Home / Informações / Os Tipos de Corujas

Os Tipos de Corujas

Reino: Animalia

Filo: Cordado

Classe: Aves

Ordem: Strigiformes

Famílias: Strigidae e Tytonidae

Símbolo da sabedoria, a coruja é uma ave de hábitos noturnos e que chama a atenção pelos seus grandes olhos. Atualmente, mais de 200 espécies de coruja já foram classificadas em todo o mundo, sendo algumas delas tipicamente brasileiras.

As diversas espécies de corujas se diferem basicamente pela plumagem, pela dieta e pelo habitat. Mas tem em comum o fato de serem essencialmente carnívoras e de natureza predatória.

Coruja Suindara
Coruja Suindara

Essas aves têm origem rural, mas são comumente vistas em áreas urbanas e até mesmo em cativeiros, o que não é recomendado devido aos estilo de vida do animal. Hoje você vai aprender um pouco mais sobre as corujas e conhecer algumas das principais espécies. Vem com a gente!

Características Gerais

As corujas são aves que possuem características físicas únicas que nos ajuda a diferenciá-las de outras aves. A começar pelos olhos que, virados para frente, garantem à coruja uma visão binocular e uma melhor percepção de profundidade. Assim, essa ave consegue enxergar a longas distâncias.

Apesar de grandes, seus olhos não são capazes de se movimentar da mesma forma que os olhos humanos. Para isso, as corujas precisam virar a cabeça. Elas conseguem girar o crânio em até 270 graus para ter um amplo campo de visão.

Características da Coruja
Características da Coruja

A audição das corujas também chama a atenção. Seus ouvidos são pequenos orifícios situados na parte lateral da cabeça e que ficam sob plumas bem finas. Os tufos de penas que se parecem com orelhas ou “chifres” funcionam como uma antena que capta os sons e os transmite para o ouvido externo. Mas nem todas as espécies de coruja possuem esses tufos de pena.

Em várias espécies, o canal auditivo esquerdo encontra-se voltado para baixo e o direito para cima. Essa assimetria favorece a coruja durante a caça, pois assim ela consegue identificar a posição exata de quem emitiu o som.

A plumagem das corujas é em alta quantidade. A troca ocorre entre as estações quentes e frias, pois elas precisam de penas novas para se aquecer durante o inverno. Algumas espécies chegam a perder todas as penas, mas geralmente elas trocam de forma gradativa.

O tamanho das corujas varia entre 12 e 70 centímetros, com envergadura de asas capazes de medir dois metros. Por isso, elas preferem presas menores, como roedores, insetos e pequenos mamíferos. Porém, as corujas não digerem tudo o que comem. Ao comer um rato, por exemplo, a ave coloca para fora os ossos e a pele, ingerindo apenas a carne.

Coruja
Coruja

Predadoras solitárias, as corujas competem por espaço e por isso não podem conviver uma com as outras. Assim, elas se sentem mais seguras quando estão sozinhas no topo das árvores.

A reprodução das corujas varia entre as espécies. Essa ave bota cerca de cinco ovos a cada gestação, mas com intervalos de um a três dias. Após o nascimento, é o macho quem cuida dos filhotes por um período de aproximadamente dois meses. Quando um possível predador se aproxima, os filhotes costumam imitar sons de serpente para que o invasor desista do ataque.

Há duas famílias de corujas: Strigidae e Tytonidae. A primeira abrange a maioria das espécies, com discos redondos ou ovais na face. Já a segunda família possui o corpo cônico e discos faciais em formato de coração.

Filhote de Coruja
Filhote de Coruja

Corujinha-do-mato (Megascops choliba)

A corujinha-do-mato é a mais comum das espécies. Ela pode ser encontrada na Costa Rica, Bolívia, Paraguai, Argentina e em todo o Brasil. Geralmente ela mede 22 centímetros e pode pesar de 97 e 134 gramas.

Suas “orelhas” tem formato pontiagudo na lateral da cabeça. Os olhos bastante amarelados se destacam na face acinzentada com contorno preto.

De hábitos estritamente noturnos, a corujinha-do-mato busca abrigo em buracos feitos por pica-paus ou em cupinzeiros.

Coruja-diabo (Asio stygius)

Essa espécie de coruja pode ser encontrada no Brasil, no México, no Paraguai e na Argentina. Seus olhos vermelhos e intensos são responsáveis pelo nome que ela carrega. Ao se sentir ameaçada, a coruja-diabo ataca de maneira feroz.

Essas aves chegam a medir 40 centímetros, sendo os machos normalmente menores e mais leves que as fêmeas. A pelugem escura facilita a camuflagem nas matas.

Coruja-das-torres (Tyto furcata/ Tyto alba)

Também conhecida como coruja-da-igreja, coruja-católica e rasga-mortalha, essa espécie pertence à família Tytonidae. A coruja-das-torres habita diversos lugares do mundo, podendo ser vista em todos os continentes, com exceção da Antártica.

Essa coruja prefere lugares abertos e se adapta a diferentes climas, do temperado ao tropical. Ela mede de 20 a 36 centímetros de comprimento. A envergadura de suas asas varia de 75 a 110 centímetros.

Pesando de 250 a 700 gramas, a coruja-das-torres costuma viver por até 10 anos. Sua plumagem é suave e densa, apresentada nas cores castanho-claro com manchas escuras nas costas e na parte posterior da cabeça. A vocalização dessa espécie assemelha-se a um grito rouco, muito parecido com o som de um tecido sendo rasgado.

Coruja-das-neves (Bubo scandiacus)

Essa espécie de coruja habita regiões geladas ao norte dos Estados Unidos, Canadá, Alasca, Europa, Ásia e regiões do Ártico. No inverno rígido, elas migram em direção ao sul.

A coruja-das-neves mede de 53 a 65 centímetros de comprimento. Sua envergadura varia entre 1,25 e 1,50 metro. A coruja-das-neves chega a pesar de 1,8kg a 3kg.

O macho adulto apresenta plumagem bem branca, enquanto a fêmeas é um pouco mais escura. Essa característica permite que ela se camufle melhor nos períodos de reprodução, momento em que a fêmea precisa construir seu ninho.

Coruja-das-neves
Coruja-das-neves

O bico da coruja-das-neves é grande, afiado, arredondado, preto e esconde-se na penugem. Suas garras são compridas e curvas. A plumagem densa a protege das baixíssimas temperaturas.

Diferentemente da maioria das outras espécies, a coruja-da-neve caça durante o dia ou durante a noite. Isso acontece porque, durante o verão ártico, é quase sempre dia.

Sua apurada audição permite que ela ouça suas presas que se escondem debaixo da neve. O voo da coruja-da-neve consegue atingir a velocidade de 200 km/h, matando suas vítimas com um único golpe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *