Home / Curiosidades / Como o Bicho-preguiça se Relaciona Com o Ser Humano? Está em Extinção?

Como o Bicho-preguiça se Relaciona Com o Ser Humano? Está em Extinção?

O bicho preguiça ou só preguiça é um mamífero que pertence a família xenarthra (sem dentes) e vivem principalmente no Brasil. Como o próprio nome já diz, o estilo de vida desse animal é tranquilo, para dizer o mínimo. Ele passa a maior parte do seu tempo pendurado em árvores, dormindo ou comendo, e se movimenta de forma bem lenta. 

E apesar do título de bicho mais devagar do mundo parecer algo pejorativo, a preguiça não se importa em levar a fama e faz jus ao título. Nas próximas linhas vamos conhecer mais sobre esse mamífero, inclusive a sua relação com o homem.

Qual a relação do bicho-preguiça com os homens?

Devido a destruição do seu ambiente natural, como queimadas, os bichos-preguiça são vistos em áreas urbanas com mais frequência, e isso os torna presas fáceis para caçadores ilegais, que pegam esses bichos para transformá-los em animais de estimação. 

Em resumo, sua relação com os humanos não é muito boa, já que eles são os responsáveis pela destruição do seu habitat natural. 

Bicho-preguiça
Bicho-preguiça

O bicho-preguiça está em extinção

O bicho-preguiça não está na lista de animais extintos, mas essa situação pode mudar muito em breve. Em regiões como o nordeste brasileiro não é mais possível encontrar esse morador das matas. Entre as espécies que mais correm risco de extinção estão o bicho-preguiça comum e o de coleira, encontrados na região sul da Bahia. 

Onde encontrar o bicho-preguiça

Apesar de ser um animal frequentemente encontrado na Amazônia e na Mata Atlântica brasileira, esse animal também pode ser visto em outros países da América do Sul e central. 

Características da preguiça 

Sua aparência pode ser comparada a do macaco, principalmente pelos seus pelos – que junto ao calor do Brasil, ajuda na sudorese – e também por passar parte não só do seu dia, como parte da sua vida em cima das árvores. Esse animal é tão lento que ele percorre, por dia, apenas 38 metros. 

Mas essa lentidão não é algo aleatório, o fator que mais interfere na falta de movimentação desse bicho é o seu metabolismo. Eles têm uma digestão tão lenta que uma refeição normal, baseada em folhas, pode demorar um mês para ser digerida por completo. 

Seu rosto é pequeno, assim como suas orelhas – por este motivo, eles tem audição e visão ruins, se orientando pelo olfato -. Também tem olhos reduzidos e ele parece sempre estar sorrindo. Dormem cerca de 14 horas por dia e podem chegar aos 50 anos de idade, isso para os animais de cativeiro, já os da natureza variam de 10 a 20 anos. São bichos de hábitos noturnos, por isso só saem à noite para se alimentarem. 

Eles pesam cerca de 06 quilos e metem 0,61 centímetros. Algumas espécies chegam a ter caudas, que também são pequenas. A maior parte dos seus pelos, cinza ou marrom, estão na região da cabeça e na parte superior do corpo. Eles também possuem um tipo de subpelo de pele densa. 

Curiosidades 

1 – Parente pré-histórico 

A preguiça tem um ancestral da era pré histórica, a preguiça do chão gigante, que pode ter alcançado o tamanho de um elefante nos dias atuais. E, ao contrário das preguiças de hoje em dia, não era arborícola. Seu tamanho o tornava quase invencível diante dos predadores. Alguns estudos apontam que eles eram caçados pelos tigres-dentes-de-sabre, mas muitos cientistas recusam essa teoria justamente pelo tamanho que o animal tinha, ou seja, ele poderia se defender facilmente.

2 – Não bebem água

Sabia que a preguiça não toma água? Todo líquido que esse indivíduo consome é proveniente dos alimentos que ingere. Além disso, também consomem as gotas de orvalho que caem perto deles para, claro, não precisarem se esforçar mais que o necessário. 

3 – Tem uma alimentação restrita 

A preguiça pode ser considerada um animal vegano, isso porque, apesar de herbívoro, ele não consome qualquer tipo folha. Sua dieta é baseada, principalmente, em folhas de tararanga, figueira e embaúba. 

4 – Não usam muito o “banheiro” 

Já comentamos que a digestão desse bicho é bem lenta, com isso, a sua vontade de fazer suas necessidades fisiológicas também não é recorrente. Ele só precisa descer de sua árvore a cada 7 ou 8 dias para isso. 

Bicho-preguiça
Bicho-preguiça

5 – Ótimos em se esconderem 

A principal defesa da preguiça é a camuflagem. Eles se escondem entre as árvores e assim, evitam seus predadores. 

6 – Cabeça flexível

O bicho-preguiça pode até não se mexer muito, e ele nem precisa,  mesmo que queira observar tudo ao seu redor. Por ter uma cabeça super flexível, ele consegue vira-la num ângulo de 270 graus, tudo isso sem precisar movimentar seu corpo. Incrível! 

7 – Um “lobo” solitário 

Esse indivíduo tem hábitos solitários. Normalmente escolhem uma área específica para viveram toda a sua vida. Inclusive, escolhendo uma árvore favorita, lugar onde ficará por boa parte da sua vida. 

8 – Adoram uma limpeza 

A preguiça é bem limpa no quesito necessidades fisiológicas. Quando vão defecar, eles cavam um buraco no chão e, depois de terminarem, cobrem as fezes com folhas. 

Bicho-preguiça
Bicho-preguiça

9 – Ótimos nadadores 

Esse animal é cheio de surpresas. Mesmo passando boa parte da sua vida em uma única posição, eles possuem várias habilidades, como a de nadarem. E são ótimos nadadores, diga-se de passagem.

10 – Canção do amor 

Quando estão apaixonados, os machos emitem um tipo de som do amor. Antes de emiti-lo, eles chegam bem perto das fêmeas para isso. 

11 – Pelos diferentes 

Ao contrário da maioria dos mamíferos, o bicho-preguiça tem uma pelagem que começa de baixo para cima. Ela é cheia de algas, carrapatos, coleópteros e ácaros.  

12 – Herança

Assim que o filhote alcança a maturidade sexual, por volta do quarto mês de vida, a mãe deixa sua árvore de herança para ele, saindo para procurar uma nova para ela. 

Apesar de preguiçoso, a preguiça é um animal cheio de habilidades e muito fofo também, não podemos negar. Mas infelizmente não teremos eles por tanto tempo conosco se alguma atitude sobre a destruição do seu habitat natural não for tomada. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *