Home / Curiosidades / Como Eram Os Ninhos Dos Dinossauros?

Como Eram Os Ninhos Dos Dinossauros?

Você já parou para pensar como estes enormes animais viveram a milhões de anos atrás? Hoje falaremos um pouco sobre como eram os ninhos dos dinossauros, mas antes, como não poderia ser diferente, vamos apresentar um pouco para você da história destes animais, afinal, o básico deles todos nós conhecemos, mas e os detalhes? Viveram a milhões de anos, foram extintos em um evento catastrófico nunca imaginado e fim. O que mais você saberia dizer de pronto sobre estes animais?

Vamos conhecê-los? Vem com a gente.

Eu Acho Que Vi Um Dinossauro

O termo dinossauro engloba uma série de animais que viveram a milhões de anos atrás e que integraram o clado Dinosauria. A palavra mesmo, dinossauro significa lagarto terrível e todas as espécies que se enquadram nesta definição de dinossauro em alguma parte do nome, quando traduzido, remete a lagarto. Mas vale ressaltar logo no início deste post que os dinossauros não se configuram como uma espécie de réptil ou lagarto. Pelo contrário, possuem diferenças perceptíveis entre eles. Dentre estas diferenças temos, a postura, o formato das patas que é mais ereta e também o comportamento que é mais ativo nos dinossauros. Vale o destaque para o seu metabolismo que também se diferencia. Os dinossauros possuíam o metabolismo aviário e eram ornitodiros.

Ninhos Dos Dinossauros
Ninhos Dos Dinossauros

Uma curiosidade em relação e estes animais é que inicialmente, pesquisadores e cientistas acreditavam que os dinossauros eram pouco inteligentes, lentos e preguiçosos, mas isso não é verdade. A partir de pesquisas realizadas em meados dos anos de mil novecentos e setenta descobriu-se que estes animais eram rápidos, ágeis, de metabolismo acelerado e com grande capacidade de adaptação para estabelecer relações sociais.

Mas voltando a história destes animais, viveram a cerca de duzentos e trinta e três milhões de anos atrás. Segundo estudos, foi a espécie de animal dominante por mais ou menos cento e sessenta e sete milhões de anos. Passando do período Triássico ao fim do período Cretáceo. Sendo extintos em um evento catastrófico a cerca de sessenta e seis milhões de anos atrás.

Este evento no qual estamos a nos referir consiste, de acordo com a teoria mais aceita pela classe científica, em um meteorito que se chocou contra à Terra, ocasionando uma grande explosão que carbonizou milhões de animais de imediato.

Os poucos que sobreviveram encontraram dificuldades para se perpetuar, uma vez que a explosão gerou uma camada de poeira muito espessa que bloqueou a passagem do sol e tornou o planeta frio. Nesta mudança climática, as poucas árvores que sobreviveram a explosão acabaram morrendo posteriormente.

Ainda de acordo com a teoria mais aceita, os dinossauros que sobreviveram ao ocorrido foram poucas espécies emplumadas que não dependiam das árvores para buscar alimento e abrigo.

Foram, de acordo com os paleontólogos, aviários, de comportamento terrestre e pequenos.

Apenas para completarmos essa seção, ao que tudo indica haviam cerca de mais de quinhentos gêneros diferentes e mais de mil espécies distintas de dinossauros não aviárias.

Diferenças E Mais Diferenças

Dentre as diferentes espécies que comentamos terem sido encontradas, cada uma delas possuía suas particularidades, tanto em relação ao seu comportamento, alimentação, reprodução e ademais. Desta forma, nem todas construíam ninhos e nem todos os ninhos eram iguais. O que sabemos, sabemos por meio dos registros fósseis que nos permitem traçar as características de cada espécie, assim sendo, vamos te mostrar as espécies que os pesquisadores conseguiram encontrar vestígios suficientes para determinar como seus ninhos se estabeleceram.

Os Titanosauros E Os Argentinossauros

O Titanossauro é um dos dinossauros herbívoros mais comuns no Brasil e o Argentinossauro, como sugere o seu nome, foi descoberto na América do Sul, na Argentina. Ambos produziam seus ninhos de maneira muito similar.

Cavavam com a pata traseira cavidades no solo, que podiam chegar a mais de dois metros de comprimento. A cavidade era totalmente assimétrica e nela os dinossauros depositavam dentre quinze a vinte e cinco ovos.

Enquanto os Titanossauros recobriam o buraco recém cavado com terra e vegetação, contando com o calor do sol para chocar os ovos, os Argentinossauros por sua vez, contavam com fontes termais nos locais onde cavavam e enterravam seus ovos para que os mesmos fossem aquecidos e chocados.

Assim como hoje ocorre com algumas espécies de tartarugas, os Titanossauros do sexo feminino escolhiam um mesmo local para fazer a postura dos ovos.

Ovos De Mais De 130 Milhões De Anos

Em uma cidade chinesa, conhecida como a cidade natal dos dinossauros, devido às grandes descobertas fósseis ali encontradas propiciou mais uma nova descoberta recentemente.

Tudo só foi possível por conta da construção de uma escola que seria feita em uma área local.

Para tanto, para que a construção prosseguisse, foi necessário a explosão de uma rocha que estava no meio da área escolhida. Ao iniciar o processo, foram encontrados cerca de trinta ovos fossilizados que segundo pesquisadores possuíam aproximadamente cento e trinta milhões de anos, pelo menos, sendo do período Cretáceo, o último período vivido pelos dinossauros antes da explosão do meteorito.

Ainda não se sabe, de qual espécie os ovos são, mas na região habitaram o Tiranossauro Rex, o Velociraptor e o Triceratops de três chifres. Desta forma, os ovos possivelmente correspondem a uma destas três espécies. Atualmente encontram-se em um museu local para estudos futuros.

Dinossauros: Curiosidades Pertinentes

A primeira ossada de dinossauro encontrada pelo homem corresponde ao Megalossauro e só foi descoberta em meados dos anos de mil oitocentos e vinte.

O Megalossauro era um animal pequeno, para o padrão dos dinossauros. Chegava a medir pouco mais de oito metros de comprimento e pesava cerca de duas toneladas apenas. Era um animal bípede (ou seja, se deslocava sobre dois membros, como nós, seres humanos) e era carnívoro. Seu pescoço era curto, mas muito forte para suportar o peso ligeiramente expressivo de sua grande cabeça.

A próxima curiosidade certamente você vai duvidar, mas segundo estudos, o animal mais próximo do Tiranossauro Rex é o frango. Isso mesmo, o frango que conhecemos, marido da galinha. Não se sabe muito sobre esta descoberta, mas a classe científica assegura que ambos os animais são parentes relativamente próximos biologicamente falando.

Já que mencionamos o Tiranossauro Rex, você deve conhecê-lo e uma de suas características mais pertinentes é seu braço extremamente curto. Por incrível que pareça, o Carnotauro possui proporcionalmente os braços ainda menores que o T-Rex.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *