Home / Informações / Peixe Acará-do-congo

Peixe Acará-do-congo

Reino: Animalia

Filo: Chordata

Classe: Actinopterygii

Ordem: Perciformes

Família: Cichlidae

Gênero: Amatitlania

Nome Científico: Amatitlania nigrofasciata

Amatitlania nigrofasciata
Amatitlania nigrofasciata

O Amatitlania nigrofasciata é uma espécie de peixe nativa de lagos e córregos da América Central, mas que já foi introduzida na Austrália, no Japão, no México, na Colômbia, em Taiwan e nos Estados Unidos. É comum que esse peixe ocorra ao longo da costa leste (da Guatemala à Costa Rica) e na costa oeste (de Honduras ao Panamá) da América Central.

Características do peixe acará-do-congo

O nome da espécie (nigrofasciata) significa “preto-listrado”, em referência às listras pretas presentes no corpo no animal. Em inglês, esse peixe recebe o nome de “convict cichlid”, que significa “ciclídeo condenado”, já que as listras pretas lembram os uniformes de prisão dos condenados britânicos.

Porém, o acará-do-congo, após passar por modificações genéticas causadas pela reprodução selecionada, tornou-se um peixe de coloração leucística. Isso significa que houve perda da pigmentação e o animal passou a ter uma coloração bem próxima do branco. A coloração leucística, característica principal do acara-do-congo, é causada por uma mutação em um gene autossômico e é herdada recessivamente. Quando há presença das listras pretas, o peixe é chamado de acará-zebra. Tanto o acará-do-congo quanto o acará-zebra pertencem à mesma espécie.

Peixe Acará-do-congo
Peixe Acará-do-congo

O Amatitlania nigrofasciata selvagem possui oito ou nove barras verticais pretas em um corpo azul-cinzento, juntamente com uma mancha escura no opérculo. Esses peixes jovens são monomórficos até atingir a maturidade sexual. O macho é principalmente cinza com listras pretas claras ao longo do corpo e maiores do que as fêmeas. Eles têm barbatanas ventral, dorsal e anal mais pontiagudas que geralmente se prolongam em filamentos. Além disso, machos mais velhos frequentemente desenvolvem grumos gordurosos vestigiais em suas frentes.

A fêmea é mais colorida. Ela tem bandas pretas mais intensas em todo o corpo e coloração rosa alaranjada na região ventral e na barbatana dorsal. Os machos maduros na natureza têm um comprimento padrão de 6,3 a 6,6 centímetros, enquanto as fêmeas medem de 4,2 a 5,5 centímetros. Há casos de peixes dessa espécie que chegaram a medir 10 centímetros de comprimento. O peso corporal dessa espécie é de aproximadamente 36 gramas.

Alimentação

Em habitats naturais, a espécie possui uma dieta composta por várias presas, incluindo crustáceos, peixes pequenos, insetos, vermes, plantas e algas . O peixe acará-do-congo pode abrir seu maxilar cerca de 4,2% de seu comprimento corporal, permitindo-lhe ter uma dieta variada.

Reprodução

O acara-do-congo pode atingir a maturidade sexual com 16 semanas. Os indivíduos sexualmente maduros formam pares monógamos e procriam em pequenas cavernas ou fendas. Na natureza, os peixes escavam movendo a terra debaixo de grandes pedras. As fêmeas, então, aderem os ovos às paredes da caverna.

Acará-do-congo Reprodução
Acará-do-congo Reprodução

Os ovos são chocados cerca de 72 horas após a fertilização. Até esse momento, os pais expulsam intrusos e potenciais predadores de ovos de todo o ninho. Eles também ventilam os ovos, dia e noite, movendo a água com suas barbatanas sobre a embreagem para fornecer oxigenação. À noite, o acará-do-congo utiliza o olfato para reconhecer a presença dos ovos no escuro. Eles mantêm suas barbatanas pélvicas em contato com os ovos para permanecer à distância certa para o avanço.

Após a incubação, as larvas passam mais 72 horas absorvendo os sacos de vitela e desenvolvendo suas barbatanas antes de se tornarem nadadoras independentes. Ambos os pais continuam protegendo os recém-nascidos dos predadores e alimentando-os

As fêmeas nos aquários são conhecidas por reproduzir muitas vezes por ano, com intervalos curtos de 12 ou 13 dias entre ninhadas, desde que as rochas adequadas ou superfícies similares estejam disponíveis para que eles apliquem seus ovos.

Acará-do-congo
Acará-do-congo

Seleção Sexual

O efeito da densidade populacional na seleção sexual para os acarás-do-congo tem sido estudado por pesquisadores. Nos casos avaliados, quando a densidade do ninho era maior, as fêmeas tendiam a ser maiores, o que é mais precisamente explicado pela competição de acasalamento, em oposição à predação e à competição de recursos.

Além disso, à medida que os dois regimes de densidade do ninho foram comparados (alto e baixo), não houve diferença significativa na sobrevivência da ninhada entre. No entanto, os acarás-do-congo preferiam se reproduzir mais longe um do outro, não muito próximo. Isso indica que existem outros custos com a criação em um ambiente com alta densidade populacional, como por exemplo a perda de energia devido ao aumento da agressão resultante das brigas para proteger o território.

Acará-do-congo Seleção
Acará-do-congo Seleção

A preferência da fêmea pelo macho também foi examinada e constatou-se que ela está relacionada ao tamanho do macho e a capacidade de combate. A fêmea sempre escolhe o maior dos dois machos se o macho menor estiver ao lado do macho maior e/ou se este vence uma briga. Se os machos não são vistos juntos ao mesmo tempo para que uma comparação seja feita pela fêmea, ela então não apresenta uma preferência específica.

As fêmeas se beneficiam com o acasalamento com um macho maior, pois eles são melhores para perseguir predadores que podem atacar a prole e são melhores em competir por locais de reprodução. Estudos mostraram que indivíduos de tamanho significativamente maior em relação ao oponente muitas vezes ganham brigas sem muito contato físico.

Acará-do-congo Albino
Acará-do-congo Albino

Acará-do-congo em Aquário

O aquário deve ser decorado de forma a imitar o ambiente natural, com pedras e cavernas artificiais para reprodução. A maioria dos especialistas concorda que um par de acarás deve ser mantido em um aquário de 75 litros ou mais.

A espécie é um omnívoro e a maioria dos tipos de alimentos preparados é bem aceita. A espécie também consome plantas aquáticas, de modo que são recomendadas plantas robustas, como a samambaia java. Os acarás são agressivamente territoriais durante a reprodução e, por isso, é mais aconselhável manter os casais sozinhos.

Acará-do-congo em Aquário
Acará-do-congo em Aquário

Essa espécie é pouco exigente em relação ao ambiente em que são criados. Porém, é preciso que os aquários obedeçam a certos critérios. Por exemplo, os acarás devem ser mantidos em aquários que tenhas, no mínimo, um metro de comprimento e 50 centímetros de altura; a temperatura da água não pode ultrapassar os 30°C, com pH ácido em torno de 4.8 e 6.2. Não é aconselhável manter o acará com outras espécies menores, pois eles podem acabar comendo-os.

Fotos do Acará-do-Congo 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *