Home / Curiosidades / Classificação dos Anelídeos: Representantes

Classificação dos Anelídeos: Representantes

Como já comentamos algumas outras vezes, a quantidade de animais que existem na fauna é quase infinito. Existem tantas espécies que, acredite, é possível encontrar muitas por aí que ainda são desconhecidas pelo homem. E mesmo as que já foram classificadas, estes representam um número muito grande para conhecermos ou mesmo sabermos a que cada classe ou filo cada uma pertence. Por exemplo, você sabe quem são os anelídeos e quais seus representantes? Não? Tudo bem, vamos falar sobre eles logo abaixo e você saberá mais sobre esses indivíduos. 

Anelídeos
Anelídeos

Quem são os anelídeos 

Os anelídeos são bichos que fazem parte do filo Annelida. Sua participação neste grupo quer dizer que eles possuem corpos repletos de anéis, ou seja, detêm torsos segmentados. Além disso, tem simetria bilateral, são triblásticos – presença de três tipos de tecidos: ectoderme, mesoderme e endoderme -, celomados – uma espécie de cavidade coberta pela mesoderme – e protostômios – durante seu desenvolvimento embrionário, este animal forma primeiro a boca e, posteriormente, o ânus -. 

Acredita-se que existem cerca de 15 mil espécies pertencentes a este grupo, que são divididos em três classes. Seus integrantes mais conhecidos são as sanguessugas e as minhocas. 

Divisão dos anelídeos 

Poliquetas 

Do grego poli, muito, e chaeta, cerdas, estes se diferem de outros anelídeos por contarem com segmentos que apresentam parapódios, ou seja, expansões nas laterais com um grande número de cerdas. A maioria dos componentes desse conjunto são marinhos. Possuem cabeças diferenciadas, com presença de estruturas sensoriais, brânquias – na maioria dos casos – e sexo separado. 

Eles podem ser tanto errantes, ou seja, viverem livremente, como sedentários, residirem em galerias ou buracos construídas por eles mesmos. Ao todo, existem cerca de 8 mil espécies dentro dessa classe e a grande maioria são bichos pequenos, que chegam a 10 centímetros de comprimento. Porém, é possível encontrar algumas espécimes com um metro de comprimento.

Em alguns é possível observar a presença de parapódios modificados, que são usados para troca de gases. Tem sistema nervoso ventral e sistema metanefrídio – órgão excretor -. Após sua cópula, surge uma larva trocoforal. 

O maior representante das poliquetas são as Nereis. Eles vivem no território português. 

Oligoquetas 

Oligo vem do latim pouco e chaeta, cerdas. Os indivíduos dessa classificação tem um corpo cilíndrico, longo e tem poucas cerdas, como seu próprio nome já sugere. Essa classe possui cerca de 3.100 integrantes. Tem uma característica física chamada de estrutura rígida quitinosa, que o ajuda a se movimentar. A grande maioria vive em solos úmidos, mas também podem ser encontrados na água, tanto salgada quanto doce. Seu integrante mais famoso é a minhoca. 

Da ordem Haplotaxida, estes indivíduos são comumente encontrados em tamanhos pequenos, com alguns centímetros de comprimento, mas existem versões que chegam até dois metros, estas são conhecidas como minhocuçus. Têm boca e ânus em extremidades opostas, com um anel mais claro, o  clitelo – ali, encontra-se as glândulas de muco, que ajudam o animal na hora criação do casulo (onde ficam os ovos) e na cópula – mais próximo de sua boca. Essa característica é observada espécies adultas, com a região apresentando um inchaço e espessura.

Estes não detém brânquias, têm o trato digestório adaptado ao consumo de matéria orgânica em decomposição e tem sistema metanefrídio. São hermafroditas, ou seja, tem órgão genital masculino e feminino. Na hora da reprodução, acontece a troca de esperma. A formação dos filhotes é direta, e não tem formação de larvas. 

É um dos animais conhecidos por ter mais de um coração, podendo deter de dois a quinze pares de corações. Apesar de ter um corpo liso, quando se passa o dedo em seu corpo – no ventre -, de trás para frente, é possível sentir certa aspereza. Isso se deve ao fato da presença de fileiras de cerdas microscópicas de quitina. Se alimentam principalmente de restos de vegetais – onde também procura abrigo – com grandes quantidades de terra. Sua boca possui um tipo de sugador, por onde chupam sua comida, por isso acabam comendo terra junto com o seu alimento. Além de estar presente na casa de qualquer pessoa, a minhoca também é muito conhecida por ser usada como isca em atividades como a pesca de peixes. 

Hirudíneos  

Os integrantes dessa classe apresentam um torso dorsoventral achatado, sem cerdas e sem parapódios. A maioria dos componentes desse conjunto são encontrados em água doce. Sua característica mais marcante é a presença de ventosas, estas garantem que os indivíduos consigam se locomover e se fixar em outro animal. São seres hermafroditas. O integrante mais famoso dessa classe é a sanguessuga, conhecida por “grudar” na pele e sugar sangue. Além disso, ela também é famosa por durante essa atividade liberar uma substância anticoagulante que auxilia no fluxo contínuo de sangue.

Ao todo, existem cerca de 500 espécies desse animal. E apesar de se alimentar de sangue de outros animais, ela também pode ingerir caramujos, vermes, larvas de insetos e matéria orgânica. Consegue consumir uma quantidade de sangue 500 vezes maior que o seu tamanho. E como você já deve ter visto em filmes, o indivíduo é usado na medicina alternativa, já que tem a habilidade de forçar o sangue a circular. Sendo assim, ela é usada em situações onde o indivíduo está com dificuldades na circulação em membros. Porém, seu uso não é aceito na medicina tradicional. 

Sistemas dos anelídeos 

Sistema digestivo: constituído por ânus, boca, papo, moela, faringe e intestino. 

Circulatório: os integrantes desse filo possuem sistema circulatório fechado e com coração, que é responsável por “impulsionar” o sangue. 

Nervoso: do tipo ganglionar, tem gânglios ligados entre si por cordões ventrais nervosos. 

Respiratório: o sistema respiratório realiza difusão por entre camadas de epiderme cutânea ou brânquias, por meio de codificações que acontecem no aparelho locomotor – em algumas espécies. 

Reprodutor: naqueles que são monóicos, a reprodução é feita por fecundação cruzada.  Já os dióicos, acontece processos sexuados. 

Aprender sobre o mundo dos animais é sempre surpreendente, ainda mais por termos uma variedade de espécies, o que deixa esse universo muito mais interessante e nada entediante.

Qual foi o seu fator favorito? Você conhecia os indivíduos representantes de cada classificação? Não esqueça de compartilhar. 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *