Home / Curiosidades / Como o Siri se Alimenta? Quantas Pernas Ele Tem?

Como o Siri se Alimenta? Quantas Pernas Ele Tem?

O Brasil provavelmente tem o maior número de variedade de animais, isso graças ao clima que é propício para o desenvolvimento de várias espécies, sejam elas plantas ou bichos. Aqui temos florestas tropicais, Caatinga, Cerrado, rios, mares e manguezais. E hoje vamos justamente falar de um morador os mangues, o siri. Além de habitarem neste local, ele também pode ser visto nas praias, e ainda fazem parte da dieta alimentar de muitas famílias ribeirinhas. O que quer dizer que além de ter uma importância ecológica – toda criatura tem – ele ainda afeta a economia dessas pessoas que dependem dele para sobreviverem. É por isso que a preservação de toda e qualquer espécie é muito importante. Ao contribuir com o desaparecimento de algum bicho, as consequências são vistas não só na mesa dessas famílias, mas no próprio ecossistema onde eles estão inseridos, mudando todo o funcionamento daquele local. 

Bom, esclarecido a importância do siri e de todos os animais do nosso ecossistema, voltemos às suas características. Vez ou outra – na verdade, em diversas ocasiões – ele é confundido com o caranguejo. O que é normal, já que eles possuem alguns traços comuns, mas, quando se saber identificar as diferenças, você consegue perceber as distinções entre ambos. Mas, antes de falarmos disso, vamos saber como o siri de alimenta?!

Como o siri se alimenta 

O siri é considerado um crustáceos oportunista e generalista, além de carnívoro. O que quer dizer que ele não tem preferência de comida, come o que vê pela frente, e se alimenta de outros animais. Sua dieta é composta de outros crustáceos – menores -, moluscos e outras espécies, como peixes, especialmente mortos, com a carne já em decomposição. Por este motivo, ele é chamado de urubu-do-mar. 

Para capturar e comer sua presa, ele usa uma de suas dez patas, que sofreu modificações justamente com esse intuito. Com sua garra, ele captura e segura sua comida, podendo, assim, comer. 

Agora, voltemos às suas características físicas. 

Características do siri 

O siri se encaixa na classificação de artrópode, o que pode soar meio estranho, já que no mesmo grupo podemos encontrar abelhas e aranhas, por exemplo. Mas é justamente para separar animais tão diferentes entre si é que existem os subfilos. Desta forma, ele faz parte do grupo de crustáceos, como dito anteriormente. 

Ele também integra o conjunto dos Decápodes, ou seja, bichos com dez patas – o que responde a pergunta do título de quantos membros locomotivos o siri possui -. E é justamente nessa região que podemos enxergar as diferenças entre siris e caranguejos. No primeiro, o último par de patas tem um formato de nadadeira, enquanto no segundo todas são iguais. 

Essa modificação evolutiva permiti que o animal se movimente em ambientes terrestres, além de torná-lo um bom nadador, diferente do caranguejo que, devido a ausência desse traço, fica confinado ao solo. 

Aliás, essa habilidade de poder transitar em dois habitats diferentes é de grande ajuda no quesito sobrevivência já que, quando se sente ameaçado em local, pode se esconder no outro, com facilidade. 

Siri Animal
Siri Animal

Voltando as suas patas, ele detém um conjunto de 5 pares, chamado também de apêndices. Mas usa apenas quatro para se locomover. O primeiro par tem algumas funções específicas: ela é utilizada para defesa, caça e também manuseio dos alimentos, como dito anteriormente. Estás têm um formato de pinça, e é maior que os outros membros. Normalmente está é a parte preferida de quem consome siri, precisamente por ser o local com mais presença de carne. 

Como a maioria dos crustáceos, exibe a presença de carapaça de quitina, que o protege dos predadores. Por este motivo, seu crescimento acontece de forma abrupta, e não gradativamente. Quando acontece a ecdise, a troca desse “casco” duro, ele aumenta seu tamanho de forma significativa. E quanto maior for a disponibilidade de alimento para o siri, mais vezes ele precisará mudar de carapaça, até finalmente chegar numa idade onde a alteração não mais aconteça. 

Seu corpo e sua cabeça tem um formato achatado, com o tórax se fundindo com o crânio, formando uma única porção. 

É possível observar uma variedade de cores no siri, isso vai variar de espécie a espécie. No Brasil, por exemplo, a grande maioria tem uma coloração branca, mas isso muda de acordo com o habitat do animal. Podemos avistar indivíduos nas cores vermelha, azul, entre outras. 

Habitat 

Como existe um número considerável de siris, é normal que o tipo de habitat mude conforme as características do animal. Por isso também é possível vê-lo em várias partes do mundo. O quer dizer que ele consegue se adaptar a diferentes tipos de clima. 

Ele tem a capacidade de viver tanto em regiões marinhas, como em estuários – local de de transição entre rio e o mar -. No Brasil é comum avistá-lo na areia das praias, aliás, um dos fatores que influência o animal a morar em determinado local – como este – é a salinidade da água. 

Reprodução do siri 

É um bicho de sexos separados e que precisa realizar reprodução sexuada para procriar. Normalmente, nesta ocasião o siri retorna para a água – nos casos onde ele não habita próxima a uma fonte de água -. Isso acontece porque a fecundação e o nascimento dos filhotes ocorre neste lugar. Após o coito, a fêmea se encaminha até o mar, carregando cerca de 2 milhões de ovos em seu abdômen. Quando libera a “ninhada” no local, inicia-se a primeira fase da vida do bebê siri: pelágica. Quando os ovos eclodem, começa a zoea. Após 18 dias, eles passam para o estágio megalopa. Toda essa transformação acontece em cerca de 46 dias. 

Se nunca experimentou mas deseja provar o bicho pela primeiras vez, duas dicas são importantes: se for fazer em casa, opte em comprar o animal vivo. E, antes de comê-lo, não esqueça de limpar o bicho, pois suas fezes ficam localizadas em sua cabeça. Então com certeza você vai querer tirar isso antes de consumi-lo. 

Gostou de conhecer mais o siri? Não esqueça de compartilhar. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *