Home / Curiosidades / Como Curar Sarna Humana?

Como Curar Sarna Humana?

Ficar doente, com qualquer doença que seja, não é uma situação das mais agradáveis, certo? Imagina então aquelas onde os sintomas são enlouquecedores, como a coceira, por exemplo. Você não consegue ficar dois minutos sem se coçar e parece que a sensação não passa nunca, mesmo a sua pele quase em carne viva. Só de pensar já causa certo desconforto. Bom, infelizmente como seres vivos, estamos sujeitos a todo tipo de enfermidade, inclusive a sarna humana. Não sabe o que é ou como cura-la? Sem problema, falaremos sobre isso e muito mais logo abaixo. 

O que é a sarna humana? 

A sarna, também conhecida como escabiose, é uma doença de pele contagiosa e transmitida por um ácaro, o sarcoptes scabiei. Esse indivíduo se aloja em seu hospedeiro e se reproduz. Por se alimentarem de pele humana, não conseguem viver mais que três dias longe dela, isto porque eles consomem as proteínas dessa região, principalmente a queratina. Mas, a partir do momento que este se aloja, ele pode viver até dois meses nesse órgão do corpo. 

Não difere nem sexo e nem idade, mas costuma ser mais comum entre crianças. Aliás, é uma das três doenças de pele mais comum nessa faixa etária, juntamente com infecções bacterianas e a micose. 

Normalmente ataca qualquer parte do corpo, mas afeta principalmente os dedos dos pés e das mãos, cotovelos, ao redor dos pulsos, axilas, nas dobras dos joelhos e ao redor da cintura. Nós bebês e nas crianças a doença se manifesta no pescoço, cabeça e nas palmas das mãos. E para quem imagina que ela está ligada a limpeza, está errado. Na verdade, a sarna se prolifera justamente nas regiões sem acesso a água, como em locais de clima tropical ou com grande concentração de pessoas. Desde 2010, a escabiose afeta cerca de 100 milhões de pessoas, que representa 1,5% da população do mundo. 

Sarna Humana
Sarna Humana

A sarna humana é a mesma que afeta os animais? 

Apesar do nome ser o mesmo, a sarna nos animais, chamada de sarcóptica, é diferente da escabiose. O seu transmissor, ou seja, o ácaro, é diferente um do outro. O que quer dizer que seu cachorro não pode transmitir essa doença para você, ou vice e versa. 

Causas 

Como dito, a enfermidade se aloja no tecido e se reproduz. Seus ovos eclodem depois de 3 a 4 dias da reprodução. Depois disso, as larvas se encaminham até a epiderme e em seguida para a superfície da pele, onde amadurecem e se espalham para outras partes do corpo. Conforme se movimenta, deixam suas fezes para trás, o que acaba criando uma espécie de lesão linear no tecido. 

A doença na verdade é uma reação alérgica ao ácaro, suas fezes e seus ovos, e a forma de defesa do nosso sistema é a coceira, que é intensa, e causa erupções cutâneas. 

Transmissão

Sim, a sarna é uma doença altamente contagiosa e ela se espalha por meio do contato físico entre o doente e outras pessoas. A transmissão normalmente acontece com um membro de uma família ficando doente e que passa para outros familiares que vivem na mesma casa ou por meio de relações sexuais. Também se proliferam em locais com grandes multidões, como presídios, creches e lares para idosos. O contato que crianças e adolescentes têm na escola não é o suficiente para transmitir a mazela, mas mesmo assim é uma situação de risco. 

Sintomas da sarna

Logo após de entrar em contato com o ácaro, e caso nunca tenha contraído a doença anteriormente, os sintomas da escabiose pode demorar até 6 semanas para aparecer. Agora, se indivíduo já tiver contraído está moléstia, o tempo de reação é bem menor, com os sintomas aparecendo dentro de 4 dias. 

Os principais sinais são: coceira intensa, que piora durante a noite, e a presença de lesões, como pontinhos ou bolinhas com relevo, que aparecem geralmente nas regiões com dobra do corpo. Inclusive, elas podem aparecer nas genitália, no caso dos homem, e nos seios, no caso das mulheres. 

Diagnóstico

O diagnóstico é feito por um médico dermatologista por meio de um exame físico, analisando as áreas já afetadas. Caso ainda não exista nenhuma reação alérgica física, o profissional irá colher uma amostra de pele para realizar testes e confirmar a doença. Como outras doenças apresentam os mesmos sintomas, como o impetigo e dermatite, é importante procurar um profissional da saúde para que esse passe o tratamento adequado. 

Tratamento para a sarna humana 

Apesar de ser uma doença bem incomoda, seu tratamento é bem simples e é feito por meio de medicamentos, loções dermatológicas e cremes, que acabam com a infestação do parasita. Normalmente os remédios são aplicados após o banho, por alguns dias, com o paciente deixando o conteúdo na pele durante a noite e retirando no dia seguinte. Após o início do tratamento, a mesma rotina deve ser repetida 7 dias depois, isso porque alguns ovos que não chegaram a eclodir podem ter ficado na pele durante a primeira leva de medicamentos. Além dos próprios pacientes, o médico também vai indicar que membros da família façam o tratamento, como uma forma de prevenção. 

Também é possível fazer um tratamento natural, se assim desejar. Neste caso, pode-se fazer banhos quentes, de duas a três vezes ao dia, com shampoo e sabonete neutro. Isso evita o crescimento do ácaro. Para o alívio da coceira você pode fazer massagens com azeite de oliva – acalma a pele – e/ou utilizar compressas de chá de fumária. É só colocar duas colheres de chá de folhas secas fervidas na água e após 10 minutos de descaso, mergulhe um pano no líquido e aplique nas áreas afetadas. 

Por fim, assim que começar a recuperação, é importante que as roupas de cama de todos da casa seja lavado diariamente em água quente, assim como trocar de roupa todo dia e aspirar toda a residência, inclusive tapetes e carpetes. E caso algo não posso ser levado, coloque dentro de um plástico e deixe selado por uma semana, no mínimo. 

Seguindo todas essas dicas e consultando sempre seu médico, é claro, logo você estará livre da sarna humana. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *