Home / Informações / Prototheria, Metatheria e Eutheria

Prototheria, Metatheria e Eutheria

O reino animal é dividido em filo, classe e diversas subclasses, ordem, família, gênero, espécie e subespécie. E nós, seres pensantes, utilizamos essa organização para não nos perdermos com a quantidade de diversidade encontrada em nosso planeta.

A grande classe a que todos os animais mamíferos pertencem chama Mammalia. É uma família de animais que apresenta muita diversidade. E os mamíferos são pertencentes do Filo chordata.

Os mamíferos cordados são um grupo de animais vertebrados. Dessa forma, sabemos que todos os mamíferos possuem vértebras que estruturam nosso corpo.

Além das vértebras, os mamíferos possuem em seus corpos, glândulas mamárias, diafragma, pelos e dentes adaptados de acordo com a necessidade alimentícia de cada animal.

Os pelos são distribuídos pelo corpo e podem cobri-lo totalmente ou parcialmente. Eles são muito importantes para manter a temperatura corporal nas mais diversas variações climáticas.

Todos os animais mamíferos possuem respiração pulmonar. E é o diafragma que permite a ventilação dos pulmões. Ele é um músculo localizado entre o tórax e o abdômen e sua funcionalidade é essencial para os mamíferos.

Você pode estar se perguntando quais são as subclasses dos mamíferos, certo? Pois saiba que este é o ponto central deste artigo!

Os mamíferos são classificados em três subclasses Prototheria, Metatheria e Eutheria. Aprenderemos a seguir quais são as características de cada subclasse e daremos exemplos de espécies de animais pertencentes à cada uma delas. Confira!

Prototheria ou Monotremados

A subclasse Prototheria, ou monotremados, corresponde aos mamíferos considerados primitivos, pois ainda são ovíparos. O desenvolvimento embrionário desta subclasse acontece dentro dos ovos.

Eles são os únicos animais representantes vivos da Subclasse Prototheria. Atualmente, existem somente cinco animais pertencentes a esta ordem e eles estão divididos em duas Famílias.

Há a Família do Ornithorhynchidae, representada pelo ornitorrinco e a Família Tachyglossidae que corresponde aos indivíduos chamados popularmente de equidnas. Todas as espécies de monotremados são encontradas somente na Oceania, na Austrália e Nova Guiné.

Infelizmente, os equidnas estão ameaçados de extinção. Encontram-se criticamente em perigo, segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais – IUCN.

Os monotremados, assim como os outros mamíferos, possuem pelos, glândulas mamárias e coração com quatro cavidades. Porém, têm algumas diferenças enormes em relação aos outros animais da Mammalia.

Uma das características mais estranhas é o fato deles botarem ovos. Eles botam ovos, entre 12 e 20 dias após a gestação. Os ovos podem ser incubados em ninhos,  como no caso dos ornitorrincos, ou em bolsas localizadas no ventre da mãe que é caso das equidnas.

As fêmeas monotremadas não possuem mamilos. Os filhotes recém-nascidos alimentam-se do leite que sai de uma área especializada na pele materna, chamada auréola. Eles continuam recebendo cuidado parental por cerca de cinco anos.

Além de não ter mamilos, outra característica esquisita dos animais pertencentes à esta subclasse é a ausência de dentes. Imagina que estranho não ter nenhum dente? Estes animais sabem viver muito bem sem eles.

Outra característica considerada por muitos como bizarra é a existência de somente uma abertura para a eliminação de fezes e urina. Sim, você leu certo! Estes animais não possuem dois orifícios separados para cada eliminação, nem para cópula e oviposição.

Os monotremados contam com a presença de focinhos ou bicos altamente especializados. Eles são coriáceos, e contêm receptores eletromagnéticos que servem para detectar presas.

Os animais machos possuem esporões em suas patas traseiras com veneno super potente. Seu veneno é tão forte que é comparado com o de uma serpente peçonhenta.

Metatheria

A infraclasse metatheria vem de uma divisão da subclasse Theria. Esta infraclasse corresponde aos animais marsupiais, aqueles em que o desenvolvimento embrionário acontece dentro dos marsúpios. Eles são animais vivíparos.

Os filhotes dos marsupiais não nascem completamente formados, por este motivo concluem sua nutrição e desenvolvimento dentro da bolsa da mãe. Mas não é uma bolsa como a das mulheres, e sim, uma bolsa chamada marsúpio que fica localizada no abdômen da fêmea.

As fêmeas marsupiais, possuem mamilos, diferentemente dos animais monotremados. Seus filhotes são nutridos com o leite da mãe por vários meses dentro do marsúpio. É assim que os filhotes se desenvolvem.

Além do popular canguru, também pertencem à esta infraclasse, os gambás, o diabo-da-tasmânia e os coalas.

Eutheria

A infraclasse Eutheria também deriva da subclasse Theria, assim como a Metatheria. Ela representa grande parte dos mamíferos e corresponde aos animais com desenvolvimento embrionário placentário. Também são mamíferos vivíparos.

O desenvolvimento embrionário ocorre dentro do corpo da fêmea, mais precisamente dentro do útero. É lá que o embrião fica na placenta, local em que ocorrem as trocas gasosas e em que os filhotes ou bebês recebem nutrientes. Diferentemente dos animais marsupiais, os mamíferos placentários saem do corpo da mãe já completamente desenvolvidos.

Nos seres humanos, a placenta é responsável por fornecer alguns hormônios fundamentais. É ela que transfere nutrientes do sangue da mãe para o bebê e protege-o de impactos que a barriga da mãe pode sofrer.

São animais placentários representantes da Eutheria, o ser humano, o cachorro, o gato, o coelho, o elefante, a girafa, a baleia, o golfinho, a lista é super extensa! É um grupo que abrange cerca de 95% dos mamíferos em todo o planeta!

Todos os mamíferos placentários reproduzem-se através de relação sexual, em que o sêmen do macho fecunda o óvulo da fêmea. Após a fecundação, ocorre o período de gestação.

Nos animais vivíparos, como os placentários, o processo de crescimento embrionário é chamado de gestação. Após a gestação e o nascimento dos filhotes, as fêmeas de mamíferos eutérios alimentam-os com leite materno, através de seus mamilos.

Principais Ordens de Animais Eutérios

A primeira ordem que abordaremos é a dos Xenarthra, ou edentados. São animais sem dentes ou com número e tamanho reduzidos. Possuem garras bem evidentes. O tamanduá, o tatu e a preguiça, são deste grupo.

A ordem Lagomorpha, ou lagomorfos, representa os animais Pertencem à esta ordem o coelho e a lebre. A ordem dos Rodentia, ou roedores, como o porco-espinho, a capivara, o rato e o esquilo. Os animais de ambas as ordens são portadores de dois pares de dentes incisivos inseridos na maxila.

Há também a ordem Carnívora, ou carnívoros, que representa os animais com dentes caninos bem desenvolvidos, típico de animais predadores. Como por exemplo o  leão, o cão, o gato e a hiena.

A ordem referente aos bois, porcos e carneiros é a Artiodactyla, ou artiodáctilos. Os cavalos, as zebras e os rinocerontes são da ordem Perissodactyla, ou perissodáctilos. Todos estes animais são herbívoros e possuem casco na base das patas.

Há também a ordem Cetacea, os animais cetáceos são marinhos. São membros deste grupo a baleia e o golfinho. Outras ordens principais são a Insetívora, que conta com o Ouriço-cacheiro como representante. A Chiroptera, dos animais como os morcegos. A Sirenia do peixe-boi e a Proboscidea, dos elefantes.

E, por último, está a ordem a que pertencemos a Primates, ou primatas. Também pertencem à esta ordem o chimpanzé, o gorila e o mico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *