Home / Informações / Tigre: Classificações Inferiores

Tigre: Classificações Inferiores

Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Carnivora
Família: Felidae
Gênero: Panthera
Espécie: Panthera tigres

Os tigres, que são os maiores felinos existentes, possuem hábitos noturnos e vivem cerca de 10 a 15 anos, embora existam registros de tigres que atingem até 26 anos.

Esses felinos que, em geral, são animais solitários, já habitaram muitas regiões do continente asiático, mas hoje limitam-se ao sudoeste da Ásia. Gostam de lugares com alta e densa vegetal, sempre próximos de água e com presas disponíveis.

Tigre
Tigre

Preferencialmente se alimentam de veados, javalis e antílopes em geral, mas não se restringem apenas a isso, podendo caçar uma infinidade de outros animais.

A gestação de uma tigresa dura entre 93 a 112 dias onde nascem de dois a três filhotes. São capazes de reproduzir até sete vezes durante a vida, a cada dois anos.

A população de tigres na natureza até o início do século passado beirada a quantidade de 100.000. Atualmente existem menos de 3.200 e das 9 subespécies existentes no século passado, restam apenas seis.

A razão dessa diminuição drástica deve-se a dois principais fatores: caça excessiva e conflitos com a sociedade humana.

Os tigres são, ou foram, caçados por diversas razões, as quais incluem o apreço pela pele do animal e a utilização de partes do seu corpo na medicina tradicional chinesa.

Os conflitos com humanos é mais complexo do que uma simples disputa territorial. Em algumas regiões, o tigre acaba disputando suas presas com a população humana, que incluem animais selvagens em seu cardápio. Com a escassez de alimentos os tigres recorrem a animais domésticos sofrendo, posteriormente, retaliações por parte dos seus proprietários.

Conheça um pouco mais sobre as nove subespécies, ou seja, classificações inferiores do tigre que resistiram até o século XX, incluindo as três que foram extintas nos últimos 80 anos.

Tigre-de-bengala

Tigre-de-bengala
Tigre-de-bengala

Nome científico: Panthera tigris tigres
Estado de conservação: Em perigo

O tigre-de-bengala, que é o símbolo nacional da Índia e de Bangladesh, é a subespécie mais populosa e conhecida entre os tigres. O nome, tigre-de-bengala, deve-se ao fato de ser encontrado na Bengala Ocidental, um estado da Índia. Além da Índia, onde existe a maior quantidade desse felino, também é possível encontra-lo em Nepal, Butão e Bangladesh.

Dentre os tigres é o segundo maior, atingindo até 260kg e um tamanho de 3,10m, no caso dos machos. As fêmeas são consideravelmente menores e pesam até 160kg, não passando de 2,6m de comprimento.

Possui uma pelagem de cor alaranjada variando em tons mais escuros e claros com listras pretas. Mas existe uma exceção: os tigres brancos, que apesar de fazerem parte da mesma subespécie, apresentam essa coloração diferenciada. Esse fato ocorre devido um fator genético, onde ambos os progenitores são portadores do gene recessivo em seu genótipo, diferente dos tigres alaranjados, que possuem a cor determinada pelo gene dominante.

Tigre Siberiano

Tigre Siberiano
Tigre Siberiano

Nome científico: Panthera tigris altaica
Estado de conservação: Em perigo

O tigre siberiano, também conhecido como tigre de amur, é o maior felino existente. Os machos podem ultrapassar 3,5m de comprimento, 1,2m de altura e 300kg de peso.

Habitam regiões mais frias que os outros tigres, sendo encontrados atualmente apenas em uma pequena região ao leste da Rússia e ao sudoeste da Sibéria.

Para se proteger do frio, sua pelagem é mais densa se comparada a de outros tigres e apresentam uma cor levemente mais pálida, para auxiliar a camuflagem em seu habitat natural.

Atualmente restam em torno de 450 animais dessa subespécie, número que pode ser considerado uma vitória, visto que na década de 40 não passavam de 40 tigres siberianos na natureza.

Tigre-do-sul-da-china

Tigre-do-sul-da-china
Tigre-do-sul-da-china

Nome científico: Panthera tigris amoyensis
Estado de conservação: Em perigo crítico

O tigre-do-sul-da-china é um animal nativo do sul da China, mas atualmente acredita-se que esteja extinto da natureza, visto não haver observações dessa subespécie há mais de 30 anos. Em cativeiro, existem, atualmente, menos de 100 exemplares.

Segundo consta, até o final da década de 50 haviam mais de 4000 exemplares dessa espécie na natureza, mas após o líder comunista Mao Zedong considera-los uma praga, houve uma forte perseguição que acabou reduzindo esse número para aproximadamente 200 espécies no final dos anos 80.

O macho dessa subespécie é um pouco menor que os outros tigres, atingindo um tamanho de até 2,6m e no máximo 175kg. Já a fêmea não passa de 2,4m de comprimento e 110kg.

Tigre-malaio

Tigre-malaio
Tigre-malaio

Nome científico: Panthera tigris jacksoni
Estado de conservação: Em perigo

O tigre-malaio é encontrado apenas ao sul da Península da Malásia. Até 2004, era considerado integrante da subespécie tigre-da-indochina, mas através de análises genéticas concluiu-se tratar de outra subespécie.

O tamanho do macho pode chegar a 2,8m de comprimento e 120kg. As fêmeas atingem até 2,6m de comprimento com um peso em torno de 100kg.

Atualmente, acredita-se que exista menos de 340 animais dessa subespécie.

Diferentemente das outras subespécies, o tigre-malaio prefere caçar por emboscada do que arriscar-se em longas corridas, apesar de ser um predador muito ágil.

Tigre-da-indochina

Tigre-da-indochina
Tigre-da-indochina

Nome científico: Panthera tigris corbetti
Estado de conservação: Em perigo

Mais da metade dos tigres-da-indochina encontram-se nas regiões montanhosas da Tailândia. O restante divide-se entre Laos e Myanmar.

Podem medir até 2,8m de comprimento com um peso de aproximadamente 190kg.

Possui uma pelagem de tom intermediário entre o tigre-do-sul-da-china e o tigre-de-bengala.

Atualmente existe pouco mais de 300 exemplares dessa subespécie.

Tigre-de-sumatra

Tigre-de-sumatra
Tigre-de-sumatra

Nome científico: Panthera tigris sumatrae
Estado de conservação: Em perigo crítico

O tigre-de-sumatra é um dos menores das subespécies, podendo atingir até 2,7m de comprimento e 90kg. O nome é em referência ao seu único habitat natural: A Ilha da Sumatra. No passado, essa ilha também abrigou o tigre-de-bali e o tigre-de-java, ambos já extintos.

Apresenta um intenso alaranjado com listras mais grossas que algumas subespécies. Também é caracterizado pela juba presente nos machos.

Acredita-se que existam menos de 400 tigres-de-sumatra em ambiente selvagem.

Tigre-de-bali

Tigre-de-bali
Tigre-de-bali

Nome científico: Panthera tigris balica
Estado de conservação: Extinto

O tigre-de-bali era encontrado apenas na ilha de Bali, na Indonésia. Era um dos mais pequenos das subespécies, não ultrapassando 2,2m de comprimento e 100kg.

Entre as listras do seu corpo, haviam algumas manchas, característica exclusiva dessa subespécie.

Foram caçados até a extinção e o último tigre-de-bali conhecido, uma fêmea, morreu em 1937.

Tigre-do-cáspio

Tigre-do-cáspio
Tigre-do-cáspio

Nome científico: Panthera tigris virgata
Estado de conservação: Extinto

O tigre-do-cáspio era encontrado na Turquia e próximo dos grandes rios da Ásia Ocidental e Central, até a China.

Possuía pelos espessos e mais avermelhado, uma barriga branca e a pelagem em volta do pescoço se assemelhava a uma juba. As listras eram estreitas e próximas umas das outras.

Sua extinção deu-se principalmente por projetos de colonização nas áreas em que habitava. Desapareceram na década de 1960, com obvervações que não foram confirmadas até 1970.

Tigre-de-java

Tigre-de-java
Tigre-de-java

Nome científico: Panthera tigris sondaica
Estado de conservação: Extinto

O tigre-de-java eram nativos exclusivamente da ilha de Java. Possuía uma pelagem mais escura, com finas e numerosas listras. Com um porte pequeno, essa subespécie media em torno de 2,4m de comprimento e no máximo 130kg.

O que levou essa subespécie a extinção, foi a prática da caça realizada por nativos até a década de 1970. A partir dessa data, o território dos poucos sobreviventes foi declarado como reserva natural, mas não houve eficiência na proteção do animal que continuou sendo caçado até que, em 1994, foi declarado oficialmente extinto.

Agora que conheceu um pouco da diferença entre cada tipo de tigre, que tal deixar um comentário com sua opinião?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *