Home / Informações / Girafa Reticulada

Girafa Reticulada

Conhecidas como os animais terrestres mais altos da atualidade, as girafas são animais mamíferos, herbívoros e ungulados.

Atualmente, há 4 espécies de girafa, desde o ano de 2016, quando uma análise genética demonstrou profundas diferenças entre as subespécies existentes. Antes desse estudo, acreditava-se haver apenas uma espécie de girafa.

A girafa reticulada também é chamada de girafa somali por ser facilmente encontrada na Somália, Norte do Quênia e Sul da Etiópia. Atualmente, acredita-se que haja 8.500 girafas vivendo em ambiente silvestre, apesar da condição de vulnerabilidade desta espécie e das demais espécies de girafa.

A girafa reticulada é uma das espécies mais facilmente encontrada nos zoológicos. Nos ambientes silvestres, tem preferência por locais como savanas, várzeas sazonais e florestas tropicais.

Neste artigo, você conhecerá algumas características da girafa, particularmente da espécie girafa reticulada.

Então, venha conosco e boa leitura.

Conhecendo as Espécies de Girafa

Até o ano de 2016, acredita-se que havia apenas uma espécie de girafa (Giraffa camelopardis), a qual apresentava 9 subespécies. A girafa reticulada era considerada uma dessas subespécies existentes. Esta classificação antiga remete ao ano de 1758, no qual o zoólogo Carl Linnaeus classificou as girafas como pertencentes a uma única espécie. Posteriormente, em 1899, William Edward categorizou e criou as nove subespécies.

No entanto, este cenário se alterou quando dois geneticistas, Julian Fennessy e Axel Janke, realizaram um estudo de análise dos marcadores genéticos, com a finalidade de mostrar a diferenciação entre as subespécies da girafa.

Julian Fennessy também é diretor da ONG Giraffe Conservation Foundation. A idéia da girafa ser um animal em situação de vulnerabilidade, com população diminuindo a cada ano, associado à escassez de estudos sobre o tema, o motivou a realizar este estudo.

A análise genética foi realizada a partir da biópsia de pele de 190 girafas, obtendo como resultado 4 espécies, são elas a girafa-do-sul (Giraffa giraffa); girafa-masai (Giraffa tippelskirchi); girafa-do-norte (Giraffa camelopardalis) e a girafa reticulada (Giraffa reticulata) protagonista deste artigo.

Girafa Reticulada: Características Físicas

Graças ao longo pescoço, algumas girafas podem chegar a até 6 metros de altura. E falando em estruturas longas, aqui fica registrado um destaque especial para as patas e a língua. As patas dianteiras são maiores do que as traseiras e, quando a girafa precisa se abaixar para ingerir gramíneas, ela afasta as patas dianteiras. A língua é bastante comprida, tendo, em média, 50 centímetros de comprimento. Outra estrutura longa é a cauda da girafa, acredite se quiser, mas a sua média de comprimento é de 80 centímetros.

Mesmo com a grande altura, o comprimento do corpo também é extenso, e ultrapassa com frequência a marca de 2 metros. O peso do coropo pode ultrapassar os 500 quilos.

Tamanho da Girafa Reticulada
Tamanho da Girafa Reticulada

Por ser um animal longo, e com peso corporal relativamente denso, a girafa precisa manter-se bem nutrida. No entanto, como este animal se alimenta quase que exclusivamente de folhas, ele ingerir grande quantidade delas. Muitas vezes, a girafa pode passar até 20 horas ao dia mastigando e se alimentando.

Mesmo com a grande altura, as girafas podem atingir até 56km/h de velocidade, quando são perseguidas por predadores.

A pelagem da girafa é de cor amarelo-tostado ou alourado, a qual muitos chamas de cor fulva. Somado a essa coloração, há grandes manchas marrons ao longo do dorso, as quais são únicas para cada girafa. Além de ajudarem na camuflagem, as manchas também estão presentes abaixo da pele e ajudam a regular a temperatura corporal.

O ventre da girafa possui pelagem branca e nenhuma mancha marrom.

Embora o pescoço da girafa seja longo, ele é muito rígido e pouco flexível, curiosamente é formado por apenas sete vértebras cervicais. O número de costelas na região torácica também é reduzido.

O sistema cardiovascular da girafa é conhecido por exercer a maior pressão sanguínea do mundo animal. O seu coração é composto por duas entradas ou orifícios, uma delas é responsável por bombear o sangue para o pulmão e para os membros; enquanto que a outra é responsável unicamente por suprir as necessidades sanguíneas o cérebro. Logo, há naturalmente uma pressão sanguínea de sobrecarga muito grande sobre a cabeça do animal, a qual aumenta quando a girafa se abaixa para beber água, por exemplo. No entanto, há um mecanismo importante utilizado para amortecer e aliviar esta sobrecarga, trata-se de uma rede de vasos capilares presentes dentro do crânio do animal, esses vasos capilares se ramificam em outros vasos menores. Somado a isso, há uma veia de grosso calibre e cheia de válvulas que recebe e divide o fluxo sanguíneo, quando a pressão na área da cabeça está excedente.

Girafa Reticulada: Padrão Comportamental

A girafa não é considerada um animal solitário, ao contrário, é gregário e pode ser visto presente nas savanas africanas em bandos não muito numerosos. Ela também pode se associar a avestruzes e antílopes e ser vista na companhia deles.

As girafas dormem em pé, por estarem sempre em alerta sobre o ataque de predadores. São apenas 2 horas de sono por dia, dividida em curtos períodos. Quando este animal está completamente seguro, ele pode se deitar para dormir, no entanto, é despendido um longo período de tempo para levantar-se.

O período de gestação da girafa é de, em média, 420 a 450 dias. Cada gestação da origem a penas uma girafa que já nasce com 1, 50 a 1,70 metros. Uma peculiaridade dos filhotes de girafa é que, no momento do nascimento, os seus chifres estão soltos no crânio, esta característica permite que, durante a saída do útero materno, eles não machuquem a mãe. Esses chifres que nasceram soltos se fundem aos ossos ao longo da infância e da adolescência.

Girafa Reticulada: The IUCN Red List

Depois que a girafa reticulada foi citada na IUCN Red List como uma espécie ameaçada ou em situação de vulnerabilidade, várias organizações de conservação foram criadas, principalmente no Quênia. Essas organizações trabalham com contratação e treinamento de trabalhadores denominados “guardas de girafas”, ou Twiga Walinzi, no idioma local. Esses guardas monitoram câmeras com captura de imagem das girafas e outros animais silvestres, de modo a rastrear e identificar incidentes e atos de caça furtiva. Eles também têm como responsabilidade desarmar armadilhas, informar sobre movimentações suspeitas aos guardas-florestais e sensibilizar a população acerca da preservação da fauna.

*

Agora, que você já conhece um pouco mais sobre a girafa reticulada, continue conosco e visite outros artigos do site.

Até as próximas leituras.

 

REFERÊNCIAS

Observador. As girafas enfrentam perigo de extinção. Disponível em: < https://observador.pt/2016/12/09/as-girafas-enfrentam-perigo-de-extincao/>;

SOARES, V. Correio Braziliense. Cientistas descobrem que existem quatro espécies de girafas. Disponível em: < https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/ciencia-e-saude/2016/09/09/interna_ciencia_saude,547858/analise-genetica-revela-que-girafa-conta-com-quatro-especies-e-nao-um.shtml>;

The Guardian. Rare white giraffes sighted in Kenya conservation areas. Disponível em: < https://www.theguardian.com/environment/2017/sep/14/rare-white-giraffes-spotted-kenya-conservation-area>.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *