Home / Informações / Chimango

Chimango

O chimango é uma ave de rapina originária da América do Sul, aparecendo no centro Sul do Brasil, em especial no inverno, em toda a Argentina, Chile, Uruguai, Paraguai e Bolívia. Abaixo estão listadas as suas principais características. Confiram!

Origem do nome

O seu nome tem origem na língua tupi guarani xim xima.

Chimango
Chimango

Reprodução

Durante o período reprodutivo ele joga a cabeça para trás ao mesmo tempo em que emite uma vocalização característica. A nidificação pode ser separadamente ou em colônias. A postura ocorre a partir de setembro, sendo o mês de outubro o de maior produção. Constroem seus ninhos sobre a vegetação, e a preferência pela espécie ou localização não parecem ter importância. Cada postura consiste em dois ou três ovos. A incubação dura de 26 a 32 dias. Depois de cinco semanas as crias deixam o ninho. O casal compartilha das responsabilidades nos cuidados do ninho, a construção, a defesa, o choco e a alimentação dos filhotes.

Dieta

Essa ave prefere se alimentar de carniça, embora possa atacar animais que perceba feridos ou doentes, incluindo ovelhas e até mesmo cavalos. Às vezes, é oportunista usando a força do grupo para atacar qualquer presa.

Chimango Alimentação
Chimango Alimentação

Descrição física

As fêmeas são ligeiramente maiores que os machos, pesando cerca de 300 gramas. O peso dos machos é ligeiramente abaixo 290 gramas. Seu tamanho varia de 37 a 43 centímetros. A sua coloração é creme, tem uma mancha clara em cada asa e lado ventral amarelado com estrias longitudinais escuras. Diferenciam-se dos seus parentes Milvago chimachima (gavião-carrapateiro), pois suas penas são marrons com as franjas mais claras. As partes inferiores das asas são de tonalidade castanha com manchas escuras.

Habitat e Distribuição geográfica

O gavião carrapateiro pode ser encontrado em campos naturais, áreas agrícolas, pastagens, praias e restingas e em alguns centros urbanos, especialmente de cidades litorâneas. Habita áreas desde o nível do mar até 1500 metros. Isso nas regiões no sul do Brasil, norte do Chile até a Terra do Fogo e sul da Argentina, Paraguai e Uruguai. No Brasil, é considerado habitante comum no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, em particular nas porções litorâneas, tornando-se gradativamente menos frequente no sentido sul e norte e nos planaltos do interior de Santa Catarina. No Paraná a ocorrência do chimango foi verificada no Parque Estadual Na Ilha do Mel, no Parque Nacional de Superagui e no Parque Nacional do Iguaçu. Também conta com registros esporádicos no interior de São Paulo, Mato Grosso do Sul e Goiás.

Chimango Habitat
Chimango Habitat

Subespécies

Existem duas subespécies de chimango, o M. c. chimango que encontra-se no norte e centro do Chile e no norte e centro da Argentina ao Uruguai e sul do Brasil e M. c. temucoensis que encontra-se no sul do Chile e sul da Argentina até o norte da Terra do Fogo.

Vive só

Costuma viver solitário ou aos pares, porém, forma grandes grupos quando há fartura de alguma fonte de alimento.

Parcialmente migratório

É parcialmente migratória, indivíduos que se reproduzem no sul da Argentina (Patagônia) migram para o norte do país, Cordilheira dos Andes, Bolívia, até o norte do Peru.

Chimango Voando
Chimango Voando

O parente

O gavião carrapateiro (Milvago chimachima) é uma ave da ordem Falconiformes, da família dos falconídeos, que ocorre da América Central ao norte do Uruguai e da Argentina e em todo o Brasil, onde é um dos gaviões mais conhecidos.

Descrição física

A espécie possui cerca de 40 cm de comprimento, dorso marrom-escuro, cabeça, pescoço e partes inferiores branco-amareladas, face nua e alaranjada, asas longas, com nítida mancha branca, e cauda longa.

Outros nomes

Também é conhecido pelos nomes de caracará-branco, caracaraí, caracaratinga, carapinhé, chimango, gavião-pinhé, papa-bicheira, pinhé, pinhém, chimango, chimango-branco e chimango-carrapateiro e chimango-do-campo. Recebe o nome popular de carrapateiro por ser comumente observado alimentando-se de carrapatos ou bernes de bovinos e de equinos.

Gavião Carrapateiro
Gavião Carrapateiro

Dieta

Alimenta-se principalmente dos parasitas de bovinos e equinos tais como os carrapatos. Quando não encontra carrapatos, seu prato principal, alimenta-se de lagartas, cupins, caniças e frutas e saqueia ninhos. Em remanescentes florestais devora parasitas de herbívoros de grande porte, como a anta e os veados. Mas esses animais não são encontrados com facilidade, nem em grande número, assim, pode-se dizer que é uma das poucas espécies que se beneficiam do desmatamento para a formação de pastos e criação de grandes rebanhos, pois encontra vasta quantidade de carrapatos. Nas regiões litorâneas se alimenta de peixes acostados pelas marés, conforme observamos na Ilha do Mel.

Habitat

Esta espécie de gavião, assim como Polyborus plancus, o carcará, é muito comum, inclusive em áreas urbanas, sendo talvez a ave de rapina mais visível nas cidades brasileiras, com exceção do urubu. Por conta de sua abundância, pode ser visto até nas torres de iluminação do Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro. Por causa do seu voo lento torna-se alvo de ataques do bem-te-vi e outras aves e das suas vocalizações frequentes. Quando em sobrevoo, emite um grito agudo que soa como “pinhé”, semelhante ao canto do gavião carijó (Buteo magnirostris).

Carcará
Carcará

Construção dos ninhos

Os ninhos são construídos com ramos secos, em palmeiras ou em outras árvores. Os ovos, de 5 a 7, são redondos, pardo-amarelos com manchas pardo-vermelhas. A fêmea encarrega-se da incubação e o macho fornece-lhe o alimento durante tal período. Nos falconiformes, o tempo de incubação é de 4 a 8 semanas; após o nascimento dos filhotes o macho continua a alimentar a fêmea e esta, por sua vez, as jovens crias.

Hábitos

O carrapateiro é frequentemente encontrado nas fazendas de gado, com os quais vivem associados, retirando destes carrapatos. Frequentemente é encontrado retirando carrapatos de capivaras, estas por sua vez, vivem grande parte do tempo no meio aquático visando a sua proteção, porém, acabam tornando-se hospedeiras de grandes quantidades de carrapatos. Quando em sobrevoo, emite um grito agudo que soa como “pinhé”(som no qual é suficiente para identificá-lo), semelhante ao canto do gavião-carijó (Rupornis magnirostris).

Fotos do Chimango 

E aí, gostou do artigo? Compartilhe com os seus amigos! Combinado? Saiba que todos os dias aqui no blog tem conteúdo atualizado sobre o mundo animal. Caso você queira receber artigos exclusivos no seu e-mail como este post, é só se inscrever em um campo que fica à sua direita na tela.

Até breve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *