Home / Curiosidades / Curiosidades das Aves: Voo e Alimentação

Curiosidades das Aves: Voo e Alimentação

Aves Marinhas matam sede com água salgada?

Já se perguntou alguma vez como as aves marinhas que ficam em alto-mar por meses bebem água salgada sem sofrer das complicações que um humano teria caso fizesse o mesmo? A resposta para essa pergunta se encontra num par de glândulas que ficam debaixo dos olhos das aves, chamadas de glândulas de sal e são elas que garantem a sobrevivência destas aves. O sal entra na corrente sanguínea assim que essas ingerem a água do mar e na sequência ele é conduzido às glândulas para filtragem. A estrutura desses microórgãos é bem parecida com a dos rins. Através de capilares localizados ao lado de células secretoras, que têm a função de dessalinização, o sangue entra neles e são essas células que extraem o sal e o passam para tubos secretores conectados à cavidade nasal, sendo eliminados pelas narinas em seguida, em forma de líquido. Por esse motivo é possível ver uma mancha branca na região do bico do pássaro.

Porque os pinguins tem asas se não podem voar?

As asas dos pinguins, diferentemente da maioria das aves, não servem para que eles possam voar, mas sim para dar um impulso debaixo d’água. Elas são na verdade, nadadeiras bem eficientes, com penas muito parecidas com as escamas dos répteis – estruturas que fazem com que elas funcionem como verdadeiros remos. As asas retornam junto às laterais do corpo depois que empurram a água, reduzindo o atrito e levando o animal a aproveitar ao máximo o impulso obtido. Pinguins são aves campeãs em velocidade na água devido a essa característica, o que permite a eles capturar peixes e perseguir cardumes com uma margem alta de sucesso. Pinguins possuem um tipo pequeno de pena, que também é único, essas recobrem seu corpo inteiro e servem para protegê-lo das temperaturas baixíssimas polares, isso além de ajudar durante o nado como já foi dito. Entre as 18 espécies existentes desse pássaro, a maioria habita o continente gelado da Antártida. O pinguim-de-galápagos é uma das raras exceções, encontrado na região equatorial.

Porque os Papagaios falam?

Segundo o ornitólogo Jacques Veillard, da Unicamp a habilidade de imitar outras espécies está relacionada a necessidade de trocar informações. Na natureza os papagaios, que apresentam inteligência acima da média, vivem em grupo e contam ainda com um aparelho fonador especial, têm esse costume e quando passam a viver em cativeiro, compensam isso reproduzindo palavras repetidas pelas pessoas e sons domésticos. A facilidade em reproduzir a voz humana está na diferenciação do timbre da voz deles, que é menos assobiada, aguda e rápida que a de outras aves e inclui harmônicos e modulações suaves, comuns à fala humana. Há ainda a anatomia do bico, que turbina o som e o palato e a língua, que o fazem reverberar e sair mais potente.

Outras Espécies que Também Conseguem Imitar

Papagaio-verdadeiro (Amazona aestiva) – além de falar, ele imita sons domésticos, como o toque do telefone e canta;

Mainá (Gracula religiosa) – esse é encontrado na Índia e além de imitar a voz de outras aves, reproduz pequenas frases;

Arara-Azul – essa tem facilidade para aprender frases curtas;

Corrupião – ele é comum no Nordeste e tem a habilidade de aprender trechos de música, como acordes do Hino Nacional.

O papagaio-cinza-africano tem 35 cm de altura, vive nos mangues da África e um exemplar da espécie, chamado N’kisi, fala mais de 900 palavras.

Porque a galinha bota ovo de duas gemas?

Se você já passou pela experiência de quebrar um ovo para cozinha-lo e quando o abriu percebeu duas gemas, de certa ficou surpreso de início e é bem provável que tenha feito a si mesmo a seguinte pergunta: “será que ovos com duas gemas geram dois pintinhos?”. A resposta é que sim, pelo menos em tese, mas o que vemos na prática é que nenhum dos dois acabam sobrevivendo. Em um post anterior sobre o design dos ovos vimos que o formato oval faz com que o pintinho fique apoiado na extremidade menor dos dois polos, com o bico voltado para a extremidade maior onde há uma espécie de câmara de ar, sendo natural que dirija o bico para tal extremidade onde fica essa camarada, para que dessa maneira possa fazer sua primeira respiração pulmonar.

Ovo de Duas Gemas
Ovo de Duas Gemas

Tal câmara é suficiente para completar o ciclo pulmonar de um pintinho, mas insuficiente para dois, pois seu espaço tem o tamanho ideal para a cabeça de um deles, o que faz com que ambos acabem morrendo em 99% dos casos. Essa informação quem nos conta é o zootecnista Edvaldo Garcia. A dupla gestação é consequência de uma irregularidade no ciclo hormonal das galinhas, e a câmara citada nada mais é que uma membrana. O órgão reprodutor das aves tem o formato de um funil e a gema onde o óvulo está se solta do ovário e cai no mesmo, onde encontra a clara. Quando duas gemas são liberadas pelo ovário, ocorre a irregularidade hormonal. Gema e clara são embaladas pela casca na parte final do órgão reprodutor, formando então o ovo.

Ovo de Codorna

“Eu quero ovo de codorna pra comer… o meu problema ele tem que resolver!”. Luiz Gonzaga, o rei do baião imortalizou os versos de Severino Ramos que é de onde veio o primeiro registro do “poder milagroso” do ovo de codorna para levantar a moral do homem. Ainda não se sabe de onde o compositor tirou a inspiração para dizer isso. Especula-se que seja por causa das características precoces da ave, que bota ovos de forma muito mais abundante que as demais aves e eles foram até mesmo fonte de alimentação vietnamita durante a guerra contra os EUA, principalmente por causa da facilidade de armazenamento.

Ovo de Codorna
Ovo de Codorna

Voltando ao lance “afrodisíaco”, cientistas discordam dos versos, já que não há estudo que comprove a eficiência do ovo de codorna como alternativa natural ao Viagra. Independente de como for, é um alimento de fácil digestão e rico em minerais fundamentais para o organismo, como o cobre, cálcio, fósforo, ferro e manganês, além de uma impressionante bateria de vitaminas.

O Pica-Pau se Alimenta de Madeira?

É claro que não! Esse simpático animal que inspirou a estrela de um desenho animado tem um ouvido pra lá de aguçado, sendo capaz de encontrar larvas de cupins, formigas e outros insetos mais apenas escutando o barulho deles se mexendo dentro do tronco das árvores. O pássaro fura a madeira no ponto exato onde está sua refeição, arriscando ainda algumas bicadas para explorar o terreno. É também através da batida do bico que ele consegue localizar espaços ocos onde a probabilidade de se conseguir alimento é maior, isso nos conta o ornitólogo Luís Fábio Silveira, da USP.

Pica Pau Animal
Pica Pau Animal

O pássaro conta ainda com uma língua pegajosa e é através dela que ele captura os insetos depois de furar a madeira. Diferentemente da maioria dos pássaros, ele não canta, porém emite um piado característico. Estima-se que haja cerca de 180 espécies de pica-paus no mundo. A maior delas chega a atingir 36 centímetros de comprimento e a pesar 200 gramas, é o pica-pau-rei, uma entre as muitas espécies no país. Existem algumas características que o ajudam a dar várias bicadas por minuto sem ficar tonto: o crânio, por exemplo, é espesso e tem espaços internos, o que além de garantir resistência, ajuda a absorver o impacto do movimentar da cabeça.

Tóquio foi invadida por Periquitos na Década de 70

A capital do Japão é uma imensa e pulsante marcha urbana com centenas de quilômetros de linhas de trem e metrô, dezenas de edifícios espetaculares onde matrizes de multinacionais enviam ordens a todo o planeta e milhares de pessoas andam de lá para cá, estamos falando de uma das maiores megalópoles do planeta. Apesar desse cenário que figura-se caótico, as ruas são incólumes, quase nenhum motorista toca a buzina e existe um respeito velado pelo próximo.

Periquitos 
Periquitos

A Invasão de Periquitos 

A capital foi invadida, não por um tsunami, elementos de uma guerra e tampouco por monstros, mas sim por uma horda de periquitos. Foi na década de 70 que a cidade começou a ser ocupada, quando as aves foram trazidas como bichos de estimação. A população destes cresceu bsatante depois de muitas solturas indeviadas e agora ocupa as ruas da megalópole. Yoshinori Mizutani, fotógrafo que leva jeito para cliques, se impressionou bastante com a presença das aves em sua primeira visita à capital, ele conta que teve a sensação de estar preso no filme “Os Pássaros de Hitchcock”. Depois que se acostumou com a visão sempre presente desses pequenos pássaros ao seu redor, ele começou a fotografá-los. Suas imagens destacam as cores dos pássaros que em uma camuflagem perfeita se fundem com as folhas das árvores. Como forma de destacá-los da paisagem, Mizutani usa o flash, deixando o verde das plumas ainda mais brilhante. É impressionante ver essa invasão tropical em Tóquio, que tem o costume de se preocupar com todo tipo de ataque, dos mais nocivos aos mais fantásticos.

Dá para hipnotizar Galinhas com um risco no chão

Se você já viu o truque sabe o quanto ele é interessante, se não viu, há um vídeo abaixo. Há quem diga que isso acontece porque elas se sentem ameaçadas de morte e ficam paralisadas, no entanto, existe um truque que está na mão do autor segurando o pescoço do bicho enquanto desenha e é a origem do estresse. Subjugada, a ave se sente em perigo e entra em estado catatônico, resultado da imobilidade tônica, que é o último recurso de algumas espécies sob ameaça de um predador. A tática é se fingir de morta para desviar a atenção do predador, já que a contenção física a impede de correr, bater as asas ou bicar para se defender, o que acaba diminuindo o interesse dele. O primeiro registro do truque está no livro Mirabile Experimentum de Imaginatione Gaillinae, de 1646 do alemão Athanasius Kircher.

Curiosidades sobre o romance no galinheiro

A galinha levanta a cauda quando o galo parte para cima dela, o que facilita o contato entre as cloacas – saídas dos sistemas digestivo, urinário e genital das aves. Quando o macho deposita seus espermatozóides na fêmea, ele fecunda o ovo, que fica “galado”. O motivo de a casca ser oval é porque o óvulo desce em espiral pelo oviduto. Esse formato ajuda também na hora da saída, já que a ponta abre caminho. A forma oval orienta o pintinho para quebrar a ponta mais larga do ovo, atingindo assim um bolsão de ar para respirar antes de sair. Na hora de nascer o pintinho empurra a cabeça na direção da casca e a arma secreta é uma estrutura afiada de queratina que cresce na parte de cima do bico, que cai dias depois que o pintinho sai do ovo. Outra curiosidade é que a temperatura precisa ser constante para o embrião se desenvolver, cerca de 37,8°C e na época de chocar, a circulação de sangue aumenta na placa e a galinha chega a ficar febril.

Romance no Galinheiro
Romance no Galinheiro

Voa Beija Flor

Não é sobre o sertanejão de sucesso que iremos falar, mas sim sobre o voo gracioso dessa ave, que se você já teve a oportunidade de reparar em um, pode ver que ele consegue ficar suspenso no ar, já se perguntou como ele faz isso? Ele consegue bater as asas até 80 vezes por segundo, velocidade muito maior que a de outros pássaros e que garante sua agilidade, mas não é esse o real segredo. O que acontece é que diferentemente de outras aves, ele move suas asas na horizontal, para frente e para trás, e não para cima e para baixo como as outras aves e como a ligação dessa asa com o corpo não é rígida, ela pode ser revirada como se fosse uma hélice. Dessa maneira, redemoinhos de ar se formam de maneira semelhante a de um helicóptero, mantendo o pássaro pairando.

Aves Não Tem Dentes

De acordo com teorias evolucionistas que explicam tal fenômeno, os dentes em aves não são mais necessários já que os tais perderam sua função e deram lugar ao bico, que é um prolongamento das maxilas – ossos responsáveis pela movimentação da boca. O Archaeopteryx, um antepassado desses animais, viveu há cerca de 150 milhões de anos e esse sim tinha dentes bem desenvolvidos, mas que foram perdendo sua função até que chegamos às aves como a conhecemos hoje, isso a algumas dezenas de milhões de anos. O interessante é que as aves engolem a refeição inteira ao invés de triturar a comida na boca e para compensar a falta da mastigação, são dotadas de um sistema digestivo poderoso, que conta com dois estômagos: o proventrículo, que é o químico, este começa a dissolver o alimento e também a moela, que destroça mecanicamente tudo o que sobrou da refeição. Só depois disso é que a comida segue para o intestino e é absorvida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.