Home / Informações / Animais que Começam com a Letra A

Animais que Começam com a Letra A

Abutre-barbudo 

O abutre-barbudo é uma ave que tem origem nas montanhas da Europa, Ásia e África. Esse animal pode pesar até 12,5 kg, medir 1,10 metros de comprimento e alcançar de 2,75 a 3,08 metros de envergadura.

Essa espécie (Gypaetus barbatus) caracteriza-se pela coloração dourada na região da cabeça. Isso acontece porque esse animal tem o costume de banhar-se em terra rica em óxido de ferro, componente responsável pela cor peculiar dessa ave.

O abutre-barbudo alimenta-se quase que exclusivamente de ossos. Na verdade, ele é a única ave especializada em ossos, chegando a desprezar a carne de uma carcaça.

A maturidade sexual do abutre-barbudo ocorre aos cinco anos de idade, sendo a sua expectativa de vida algo em torno dos 40 anos.

Alpaca 

Existem dois tipos de alpaca: as Huacaya e as Suri.

A Huacaya possui fibras densas e esponjosas que cobrem todo o seu corpo, deixando apenas a cara e as patas revestidas por um pelo mais curto. A pelagem dessa alpaca cresce em sentido perpendicular ao corpo. Esse é o tipo de alpaca mais popular e corresponde a 93% da criação.

Já as alpacas Suri apresentam fibras lisas, sedosas e compridas, que crescem em sentido paralelo ao corpo do animal. Em todo o mundo, a população do tipo Suri é de aproximadamente 150.000. Devido a sua raridade, sua fibra é bastante valorizada

Alcatraz 

O alcatraz é considerado a maior ave marinha, medindo de 65 a 97 centímetros e com envergadura que chega a 1,7 metros. Essa ave pode pesar até 2,3 kg. O tamanho do bico varia entre 5,5 e 7,25 centímetros.

O alcatraz ocorre em áreas costeiras da Rússia, Escandinávia, França, Reino Unido e Irlanda. Ao norte do Atlântico, essa ave distribui-se pela Islândia e pelo sul da Groenlândia, além da costa atlântica do Canadá e dos Estados Unidos.

Alce-gigante 

O já extinto alce-gigante viveu durante os períodos Glaciais e Idade do Gelo, na época do Pleistoceno. O Megaloceros giganteus distribuía-se por toda a Europa, África do Norte e algumas regiões da China.

Essa espécie media cerca de dois metros de altura. Seus chifres eram maiores do que os de qualquer outro cervídeo: aproximadamente 3,65 metros de ponta a ponta, pesando em torno de 40 kg.

O peso do alce-gigante variava entre 540 e 600 kg. Pesquisadores já encontraram fósseis que indicam que houve indivíduos com mais de 700 kg de massa corporal.

Adax 

O Adax é um bovídeo que habita as regiões de deserto no norte da África. Seus chifres anelados são a sua principal característica.

Essa espécie é considerada o maior animal nativo da região do Saara, medindo 1,7 metros de comprimento e pesando 92 kg. Somente os chifres medem 115 centímetros nos machos e 110 nas fêmeas.

No inverno, a coloração do Adax é mais amarelada. Já no verão, o animal adquire uma tonalidade mais branca. Isso serve como mecanismo de regulação da temperatura corporal.

Acará-do-congo 

O acará-do-congo é, na verdade, o acará-zebra que perdeu as suas listras pretas devido a uma mutação genética causada pela reprodução selecionada. Assim, esse peixe perdeu pigmentação e adquiriu  uma coloração bem próxima ao branco.

Em seu habitat natural, essa espécie possui alimentação bem variada: crustáceos, peixes pequenos, insetos, vermes, plantas, algas, etc.

O peixe acará-do-congo consegue abrir seu maxilar em aproximadamente 4,2% de seu comprimento corporal.

Águia-de-cabeça-branca 

Símbolo dos Estados Unidos, essa ave de grande porte possui envergadura de asas que pode chegar a 2,4 metros. Seu peso varia entre 3 e 7 kg, sendo as fêmeas comumente maiores que os machos.

O bico e as garras são consideravelmente fortes. Assim como em outras aves de rapina, a visão dessa águia é extremamente apurada, cerca oito vezes mais eficiente que a visão humana. Isso permite que ela enxergue sua presa a longas distâncias.

No ar, a águia-de-cabeça-branca alcança velocidades de 70 km/hora. Quando mergulha, esse número passa para 100 km/hora sem muita dificuldade.

O tempo de vida dessa ave é de aproximadamente 20 anos na natureza. Já em cativeiro, a expectativa aumenta para cerca de 35 anos.

Alcaravão 

O alcaravão é uma ave de hábitos migratórios e que ocorre na Europa, no norte da África e no sudoeste da Ásia. Essa espécie possui hábitos noturnos e tem preferência por ambientes abertos e secos.

A plumagem do alcaravão é composta por tons de marrom, cinza e preto. Seu bico, suas patas e seus olhos são amarelados.

O tamanho dessa ave varia entre 38 e 46 centímetros, com envergadura das asas medindo de 75 a 88 centímetros. Já o peso está entre 290 a 535 gramas.

Abelharuco-africano-de-testa-branca 

O abelharuco-africano-de-testa-branca habita praticamente toda a região sub-equatorial da África. Trata-se de uma ave de pequeno porte que chega a medir 35 centímetros em fase adulta. Seu bico é longo, ligeiramente comprimido na lateral e levemente curvado. A cauda é bem marcada e um pouco quadrada.

Essa espécie é esbelta e bastante colorida, com tons de verde vibrante e manchas de outras cores distribuídas pelo pescoço, barriga e dorso.

A alimentação desse abelharuco é baseada em insetos, principalmente abelhas e vespas. A captura dos insetos em feita em pleno voo. Antes de deglutir o seu alimento, a ave esmaga a sua presa para retirar o ferrão.

Ariramba-de-cauda-ruiva 

A origem da ariramba-de-cauda-ruiva abrange do México até a Bolívia e Argentina. A espécie se faz presente em quase todo o território brasileiro, com destaque para as áreas de florestas e áridas. Já no sul do Brasil, essa ave aparece com mais raridade.

As arirambas-de-cauda-ruiva medem entre 20 e 25 centímetros e pesam de 15 a 28 gramas. Seu bico é longo, fino e preto, com cerca de cinco centímetros. A plumagem, por sua vez, possui coloração em tons de verde e amarelo.

O canto da ariramba-de-cauda-ruiva é uma de suas características mais marcantes. Ele lembra algo parecido com uma risada mais aguda, que começa devagar e acelera no final. O casal de arirambas se comunica respondendo ao chamado do parceiro imediata e consecutivamente.

As arirambas-de-cauda-ruiva nunca estão sozinhas. Elas vivem em pares durante todo o ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *