Home / Informações / O Zaragateiro-de-face-preta

O Zaragateiro-de-face-preta

Reino: Animalia

Filo: Chordata

Classe: Aves

Ordem: Passeriformes

Família: Leiothrichidae

Gênero: Turdoides

Espécies: Turdoides melanops

O zaragateiro-de-face-preta é uma espécie de pássaro comumente encontrada em florestas de savana úmida. Ele prefere se abrigar em aglomerados de arbustos e em matagais entre os cupinzeiros. Essa ave também ocupa regiões ribeirinhas com grama densa, canaviais, fazendas, plantações de árvores exóticas e jardins suburbanos.

Esta espécie africana ocorre em países como a Uganda, Angola, Botsuana, Namíbia, Tanzânia, Moçambique, Zâmbia e África do Sul. Esse tipo de zaragateiro age em cooperação e vivem em grupos sociais de três a quinze aves que, juntas, defendem um território comum.

Turdoides melanops
Turdoides melanops

Características

Os zaragateiros-de-face-preta medem de 21 a 25 centímetros de comprimento e pesam de 55 a 85 gramas. A coloração desses pássaros são, em sua maioria, castanho acinzentado com manchas brancas em regiões variadas do corpo, especialmente abaixo do pescoço.

Os olhos são uma combinação de amarelo e branco. As áreas entre cada olho e o bico são bem enegrecidas, o que difere o zaragateiro-de-face-preta dos demais.

O canto dessa ave é descrito como som “anasalado”, semelhante a “wha-wha-wha” e um áspero e rápido “papapapa”.

Alimentação

Os zaragateiros-de-face-preta costumam se aglomerar no momento da refeição. Eles formam grupos no chão e na vegetação rasteira para se alimentarem de invertebrados como cupins, gafanhotos, besouros, mariposas, moscas, formigas e lagartas. Além disso, esses pássaros também comem sementes, frutas e néctar de plantas.

Zaragateiro-de-face-preta
Zaragateiro-de-face-preta

Reprodução

As fêmeas e os machos de zaragateiro-de-face-preta constroem juntos o ninho, composto por galhos, grama seca, caules de plantas e pecíolos de folhas revestidas com material mais fino, colocado na folhagem densa de uma árvore. Esse pássaro também pode nidificar em um arbusto, em uma pilha de troncos ou em uma cavidade de uma árvore morta.

A fêmea põe de dois a cinco ovos que possuem uma coloração azulada. O mais curioso é que os ovos são incubados por todos os membros do grupo em um período de 13 a 17 dias. Os filhotes são cuidados e protegidos por todo o grupo. As penas do filhotes ficam completamente prontas de 18 a 21 dias após a eclosão dos ovos.

Zaragateiro-de-face-preta Reprodução
Zaragateiro-de-face-preta Reprodução

Status de conservação

O zaragateiros-de-face-preta aparece com o status de Preocupação Menos na Lista Vermelha da União Internacional para Conservação da Natureza (UICN). Essa espécie tem um alcance muito grande e, portanto, não se aproxima dos critérios para ser considerada Vulnerável. ​​

Porém, há quem diga que a população dessa espécie de zaragateiro está diminuindo. Especialistas não acreditam que o declínio seja suficientemente rápido para se aproximar dos status de Vulnerável ​​sob o critério de tendência populacional. Esse status somente é adotado quando registra-se declínio maior que 30% ao longo de dez anos ou de três gerações.

O tamanho total da população de zaragateiros-de-face-preta ainda não foi quantificado.

Zaragateiro-de-face-preta Conservação
Zaragateiro-de-face-preta Conservação

Curiosidades

Promiscuidade e evolução da espécie

Pesquisadores da Universidade de Macquarie, em Sidney, Austrália, investigaram a vida sexual de algumas aves e afirmam que a promiscuidade das fêmeas está relacionada com a evolução da espécie.

No estudo, semanas após a postura de dois ovos, o Macho 1 foi retirado da gaiola por 30 minutos e substituído pelo Macho 2. Ele já chega cortejando e “seduzindo” a fêmea, que rapidamente o convida para a cópula.

Logo depois, os cientistas trocaram os machos novamente. A fêmea, então, age como se nada tivesse acontecido e aceita o Macho 1, seu “esposo”, e tudo continua como antes. A “fugidinha”, aparentemente, é esquecida.

O estudo acompanhou 40 fêmeas da espécie Erythrura gouldiae, conhecida como diamante gould. Apenas nove não copularam com o macho extra.

Além do “teste de fidelidade” das aves, os cientistas também registraram quantos novos passarinhos nasceram e, pelo DNA, puderam saber quem eram os pais de cada filhote. Mas, independente do resultado, o mais interessante foi a descoberta de que as fêmeas tendem a selecionar o esperma dos machos geneticamente mais compatíveis para fertilizar seus ovos.

Zaragateiro-de-face-preta Curiosidades
Zaragateiro-de-face-preta Curiosidades

A fêmea promíscua é capaz de guardar o esperma de seus parceiros por dias. Mas ainda não se sabe como elas conseguem selecionar os melhores espermatozoides. Só se tem conhecimento de que o esperma passa muitos dias no interior do trato reprodutivo antes de fertilizar o ovo.

De acordo com os pesquisadores, a hipótese é que, durante o período no qual o esperma é “guardado”, os tecidos femininos e produtos químicos poderiam favorecer o esperma tido como do bem e “atacar” o esperma do mal.

Outra possibilidade estudada é a de que a fêmea não influencie quimicamente nesta escolha. É possível que tal escolha ocorra na superfície do ovo: o melhor esperma é aquele capaz de penetrar a membrana do ovo e o mal seja incapaz de entrar.

Já em outro estudo, realizado pela Universidade de Oxford, 267 espécies de aves foram analisaram e descobriu-se que as taxas de promiscuidade foram três vezes maiores entre aquelas espécies que não apresentam a chamada “cooperação social”, como no caso do zaragateiros-de-face-preta.

Entende-se por “cooperação social” o hábito que algumas aves têm de se ajudar, como por exemplo na criação dos filhotes, dando comida ou ajudando na incubação ou defesa dos ovos.

Black-faced Babbler
Black-faced Babbler

A criação cooperativa é um comportamento especial do sistema reprodutivo, em que os pais recebem a ajuda de adultos não-reprodutores no ninho. Geralmente, esses “ajudantes” são jovens adultos de ninhadas anteriores. A cooperação social já foi observada também em espécies de mamíferos, como leões diferentes primatas.

O estudo chegou a conclusão de que, quanto mais promiscua a fêmea for, menos ajuda ela receberá do resto da família. Isso acontece porque, quando as fêmeas se acasalam apenas com um macho, seus filhos serão irmãos por completo e, assim, intimamente relacionados entre si. Tal fato poderá favorecer a cooperação entre eles, pois ajudar um parente próximo a reproduzir é considerado uma forma eficiente de transmissão de genes para gerações futuras.

Por outro lado, se uma fêmea acasala com vários machos, seus filhos serão meio-irmãos e com um grau de parentesco mais fraco. Em casos como esse, as jovens aves tendem a se dispersar para se reproduzir ao invés de ficar no ninho para ajudar a mãe.

Fotos do Zaragateiro-de-face-preta 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *