Home / Curiosidades / Cachorro Do Mato Ataca Pessoas?

Cachorro Do Mato Ataca Pessoas?

O cachorro do mato é um mamífero pertencente à família Canidae, grupo que inclui outros canídeos, como o cachorro-vinagre, o lobo-guará, o coiote e a raposa. Pertence à espécie Cerdocyon thous e apresenta distribuição na América do Sul, sendo encontrado no Equador, Colômbia, Venezuela, Guiana, Suriname, Guiana Francesa, Brasil (com exceção da Bacia Amazônia), Bolívia, Paraguai, Uruguai e norte da Argentina.

Cachorro do Mato
Cachorro do Mato

Características e Habitat Do Cachorro Do Mato

O cachorro do mato se assemelha ao tamanho e forma da maioria das raposas. A espécie apresenta pelagem com coloração variável, do cinza ao marrom, usualmente com tons de amarelos dorsalmente, com o rosto, orelhas e pernas avermelhados. As orelhas são curtas, arredondadas, com pontas pretas. As pernas são curtas e robustas. A cauda é relativamente longa com pelos. Apresentam o focinho comprido e estreito. São animais de tamanho médio, com comprimento médio de 60 cm e peso médio entre cinco e oito quilos.

O cachorro do mato é encontrado de regiões costeiras a montanhosas, incluindo habitats de áreas abertas, principalmente campos e cerrados, além de savanas e bosques. No entanto, esta espécie é conhecida por habitar uma variedade de outras áreas e existem registros de ocorrência em áreas de borda e florestas. O cachorro do mato pode ser encontrado ainda em terrenos mais altos durante a estação chuvosa e terras baixas durante a estação seca.

Comportamento e Alimentação Do Cachorro Do Mato

O cachorro do mato apresenta hábitos noturnos, predominantemente crepusculares e é uma espécie de hábito social solitário ou pode ser encontrado vivendo em pequenos grupos de, no máximo, cinco indivíduos. Pode viver em pares monogâmicos, andando em pares, mas caça majoritariamente de forma individual. É um animal territorialista, tendendo a ser mais territorial durante a estação seca do que durante a estação chuvosa, sendo a sobreposição de territórios comum. O cachorro do mato abriga-se em árvores ocas e tocas.

Graxaim do Mato
Graxaim do Mato

O cachorro do mato é um animal com hábitos alimentares onívoros e comportamento alimentar oportunista, de forma que seus hábitos alimentares mudam sazonalmente, dependendo da estação e tipo de habitat. De forma geral, a dieta inclui majoritariamente frutos, pequenos mamíferos, répteis, incluindo também artrópodes, aves, peixes, anfíbios e carcaças de animais mortos. A proporção de animais consumidos é diferente em cada estação, tendo sido observado que, durante a estação chuvosa, caranguejos e outros crustáceos são preferencialmente consumidos, enquanto que durante a estação seca sua dieta continha mais insetos. Devido ao seu papel como predador, o cachorro do mato desempenha um papel importante ao controlar populações de pequenos mamíferos, insetos, peixes e caranguejos. Além disso, devido ao seu hábito alimentar onívoro e a ingestão de frutos, a espécie é importante para a dispersão de sementes de plantas nativas, especialmente na região da Caatinga, sendo fundamental ecologicamente para a manutenção da diversidade de plantas e para a recuperação de áreas afetadas.

Reprodução Do Cachorro Do Mato

O cachorro do mato apresenta um sistema de acasalamento do tipo monogâmico e muitas vezes reproduzem-se duas vezes por ano em intervalos de 7 a 8 meses. O período de gestação da espécie é em média 56 dias. As fêmeas produzem entre três a seis filhotes por ninhada. Ao nascer, os filhotes pesam entre 120 e 160 gramas e nascem sem dentes e com olhos e ouvidos fechados. O desmame ocorre aos 90 dias. Há cuidado parental por parte de ambos os pais. Os filhotes de cachorro do mato apresentam pelagem diferente dos adultos, com coloração cinza-carvão com uma mancha marrom-amarelada no baixo-ventre. Vinte dias após o nascimento, a pelagem começa a mudar e, aos 35 dias, os filhotes apresentam pelagem adulta. A maturidade sexual é alcançada no primeiro ano. O cachorro do mato pode viver até 11 anos.

Relação do Cachorro Do Mato Com o Homem

O cachorro do mato é uma espécie parecida com outros canídeos, podendo ser confundido com o cachorro doméstico. Existem alguns relatos de domesticação do cachorro do mato, mas é importante lembrar que a criação de animais silvestres sem autorização é um crime ambiental, com uma pena de detenção de seis meses a um ano e multa. A espécie é um animal selvagem, portanto se comporta como tal. Caso não seja molestado ou ameaçado, o cachorro do mato não é agressivo e não ataca as pessoas. Mas, por ser um animal silvestre, a espécie não deve ser alimentada, tocada ou capturada.  Além disso, caso o animal ataque, por ser um componente da fauna silvestre, ele pode transmitir doenças como a raiva e a leptospirose, além da possibilidade da transmissão de doenças aos animais domésticos. Quando em seu habitat natural, o cachorro do mato não oferece risco algum para os humanos e animais domésticos. Existem alguns relatos de cachorros do mato invadindo áreas urbanas e residências e essas invasões têm ocorrido com maior frequência devido à ocupação desordenada do seu habitat natural. Assim, o animal sai de seus esconderijos principalmente à procura de alimento, sobretudo no lixo produzido pelo homem. O cachorro do mato, como todo animal silvestre, é protegido por lei e a remoção do animal só pode ser feita com supervisão do Ibama.

Cachorro Do Mato Femea
Cachorro Do Mato Femea

Embora a pele do cachorro do mato valha pouco, a espécie é caçada intensivamente em algumas regiões. Há poucas evidências de que a espécie tenha um impacto negativo sobre a pecuária, mas o animal é frequentemente abatido por fazendeiros e pecuaristas.  Além disso, devido ao seu hábito de ingerir carcaça animal, a espécie pode ser atropelada, pelo consumo de carcaças às margens das pistas e rodovias, de forma que o cachorro do mato encontra-se no topo da lista de animais silvestres que morrem atropelados. Também, o contato com animais domésticos não vacinados e portadores de doenças não naturais ao cachorro do mato e contato com lixo humano, também disseminador de doenças não naturais, têm sido a causa de mortalidade da espécie. Apesar do cachorro do mato não se encontrar em nenhum grupo de grau de risco de extinção, em longo prazo, a alta mortalidade dos indivíduos pode vir a causar um declínio nas populações, já que a espécie não se encontra protegida por nenhum tipo de lei específica no país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *