Home / Informações / Pintassilgo da Venezuela Fêmea e Macho

Pintassilgo da Venezuela Fêmea e Macho

Os pintassilgos são passarinhos abundantes em suas formas, cores e cantos. Alguns são mais parecidos entre eles e até mais difícil de diferenciar. Já outros são tão característicos que qualquer um tendo conhecimento consegue identificar. Alguns possuem diformismo sexual, ou seja, é possível reconhecer fêmea e macho entre a espécie por diferentes características físicas. Já outros é quase impossível.

Hoje vamos falar sobre um deles: o pintassilgo da Venezuela. Será que Venezuela em seu nome é por conta de ser o seu país de origem? Será que ele é parecido com algum outro? Ou é mais característico? Será que possui diformismo sexual entre macho e fêmea? Vamos descobrir tudo isso e muito mais sobre eles juntos nesse texto.

Pintassilgo da Venezuela Fêmea e Macho: Diferentes características Em Sua Aparência

O pintassilgo da Venezuela é um dos pintassilgos que possui um forte diformismo sexual. A fêmea e o macho são bem diferentes fisicamente, possuem fortes características próprias do sexo e mais do que no porte, na aparência com suas distintas cores que apresentam.

Como todo pintassilgo, em maior ou menor grau, são pássaros pequenos, de porte pequeno. Essa espécie tem cerca de somente dez centímetros de comprimento. O macho tem um bico pontiagudo marfim, face e cabeça pretas, olhos pretos, peito e costas vermelho forte, quase que alaranjado, asas pretas e vermelhas, curtas caudas pretas, o final de peito e perto das pernas é esbranquiçado e os pés e pernas também são marfins.

Já a fêmea é mais acizentada do que vermelha, seu peito tem uma mancha vermelha alaranjada, mais para o laranja, as asas são cinza mais forte que o resto do corpo com manchas laranjas, cauda curta com o mesmo tom de cinza, final do peito e começo das pernas mais esbranquiçados, cabeça e face cinza claro como o corpo, olhos pretos e bicos e pés rosados. Ambos realçam suas diferentes belezas em conjunto. E por fim, os filhotes que são todos cinzentos por todo o corpo e começam a ganhar suas formas e cores com o tempo. Com cerca de três a quatro meses se desenvolvem totalmente quanto a aparência final.

Pintassilgo da Venezuela: Onde Habitam

O pintassilgo da Venezuela tem dois nomes científicos, spinus cucullatus ou carduelis cucullata, possui mais nomes científicos do que diferentes nomes em que é conhecido pelo mundo. A não ser aqui em regiões específicas. No Brasil é mais conhecido como Tarim. E na Venezuela, um dos países em que habita e foi descoberto, é mais conhecido como cardenalito, é fácil esse nome remeter ao país, não?

Como não vive só na Venezuela, também se encontra na América do Sul, incluindo o Brasil, em que habita regiões tropicais, norte da Colômbia e há pouco também, bem recentemente inclusive, no ano dois mil foi vista sua presença na Guiana. Habitam em florestas semi úmidas, bosques e parques. Atualmente como parte triste da nossa realidade, não chega a ser uma espécie de pássaro com ameaça ou risco de extinção, mas se tornou uma ave rara, na Venezuela por exemplo, era possível encontrá-lo em quinze estados, hoje em dia somente é possível vê-lo em sete.

Pintassilgo da Venezuela Em Cima de Uma Árvore
Pintassilgo da Venezuela Em Cima de Uma Árvore

Pintassilgo da Venezuela Fêmea e Macho: Do Que Se Alimentam

Como um passeriforme, ou seja, passarinho, típico fringillidae, a base da sua alimentação são sementes, como as da herbáceas, seu alimento também são frutos, de frutas, verduras e legumes e pequenos insetos como fonte de proteína, ainda mais consumido quando em reprodução, já que precisa de mais nutrientes para satisfazer a sua saúde e respectivamente as dos seus filhotes. Uma alimentação bem específica de pintassilgos e até mesmo pássaros no geral, sejam de qual espécie for.

Sua Reprodução

Filhotes de Pintassilgo da Venezuela
Filhotes de Pintassilgo da Venezuela

A maioria das aves, especialmente os pássaros, têm a característica de serem monogâmicos, viverem em bandos, mas quando em reprodução se dedicar totalmente a família e quando os filhotes se tornam independentes voltam a viver em bandos, dessa vez, junto com os filhotes.

O pintassilgo da Venezuela não tem só um período de reprodução anual, mas dois, de abril a junho e de novembro a dezembro. Podem pôr de três a quatro ovos por reprodução ou período. A construção engenhosa do ninho em forma de cesta fica por conta da fêmea, que usa materiais secos como palha para o ninho ficar bem resistente. São construídos nos altos das árvores. A busca por alimento pode ficar por conta do macho para a fêmea e consequentemente da mãe para os filhotes. Os mais novos pintassilgos da Venezuela nascem com cerca de doze a quatorze dias e a incubação feita pela mais nova mamãe dura cerca de doze dias após a eclosão dos ovos e o nascimento dos filhotes.

Mais Uma Ave Com Perigo de Extinção

Em mil novecentos e vinte foi descoberto que no cruzamento de pintassilgo da venezuela com canários gerava híbridos que mesmo assim eram férteis da espécie, o que provavelmente aumentou a sua busca ou caça ilegal para comercialização ou criação irregular amadora.

Em mil novecentos e quarenta, vinte anos depois, sua caça foi considerada ilegal. É uma ave em perigo de extinção desde dois mil e doze por conta da caça e da destruição do seu habitat natural para uso da agricultura. Dois motivos que levaram o pintassilgo da Venezuela se tornar uma espécie rara e em perigo por tanta diminuição na população de sua espécie.

Alguns programas de criação de pintassilgos da Venezuela para sua futura reintrodução a natureza e consequente aumento da população através de reprodução já existe nos Estados Unidos da América, o que acaba controlando e preservando a espécie nesses casos, como o caso do mutum do sudeste aqui no Brasil por exemplo.

São ações como essas que permitem que espécies em perigo não entrem definitivamente em extinção. Em alguns casos nem essa ação é possível tamanho ponto que chega a baixa em sua espécie por conta dos motivos citados. Ao mesmo tempo que tudo isso é causado por ação irresponsável do homem sob a natureza, é essa mesma espécie de animal que somos que ainda nos faz ter esperança sob o que causamos aos outros seres vivos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *