Castor: Barragem, Toca e Alimentação

Esse animal, de corpo peludo e feições simpáticas, é um roedor de vida aquática e terrestre, que vive tanto na Europa, quanto na América do Norte. Eles estão entre os animais mais interessantes do mundo, por conta de seus hábitos únicos. Hoje, conheceremos um pouco mais deles:

Castor
Castor

Classificação e Localização dos Castores

Estes são membros do gênero Castor, único remanescente da família Castoridae. O gênero também é pouco diverso, contando, hoje em dia, com apenas duas espécies: o castor-da-eurásia (Castor fiber) e o castor-americano (Castor canadensis). Estes são endêmicos do hemisfério norte.

Entretanto, no final do Cone Sul, em regiões do Chile e Argentina, estes são encontrados, por conta da introdução pelo homem. De fato, os castores-da-eurásia, são descendentes de castores americanos e asiáticos, também introduzidos artificialmente.

Apesar de guardarem muitas semelhanças, exames genéticos nas duas espécies, revelaram um número diferente de cromossomos, não sendo possível, então, o cruzamento entre estas.

Quais As Características Mais Marcantes dos Castores?

O corpo dos castores, apesar da aparência de animal de estimação, é bastante forte e compacto, apresentando a musculatura mais desenvolvida na parte posterior. Seu focinho, curto e arredondado, lhe confere a aparência de estar sempre sorrindo.

Seus pelos são castanho escuros, podendo, em certos pontos, serem cinzentos. A cor dos pelos do castor, inclusive, já foi batizada como castor, de tão característica que é. No centro do corpo do animal, a pelagem tende a ser mais clara.

Existem pelagens de diversas cores, variando de tons mais escuros até o branco com manchas escuras, que é a mais incomum.

Os pelos da ponta de sua cauda são compridos. Porém, a maior parte desta é nua, revestida por uma grossa camada de pele, semelhante a escamas.

Suas minúsculas orelhas, tão pequenas quanto seus olhos, são notadas muito raramente. Os olhos são, também, recobertos por uma terceira pálpebra, que protege e limpa os olhos, além de prevenir contra infecções. Infelizmente, isso pode prejudicar sua visão, que é compensada pelos excelentes olfato e audição.

Suas patas são, relativamente, curtas e dotas de fortes garras, em seus 5 dedos, que o auxiliam enquanto cava.

Habilidades em Natação

Os castores são mamíferos que levam uma vida anfíbia, logo estes roedores são capazes de viver em terra e ficarem debaixo d’água por, até 15 minutos. Isso porque suas narinas e orelhas conseguem se fechar, para evitar que e a água entre, causando afogamento e infecções.

No entanto, por respirar por meio de pulmões, estes animais precisam, a cada 15 minutos, voltar à superfície para respirar.

O Que Era o Óleo de Castor?

Os mais velhos podem se lembrar de um purgante que se dizia a base de óleo de castor. O mais surpreendente é que ele, de fato, era a base de óleo de castor.

O óleo é secretado, tanto por machos quanto por fêmeas, por uma glândula próxima ao ânus do animal, apresentando uma coloração entre o vermelho e o castanho.

Hábitos Alimentares

Castores, como muitos mamíferos são animais que comem apenas vegetais, sobretudo cascas de árvores que crescem próximas a rios. Isso pois os castores são muito habilidosos em cortar madeira com seus dentes poderosos.

Castores tendem a comer as cascas das árvores enquanto estão coletando madeira para a construção de suas tocas, podendo, assim, realizar duas atividades ao mesmo tempo.

Um Corpo Adaptado Para Fazer Várias Tarefas

Eles podem chegar a 80 cm. Apesar de pequenos, seus apêndices escondem diversas funções. Suas patas dianteiras e dentes poderosos podem realizar várias obras brutas ou refinadas.

Sua cauda, também possui várias funções. Entre elas: ajudá-lo a nadar, atuando como leme; sustentar seu peso, quando este apoia-se nas patas traseiras; e servir para sinalizar o perigo.

Verdadeiros Construtores

Dentre as muitas habilidades do castor, está a construção, elaborando complexas tocas e barragens nos rios em que vivem. Essas obras são, em sua maioria, feitas com troncos de árvores. O primeiro passo que estes tomam é a construção de uma represa, gerando, assim um lago artificial no rio.

Como Funciona A Barragem?

Esta começa quando castor começa a empilhar troncos de árvores, para separar sua toca do curso d’água. Depois, ele inicia a feitura da casa, propriamente dita, com pedaços de tronco e galhos, moldados e trançados com suas patas e dentes.

Barragem dos Castores
Barragem dos Castores

Como é A Toca de Um Castor?

Depois de pronta a casa pode ficar às margens do rio ou como uma ilha, em meio às águas. Nessa casa, as paredes serão revestidas com lama, aplicada com suas patas traseiras, deixando as paredes com 30 cm de espessura.

Para se verem livres de predadores, a entrada da toca é submersa, através de um ou mais túneis na parte de baixo da casa.

Na parte de dentro, também, podem existir divisões. Dentre os possíveis cômodos, podem haver antecâmaras para a secagem do pelo. Outras câmaras incluem um espaço para os filhotes e outro para a alimentação.

Essas tocas, com até 6 m de diâmetro, podem abrigar até 8 castores. Casas estas que, raramente serão abandonadas. A não ser que as tocas sejam destruídas ou invadidas, estas serão para toda a vida dos castores.

Hábitos Sociais dos Castores

Assim como sias casas são para toda a vida, seus relacionamentos também são perenes. Os pais tendem a cuidar dos filhotes até um ou dois anos de vida, quando estes já atingem a idade para constituir a própria toca e família.

Filhotes estes que, apesar de nascerem cegos, já possuem o corpo todo coberto de pelos escuros. O período de reprodução dos castores costuma ser no início do inverno, com poucas variações, ao redor do globo.

Importância Histórica dos Castores

Além de serem, juntamente ao homem, os únicos animais capazes de mudar seu ambiente, os castores também possuem grande valor histórico, na expansão do oeste dos EUA e Canadá.

Isso pois as migrações para estas regiões foram motivadas por caçadores em busca das valiosas peles do roedor. Infelizmente, a caça desenfreada acarretou no desaparecimento de castores em vários pontos da América e da Europa. Isso motivou algumas das primeiras leis de proteção a animais e restrição do mundo.

Essas leis ajudam a preservar as duas espécies remanescentes de castores, embora o castor-californiano tenha sido caçado até a extinção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *