Home / Informações / O Que é Marsúpio?

O Que é Marsúpio?

Você provavelmente já ouviu falar dos marsupiais, certo? Mas você sabe de onde vem essa classificação?  O nome marsupial designa animais mamíferos que possuem marsúpio. Sendo que o mais famoso destes animais é o canguru.

Por o canguru ser o mais conhecido dos marsupiais, muitas pessoas chamam o Marsúpio de bolsa do canguru. Mas Marsúpio é uma bolsa abdominal e todos mamíferos da subclasse metatheria possuem essa bolsa.

A classificação metatheria é sinônimo de marsupialia. Porém, alguns autores afirmam que o termo é mais abrangente porque inclui muitos marsupiais primitivos.

No marsúpio os embriões conseguem completar seu desenvolvimento em contato direto e corporal com a mãe. Agarram-se em seu mamilo para efetuarem a sucção do leite materno.

Você pode estar se perguntando, mas como é formada essa bolsa abdominal? Pois saiba que ela é formada por uma dobra de pele abdominal que localiza-se por cima das glândulas mamárias das fêmeas de marsupiais.

Como vimos não é só o canguru que possui marsúpio. Neste artigo conheceremos outros animais marsupiais. Conheceremos também sobre o sistema reprodutor dos marsupiais e quais são as funções do marsúpio.

Reprodução dos Marsupiais

Não são todos os marsupiais que têm o marsúpio desenvolvido como o do canguru. Há espécies em que a bolsa se forma apenas no período reprodutivo.

As fêmeas marsupiais possuem o trato reprodutivo duplo. Ela tem duas vaginas laterais e dois úteros separados. São pelas vaginas laterais que o esperma passa.

No primeiro parto é desenvolvida a vagina mediana ou canal pseudovaginal. É por esse meio que ocorre o nascimento dos filhotes.

Para acompanhar o sistema reprodutor da fêmea, os machos também possuem um sistema distinto de outros mamíferos. O pênis do macho marsupial é bifurcado e o escroto localiza-se à frente do pênis.

A gestação dos marsupiais ocorre em um período muito curto. Pode variar dependendo da espécie, de 8 a 43 dias.

Função do Marsúpio

Os marsupiais são diferentes dos animais placentários, pois o desenvolvimento embrionário acontece fora do útero. O desenvolvimento embrionário ocorre dentro do marsúpio.

A função do marsúpio é ser como uma incubadora. O filhote de marsupial em estado embrionário sobe com seus braços da vagina até o marsúpio.

No marsúpio o filhote pode permanecer até o período de 8 meses, o tempo em que fica dentro da bolsa depende da espécie. É nele que o pequeno marsupial desenvolve-se.

O desenvolvimento dentro do marsúpio ocorre principalmente devido à facilidade que o embrião encontra para ingerir o leite materno. O leite materno possui muitos nutrientes que auxiliam no processo de desenvolvimento.

Ao estar sempre em contato com o mamilo, o filhote dentro da bolsa consegue alimentar-se e desenvolver-se adequadamente.

Diferente dos animais placentários, os marsupiais não têm placentas realmente capazes de fornecer nutrientes para seus bebês.

Além disso, devido a gestação dos marsupiais ser muito ligeira,  é necessário um tempo maior dentro da mãe para o filhote ter capacidade de deslocar-se sozinho pela natureza.

Então, o marsúpio tem a função de proteger, carregar e contribuir no desenvolvimento dos marsupiais. Uma informação interessante é que mesmo depois de passar meses dentro da bolsa, alguns filhotes de marsupiais ainda são carregados pelas suas mamães.

Dessa forma, é graças ao marsúpio que os animais marsupiais ficam aptos para conhecer o mundo exterior. É só depois do tempo dentro da bolsa que eles ficam saudáveis o suficiente para explorar o meio ambiente em que se encontram.

Animais que Possuem Marsúpio

Além do canguru existem muitos outros animais que são marsupiais e possuem marsúpio. A maior parte dos marsupiais podem ser encontrados na Austrália e na América do Sul.

Na América do Norte há apenas a espécie conhecida como Gambá-da-Virgínia. Essa espécie pode ser encontrada desde o Sul do Canadá até a América Central.

A fêmea do Gambá-da-Virgínia pode ter cerca de vinte e cinco filhotes. Como ela não tem mamilos o suficiente para alimentar todo mundo, os filhotes revezam-se para alimentar-se.

A gestação do Gambá-da-Virgínia dura entre 12 e 13 dias. E os filhotes permanecem no marsúpio da mãe por no máximo 4 meses.

Gambá-da-Virgínia Com Seus Filhotes
Gambá-da-Virgínia Com Seus Filhotes

Um marsupial que já influenciou até mesmo a criação de um personagem de desenho animado, é o Diabo-da-Tasmânia. Ele é um animal endêmico da ilha de Tasmânia, na Austrália. Ou seja, só pode ser encontrado dentro da ilha.

A mamãe Diabo-da-Tasmânia pode ter cerca de 50 filhotes em uma única gestação! Esses 50 filhotes precisam disputar pelos 4 mamilos para conseguir sobreviverem. Só os mais ágeis conseguem subir até o marsúpio, mamar e se desenvolverem.

Diabo-da-Tasmânia Fotografado de Frente
Diabo-da-Tasmânia Fotografado de Frente

Os filhotes de Diabo-da-Tasmânia ficam na bolsa da mãe por um período mais curto. É comum permanecerem no marsúpio por quatro meses.

Outro marsupial mais conhecido é o Coala. Ele pode ser encontrado na Austrália.

A fêmea de Coala geralmente dá luz a um filhote, mas muito raramente pode ter dois filhotes. Sua gestação dura cerca de 35 dias.

Coala Com seu Filhote nas Costas
Coala Com seu Filhote nas Costas

O filhote de coala permanece no marsúpio por aproximadamente cinco meses e meio. Só depois de 8 meses é que a permanência fora da bolsa torna-se definitiva. Depois desse período ele só enfia a cabeça no marsúpio para mamar.

O coala é um exemplo de marsupial que mesmo depois de passar meses na bolsa, é carregado pela mãe por um período após sair completamente dela.

Marsupiais no Brasil

Temos alguns animais representantes dos marsupiais aqui no Brasil. É possível encontrar aqui no país espécies de Gambás e Cuícas.

A espécie Cuíca-Graciosa pode ser encontrada em várias regiões do Brasil. É possível vê-las desde o Estado de Minas Gerais até o Rio Grande do Sul.

Cuíca-Graciosa Andando no Galho de uma Árvore
Cuíca-Graciosa Andando no Galho de uma Árvore

Existem três espécies de Cuícas aqui no país: Gracilinanus Agilis, Gracilinanus Microtarsus e Gracilinanus Emiliae. Gracilinanus significa em latim “anão gracioso”, as Cuícas receberam esse nome por causa de seu tamanho pequeno.

As outras espécies presentes no Brasil são os Gambás. Pelo menos 4 espécies diferentes podem ser encontradas aqui no país.

O Gambá-de-Orelha-Preta, ou Didelphis Aurita, vive principalmente em regiões com mata atlântica, em Estados como São Paulo e Rio de Janeiro. Mas alguns também vivem no Norte do Rio Grande do Sul e na Amazônia.

Gambá-de-Orelha-Preta em Cima de um Muro
Gambá-de-Orelha-Preta em Cima de um Muro

Em diversas regiões Brasileiras podem ser encontrados Gambás-de-Orelha-Branca. Seu nome científico é Didelphis Albiventris. Ele vive desde o Nordeste até o Rio Grande do Sul. No Nordeste é chamado de Timbu.

O Gambá-Comum, Didelphis Marsupialis, pode ser encontrado principalmente na região Amazônica. Ele também está presente em outros países da América do Sul, como Argentina e Paraguai.

Outro Gambá que pode ser encontrado em terras Brasileiras, é o Didelphis Paraguaiensis. Como o próprio nome sugere, ele pode ser encontrado também no nosso vizinho Paraguai.

Durante três vezes por ano os Gambás podem reproduzir-se. Cada mãe pode ter de dez a vinte filhotes. A gestação dura de 12 a 14 dias.

Depois desse período nascem os embriões que sobem para o marsúpio, lá ficando por 4 meses. Após esse período são carregados pela mãe no dorso, pois ainda não são capazes de ficarem sozinhos no meio ambiente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *