Home / Curiosidades / Aranha Marrom: Picada e Veneno

Aranha Marrom: Picada e Veneno

Você não precisa ter aracnofobia para simplesmente não simpatizar muito com as aranhas. Não são os animais mais simpáticos do mundo animal, embora precisamos reconhecer que também não se tratam dos menos simpáticos. Ainda assim é simplesmente comum encontrarmos que não suporte estes animais e tenha deles um medo indescritível, como fobia por exemplo.

Poderia também, além de não serem nada aparentemente amigáveis ainda podem nos trazer grandes prejuízos quando pensamos em nossa saúde e o risco de uma picada. Algumas aranhas são mais perigosas que outras e mais escabrosas também. Mas a diferenciação de espécies não é uma tarefa muito fácil ainda mais para quem não é um fã de biologia e muito menos de aranhas a ponto de conhecê-las assim tão bem.

Hoje falaremos de um tipo específico de aranha chamada ou popularmente conhecida como aranha marrom. Você já ouviu falar? Caso não, não se preocupe, depois deste post você será praticamente um verdadeiro especialista em aranha marrom. Está preparado para esta aventura?

Lembre-se sempre, nada de se aproximar de animais que você desconhece e também daqueles que você conhece mas apresenta um risco eminente como cobras, escorpiões e afins.

A Aranha Marrom E Suas Particularidades Como Típico Aracnídeo

A arranha marrom embora possa parecer simpática em um primeiro olhar, o que certamente não acontece quando olhamos para uma viúva negra, a aranha marrom é tão perigosa quanto. A aranha marrom como é conhecida no Brasil e aranha violino como é mencionada em Portugal está no chamado grupo Loxosceles Heinekem & Lowe de 1832 que nada mais é do que um gênero de aracnídeos da família Sicariidae que é conhecido pela sua impressionante picada.

A picada desta aranha é o que chamamos de picada necrosante, ou seja, o local da picada pode acabar necrosando sem o devido cuidado médico. Por necrose entendesse o processo de morte de um determinado tecido existente em um organismo vivo.

Existem uma série de aranhas que integram o grupo ou gênero Loxosceles e todas elas por suas características físicas são genericamente conhecidas apenas pela menção aranha marrom. Mas há uma série de espécies ou subespécie neste grupo que caracteristicamente apresentam alguns aspectos semelhantes dos quais falaremos agora.

Arranha Marrom E Suas Características Físicas

As aranhas que se enquadram neste gênero de Loxosceles são animais extremamente pequenos com cerca de até quatro centímetros e desse pequeno porte boa parte do seu corpo apresenta um tom levemente acastanhado por isso o seu nome popular de aranha marrom. Ainda sobre seu corpo algumas apresentam, a depender de sua espécie, uma mancha em seu corpo, um tipo de estrela que pega desde a sua cabeça a parte do seu corpo. Apresentam seis olhos e hábitos noturnos, mantendo, curiosamente, uma atividade acima da média principalmente durante o verão.

Durante o dia passam boa parte do tempo escondidas em seus mirabolosos esconderijos, que podem ser desde cascas de árvores e atrás de móveis e ademais. As suas finas teias são quase sempre feitas próximas dos seus esconderijos o que faz com que sirvam como um tipo de alarme. São teias finas e quase sempre irregulares.

A Aranha Marrom Brasileira

A primeira aranha marrom encontrada no Brasil foi a Loxosceles simillis e é possível de ser encontrada nos estados do Pará, Minas Gerais, São Paulo e Mato Grosso do Sul. A Loxoscele sapadicea pode ser encontrada em alguns países da América do Sul e neste caso podemos citar a Argentina, a Bolívia e também o Peru. No Brasil ainda é possível encontrarmos a Loxoscele amazonica que é comumente vista no norte e no nordeste do nosso país.

A Loxoscele intermedia também pode ser encontrada por aqui, principalmente nas regiões Sul, Sudeste e no estado de Goiás. Na Argentina também podem ser encontradas.

Se você acha que já são muito populares por aqui ainda é possível encontrar outras três espécies destas aranhas em terras brasileiras. A Loxoscele laeta na região Sul, Sudeste e no estado da Paraíba, a adelaida apenas nos estado de São Paulo e no Rio de Janeiro, e a hirsuta em São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul.

A Poderosa Picada Da Aranha Marrom

A aranha marrom embora tenha uma picada poderosa não é uma aranha agressiva, por assim dizer, ou seja, raramente ataca pessoas e a sua picada acaba ocorrendo com a pressão do seu corpo contra a nossa pele. A sua picada no momento em que é contraída não causa dor. Os seus primeiros sintomas aparecem apenas doze horas depois, e começa com um pequeno inchaço e vermelhidão do local onde ocorreu. A partir deste momento caso não seja tratada, a picada da aranha marrom pode levar a necrose do local tão como pode evoluir para a morte do indivíduo.

E no caso de morte com acidentes com a aranha laeta e intermedia cerca de quase dois porcento dos casos evoluem para a morte e estas duas espécies podem ser encontradas no Brasil.

Quais Os Tratamentos Possíveis Para Alguém Picado Pela Aranha Marrom?

Assim que receber a picada o indicado é que o local seja lavado com água de forma abundante bem como é indicado que seja aplicado sabão neutro no local. Não é indicado que você manuseie demasiadamente a região uma vez que isso pode facilitar a absorção do veneno pelo seu organismo. Também é contraindicado que você aplique qualquer substância sobre a pele ou região afetada, nada de extratos naturais, torniquetes, ou qualquer outro tipo de parafernalha caseira. Em hipótese nenhuma aperte, fure, corte ou faça a sucção da região. Não é recomendado que a pessoa acometida pela picada faça a ingestão de bebidas alcoólicas.

O recomendado para o caso de picadas de aranha e outros animais peçonhentos é buscar imediatamente atendimento médico o mais rápido possível. Ao buscar ajuda médica em uma unidade de saúde leve sempre que possível o animal responsável pela picada. Assim a identificação de sua espécie e consequentemente a necessidade de utilização de soro e outros medicamentos se torna mais facilitada. O soro para o tratamento da picada de aranha é composto por anti histamínico e também por antiaracnídeo polivalente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *