Home / Curiosidades / Ácaros: O Que São? Como Evitar Alergias?

Ácaros: O Que São? Como Evitar Alergias?

Sabe aquele hábito da sua mãe de colocar colchões e travesseiros no sol? Você imagina por qual motivo ela faz isso? Não?! Bom, primeiro de tudo é que esse velho costume entre nossas mães está corretíssima e elas fazem isso por causa dos ácaros. Provavelmente já deve ter ouvido falar dele. 

Esse indivíduo faz parte da mesma classe das aranhas, aracnídeos, filo dos artrópodes. Neste grupo existem cerca de 55 mil espécies. 

É ele o maior responsável pela criação de substâncias que causam alergia, os alérgenos, dentro de casas e escritórios. 

Uma grande quantidade dessas criaturas podem viver em roupas de cama, colchões, tapetes, móveis com estofado, cortinas e até no ar condicionado. A criatura se alimenta de material orgânico, substância que sai da pele dos seres humanos. O bicho consome pele morta que fica na poeira. 

E lembra que comentamos que a mania das nossas mães de colocar esse itens no sol é uma atitude correta? Isso porque eles gostam de viver em lugares úmidos, tendo um ótimo desenvolvimento neste locais. Sendo assim, quando esses objetos são postos sol, eliminamos sua moradia. 

Ácaros
Ácaros 

Os ácaros e a alergia 

Vivendo tão próximos de nós, não é a toa que ele causa algum efeito na nossa vida. Mas não são os bichos em si que causam as alergias, como asma, por exemplo. Na verdade, o que provoca isso são suas fezes. Sabemos, é bem nojento saber disso, mas é a realidade. 

Estas possuem enzimas digestivas que afetam a mucosa do indivíduo que as inala, ou seja, nós. 

Os dejetos acabam por desencadear alergias respiratórias, agravando principalmente o quadro de quem já tem asma, bronquite, coceiras, rinite, etc. Essa reação contra o ácaro pode ser leve ou grave. No primeiro caso, a pessoa vai sofrer com coriza, olhos lacrimejantes e espirros. Já no segundo, o paciente pode apresentar tosse, pressão facial ou um ataque de asma grave. 

Como evitar alergias 

De forma realista, não é possível exterminá-los por completo, afinal eles estão em todos os lugares, até no nosso rosto – falaremos disso mais para frente -, fazendo com que eles voltem rapidamente. Mas é possível, sim, diminuir a sua presença nos locais onde habita. 

Umas das formas de fazer isso é lavando o seu travesseiro a seco. Isso porque quando se utiliza a lavagem normal e ele esquenta – quando está secando no sol – o objeto se torna um local próprio para a reprodução dos ácaros. 

Para evitá-los em carpetes, tapetes e cortinas basta realizar lavagens sempre que possível, evitando o acúmulo da matéria orgânica. 

A luz do sol é um inimigo dos ácaros. Por isso colocar os objetos em contato com esse é uma boa forma de eliminá-los. É possível também diminuir seu número comprando capas anti-ácaro para seu colchão, travesseiro, cobertores, etc. É igualmente necessário remover o pó das superfícies. Você pode fazer isso tanto de forma manual ou utilizando um aspirador. Este precisa ter um filtro do tipo HEPA. Use também este objeto para higienizar semanalmente colchões e travesseiros. 

E não esqueça de trocar o filtro do ar-condicionado quando ele apresentar sujeira. 

Quanto a bichos de pelúcia, lençóis, capas protetoras, fronhas e edredons, estes devem ser lavados com certa regularidade. 

Essa são algumas atitudes para você prevenir ou ao menos diminuir o número de ácaros na sua casa. Não esqueça de trocar de colchão e travesseiro a cada dois anos, isso também ajuda no combate contra esse bicho. 

Ácaros no nosso rosto? 

Dá uma certa agonia só de pensar mas, sim, existem espécies de ácaros que vivem no rosto humano. Na verdade, duas delas: demodex folliculorum e brevis. 

A primeira habita em poros e folículos pilosos. Já o segundo se aloja nas glândulas sebáceas da nossa pele. 

E por que isso acontece? Bom, acredita-se que o ácaro se acomoda nestes locais porque o rosto é a região do corpo com os maiores poros e glândulas. 

Segundo uma pesquisa realizada pela Universidade da Carolina do Norte, todos os voluntários que participaram do estudo tinham esses bichos na face. O que levou a bióloga estadunidense Megan Thoemmes a crer que todos nós temos ácaros vivendo neste local. Que delícia! 

Uma outra curiosidade: existem dois deles – folliculorum – em cada cílio. 

Apesar de meio desesperador, a presença deles não causa problemas de saúde ao seres humanos. Ainda não é um fato comprovado, mas acredita-se que essa criatura tem uma relação de comensalismo conosco, o que quer dizer que o hóspede se aproveita de seu hospedeiro sem provocar nenhum dano e pode até trazer certos benefícios para estes. 

Sendo assim, o demodex consome bactérias nocivas a nós e até limpam nossa pele, consumido a matéria morta. 

14 Curiosidades sobre os ácaros 

  1. A maioria deles são microscópicos e por isso dificilmente são vistos. 
  2. Grande parte vive no solo ou na água. Mas alguns são parasitas, se alojando em plantas ou animais vertebrados e invertebrados. 
  3. Existem cerca de 48 mil espécies de ácaros. Mas os cientistas acreditam que esse número seja muito maior. 
  4. Tem um corpo indiviso, ou seja, não é separado por regiões. 
  5. Exibe quatro pares de pernas quando chegam à idade adulta. 
  6. Pode ser visto em tons de marrom, laranja, vermelho, preto, verde e até com algumas combinações de cores. 
  7. São do tipo ovíparo. 
  8. Tem uma expectativa de vida curta, vivem por 100 dias. 
  9. Os ácaros domésticos se reproduzem com grande facilidade. 
  10. Um metro quadrado de tapete dentro de uma casa pode ter até 100 mil ácaros. 
  11. Seu excremento e os indivíduos mortos se dispersam no ar, podendo ser facilmente inalados. 
  12. Asmáticos e alérgicos devem evitar travesseiros de pena, pois eles têm maior presença dessa praga. 
  13. O demodex folliculorum pode causar cravos. Já o Sarcoptes scabiei é responsável pela sarna humana. 
  14. Eles também podem provocar grandes estragos em plantações, entre eles está o vermelho das palmeiras, hindu dos citros e o ácaro da erinose da lichia. 

Saber da existência dos ácaros com certeza não é nada agradável, mas existem formas de diminuir sua presença, basta seguir as dicas dadas aqui, assim como o uso de anti-histamínicos. Claro, sob a prescrição de um médico, nada de se automedicar. 

Não esqueça de compartilhar. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *