Home / Informações / Canguru de Bennett

Canguru de Bennett

Dados científicos

Nome comum: Canguru de bennett| Nome científico: Macropus rufogriseus| Filo: chordata| Classe: Mammalia| Ordem: Marsupialia| Subordem: Diprotodontia | Família: Macropolidae.

Macropus rufogriseu
Macropus rufogriseu

Dimorfismo sexual e Identificação

Os machos são consideravelmente maiores do que as fêmeas chegam a medir 1,1 m de altura, já as fêmeas não passam de 1 metro. Eles vivem por cerca de 20 anos e chegam a maturidade sexual com aproximadamente 15 meses para as fêmeas e 20 meses para os machos. Apresenta pelagem castanha-acinzentada, com pelo avermelhado na região da nuca e ombros. Desloca-se por saltos de 1 a 2 metros que podem chegar aos 9 metros de comprimento.

Canguru de Bennett
Canguru de Bennett

Reprodução

As fêmeas que são criadas em cativeiro começam a vida reprodutiva aos 14 meses de idade enquanto os machos criam aos 19 meses. A duração do cio é de aproximadamente 33 dias. Nasce um filhote de cada vez, o período de gestação é de 30 dias quando o recém- nascido migra para a bolsa marsupial.

Vida dentro da bolsa

O filhote vive dentro da bolsa por aproximadamente 280 dias, depois deste período sai da bolsa e só volta para lá para beber leite, descansar ou obter proteção. O desmame acontece entre os 12 a 17 meses.

Canguru de Bennett Reprodução e Bolsa
Canguru de Bennett Reprodução e Bolsa

Habitat

Encontra-se no Sul da Austrália e na Tasmânia, em planícies áridas e em savanas.

Dieta

Costumam se alimentar de gramas e ervas a tarde e no crepúsculo.

Esfriam-se lambendo-se

O canguru bennett usa o rabo como um suporte. Eles são principalmente crepusculares e passam horas do dia descansando em lugares com sombra. Eles se esfriam lambendo as mãos e antebraços durante o tempo quente ou quando estão nervosos.

Canguru de Bennett Habitat
Canguru de Bennett Habitat

Seres solitários

Eles são essencialmente solitários, mas pode pastar em grupos de até 30 indivíduos. No passado, esta espécie foi caçada para pele e carne. Eles eram considerados uma praga pelos fazendeiros, pois competiam com o gado e as ovelhas pelo pasto. Eles também dificultavam o trabalho de reflorestamento, pois se alimentavam ou pisavam nas mudas. Por isso, durante anos foi perseguido e morto. Porém, a espécie conseguiu se recuperar durante os últimos anos e agora é abundante na Austrália.

Canguru de Bennett Solitários
Canguru de Bennett Solitários

Espécie protegida

A espécie é protegida através da lei em todos os Estados nos quais vive, mas pode ser caçado com licença especial se for provado que ele está se tornando praga para as colheitas ou os pastos. Isto só ocorre durante as estações de caça abertas na Tasmânia. Não estão diretamente ameaçados, mas como acontece com todos os marsupiais, a destruição do habitat e a caça são as principais causas do seu desaparecimento progressivo.

Pelo denso

O canguru de bennet é um dos cangurus com pelo mais denso, E isso o torna ideal para o clima fresco da Tasmânia onde habita.

Canguru de Bennett Pelos
Canguru de Bennett Pelos

Pausa embrionária

Normalmente nos mamíferos, após a reprodução o embrião começa logo a desenvolver-se, nos cangurus o desenvolvimento do embrião pode ser interrompido por algum tempo dependendo das condições climatéricas. Este sistema denomina-se de pausa embrionária. Os cangurus retomam o desenvolvimento embrionário, quando as condições são favoráveis e o alimento é abundante.

Velocidade

O canguru utiliza apenas duas patas e por isso têm um gasto de energia inferior aos animais que utilizam as quatro. Os cangurus podem atingir uma velocidade de 40 a 50 km/hora.

Canguru de Bennett
Canguru de Bennett

Carne de canguru

A carne de canguru é consumido em seu próprio país é um produto é rico em proteína e tem pouca gordura. Alguns relatam não conhecerem outro local que coma o seu próprio símbolo nacional. Essa frase demonstra o estranhamento que muitos estrangeiros têm com o fato de os australianos comerem a carne de canguru.

O consumo desse alimento acontece há milhares de anos entre os aborígenes da região e vem se tornando mais comum nas grandes cidades do país. O alimento, anteriormente era disponível em apenas em alguns açougues especializados em carnes exóticas, agora já pode ser encontrado nas gôndolas dos grandes supermercados, na forma de bife, hambúrguer, espeto ou salsicha.

Carne de Canguru
Carne de Canguru

Alguns restaurantes já incluíram no cardápio pratos feitos de canguru. Esse é o caso do Meat & Wine Co, uma rede de restaurantes com unidades nas cidades de Sydney e Melbourne. O filé de canguru grelhado com molho de ervas, chutney de tomate encontra-se entre as primeiras opções dos pratos principais. Ao pedi-lo, vem acompanhado por batatas, legumes e anéis de cebola empanados. A carne é descrita como suculenta e o gosto não difere muito do de um filé bovino, de acordo com algumas pessoas que experimentaram. De acordo com o gerente do estabelecimento, o prato faz sucesso, especialmente entre os turistas asiáticos.

Carne polêmica

O consumo desse animal carrega controvérsias. Enquanto alguns australianos acham natural consumi-lo e a incluem regularmente em sua lista de compras, outros ainda a consideram um tabu. Alguns ativistas reclamam de que a comercialização desse tipo de carne fere os direitos dos animais, mas o governo afirma que a exploração comercial de algumas espécies é necessária para o equilíbrio do meio ambiente do país, já que eles são considerados quase uma praga em algumas regiões.

Carne de Canguru em Restaurantes
Carne de Canguru em Restaurantes

A população de cangurus aumentou dramaticamente desde a chegada dos europeus ao país, a exploração é conduzida sob controles ambientais estritos. Das mais de 40 espécies de canguru presentes no país, a lei permite que apenas as quatro mais abundantes sejam comercializadas, em uma quantidade que depende de uma cota revisada anualmente. Esses animais não são criados em fazendas, mas abatidos na vida selvagem por caçadores licenciados.

Outro argumento a favor do consumo é que a carne de canguru é mais saudável do que outras carnes vermelhas, por ter grande quantidade de proteína, zinco e ferro e pouca gordura saturada – apenas 2% de sua composição, segundo a associação da indústria de canguru do país.

Por esse mesmo motivo, é preciso cozinhá-la com cuidado, porque ela pode ficar seca facilmente. A associação recomenda ensopar a carne em óleo por ao menos 15 minutos antes do cozimento e servi-la ao ponto para mal passada, vermelha por dentro. O governo afirma que a carne é exportada para mais de 55 países a Rússia e União Europeia são os maiores mercados. Além da carne, o couro a pele do canguru também são exportados e vendidos dentro da Austrália. Produtos com essa matéria-prima podem ser encontrados em mercados e lojas pelo país.

Fotos de Canguru Bennett

E aí, gostou do artigo? Compartilhe com os seus amigos! Saiba que todos os dias aqui no blog tem conteúdo atualizado sobre o mundo animal. Caso você queira receber artigos exclusivos no seu e-mail como este post, é só se inscrever em um campo que fica à sua direita na tela.

Até breve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *