Home / Informações / Marsupiais Australianos

Marsupiais Australianos

A Austrália é um grande continente que permaneceu isolado durante muitos anos. Nesse isolamento do resto do mundo, um grupo muito antigo de mamíferos se adaptou em diferentes espécies.

É um continente com uma fabulosa biodiversidade. Inclusive, só entre o mais conhecido popularmente entre eles, o canguru, há várias espécies, uns maiores, outros menores, de diferentes habitats na Austrália. Já os coalas, sim, curiosamente ele também é um marsupial como quase todos os mamíferos australianos.

Os coalas vivem nos bosques de eucaliptos do sudeste australiano. Outro deles, os gambás, são de porte menor, entre eles existem duas espécies, um mais comum e outra mais rara. Mais um entre eles, o diabo da Tasmânia, é um marsupial predador e carnívoro. Seu parente é o lobo da Tasmânia, que foi extinto pela incompreensão humana nos anos trinta do século vinte. E por último, um bem menos conhecido, nomeado como rato marsupial. São predadores noturnos de aves e pequenos mamíferos.

Os marsupiais são mamíferos muito antigos. A grande maioria sobrevive na Austrália. Mas antes te apresentar quem são os marsupiais, tema do texto, vamos a algumas explicações:

O Que São os Marsupiais?

Os animais mamíferos são classificados de acordo com o seu desenvolvimento embrionário. Existem três classificações de mamíferos: Os que têm seu desenvolvimento embrionário dentro do ovo, os monotremados; os que têm seu desenvolvimento embrionário total dentro da placenta, os chamados placentários, onde o seu desenvolvimento total embrionário é dentro do corpo da mãe através de um anexo embrionário presente na placenta, e por último, os que têm seu  desenvolvimento embrionário parcialmente dentro da placenta e seu desenvolvimento embrionário total dentro do marsúpio, uma espécie de bolsa. Dentre os marsupiais o mais conhecido popularmente é o canguru.

Para que Serve o Seu Marsúpio, ou Seja, sua Bolsa?

Canguru na Bolsa da Mãe
Canguru na Bolsa da Mãe

A placenta do coala que é um marsupial, é corioalantoideana como a nossa, que somos placentários. A diferença dos nomes marsupiais e placentários dá a entender que temos placenta e os marsupiais não. Mas calma, não é bem assim.

A diferença é que mantemos a placenta por toda a reprodução, já os marsupiais como o coala formam a placenta durante um período, mas não conseguem mantê-la íntegra durante toda a gravidez. Podemos dizer que a gravidez é interrompida prematuramente e se completasse dentro do marsúpio, ou seja a “bolsa” da mãe.

No marsúpio o filhote é alimentado pelo leite que a mãe produz e recebe, desta forma, todos os nutrientes necessários para o seu desenvolvimento, no lugar anterior cordão umbilical. Ou seja, nós conseguimos manter a placenta por mais tempo e os marsúpios por menos tempo.

O que a gente pode conceber diante disso também é que os marsupiais são animais menos evoluídos que os placentários, o que não é verdade. O que temos aqui é apenas diferentes estratégias de reprodução e desenvolvimento.

Depois de um período longo de gestação nascemos e temos um período curto de amamentação, já marsupiais têm um período curto de gestação e depois que o filhote nasce têm um longo período de amamentação mais longo que o nosso por exemplo. Para termos mais noção, a gestação na placenta do canguru é de cerca de trinta e três dias, mas este animal passa oito meses dentro do marsúpio de sua mãe após sair da placenta.

O Marsupial Australiano mais Conhecido Popularmente

É sobre ele mesmo que vamos falar, o maior animal saltitante do mundo, o canguru. No habitat hostil da Austrália, ele conseguiu se adaptar bem. Ele faz parte de um grupo de mamíferos que consegue resolver os problemas básicos da vida, como se movimentar, se manter fresco e se reproduzir de forma intrigante.

Canguru Deitado Fazendo Pose
Canguru Deitado Fazendo Pose

As fêmeas do canguru podem pesar até quarenta quilos, já o macho pode chegar ao dobro do peso, tendo quase o mesmo peso que a média das pessoas. Não parecido conosco só nessa característica, se pode dizer que tem o desenvolvimento tardio comparado aos outros mamíferos, só param de crescer com cerca de dez anos de idade.

Não só o peso é parecido com o nosso, mas quando ereto, a altura também. Com seus músculos fortes presentes nos braços, pernas e peito. Curiosamente, por esse motivo houve uma época em que eram permitidas lutas entre cangurus e humanos, luta literalmente, pois o canguru não deixava a desejar perto da performance do lutador, hoje em dia graças ao senso crítico e bom senso, esse costume está proibido. Quando eretos sobre a calda na natureza, fazem questão de mostrar seus músculos para outros machos na disputa por fêmeas. Na natureza essa competição pode ser cruel, com socos, chutes e mordidas. Quando está em jogo uma fêmea receptiva, não há limites. A chance da participação na reprodução depende da luta.

Ainda sobre a fisionomia, nos cangurus, ao contrário dos placentários, o testículo fica em cima e o pênis embaixo. Quando lutam têm a capacidade de colocarem os testículos para dentro do abdômen para o protegerem de socos, chutes e mordidas, já que é um órgão bem mais sensível e seria uma dor insuportável para continuar a disputa. Ao mesmo tempo podem deixar soltos e pendurados, para esfriar e otimizar a produção de espermatozoide.

Na fêmea além de sua bolsa que a diferencia dos outros mamíferos, o canal da vagina e da uretra só tem uma abertura, na mesma altura do testículo do macho. E mais estranho que isso, é o fato de terem três vaginas.

A Curiosa Reprodução dos Ratos Marsupiais Australianos

Eles são os mais pequenos entre os marsupiais australianos. Curiosamente podem arriscar sua própria vida para reproduzirem, após o primeiro ano de vida, ao adquirir testosterona. Após esse período, lutam pela vida engravidando o maior número possível de fêmeas durante três meses. O que é uma tarefa nada fácil, pois para cada fêmea gastam-se cerca de quatorze horas.

Dia e noite ele continua até outro macho tão insistente quanto ele aparecer. Por tanto esforço, o seu sistema imunológico começa a falhar, passa a ter hemorragia interna. A obsessão dele chega tão longe a ponto de não conseguir se manter vivo para conhecer seus filhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *