Home / Curiosidades / Piolho-de-cobra: De Onde Vem?

Piolho-de-cobra: De Onde Vem?

Os piolhos-de-cobra são diplópodes que apresentam dois pares de patas em cada segmento do seu corpo. Ainda não se sabe quando surgiram, mas alguns fósseis são datados de 430 milhões de anos atrás. Acredita-se que as primeiras espécies surgiram no período chamado de Siluriano, quando a Terra ainda era dividida em três grandes continentes.

Esses animais são capazes de viver em qualquer lugar, desde que seja úmido e com pouca luminosidade. Geralmente são encontrados em cavernas e costumam viver sob folhas, pedras e troncos, podendo aparecer até dentro de algumas residências. Os piolhos-de-cobra têm uma sazonalidade marcante; eles costumam aparecer, quase sempre, nos períodos quentes e mais chuvosos.

Piolho-de-cobra
Piolho-de-cobra

Características

O corpo do piolho-de-cobra é divido em inúmeros segmentos, sendo quase todos eles com dois pares de pernas. Na verdade, o que seria um anel corporal, de fato são dois anéis fundidos. Tal característica é exclusiva dos diplópodes.

Embora alguns piolhos-de-cobra possuam “apenas” 22 pernas, algumas espécies podem chegar a ter incríveis 750. Esses são os animais com maior quantidade de pernas.

O sistema respiratório dos animais dessa classe é traqueal. Eles possuem nas laterais um espiráculo por segmento e sua cavidade interna pode armazenar oxigênio.

Alimentação

Piolho-de-cobra Alimentação
Piolho-de-cobra Alimentação

São herbívoros. Eles costumam se alimentar de folhas, raízes e outras matérias vegetais que se encontrem em estado de decomposição. Essa característica “detritívora” é essencial para a reciclagem de nutrientes no solo.

Reprodução

Sua reprodução é sexuada e sua fecundação é interna. Os ovos minúsculos, depositados em grande quantidade em pequenas gretas, dão origem a larvas de cerca de 2 milímetros. Essas larvas têm 6 pés e vão adquirindo os outros nas metamorfoses que sofrem.

Curiosidades

Piolho-de-cobra Curiosidades
Piolho-de-cobra Curiosidades
  • Diferentemente dos quilópodes (centopeias e lacraias), os diplópodes não têm nenhum ferrão e não possuem glândulas de veneno.
  • Os piolhos-de-cobra têm apenas glândulas que produzem uma substância expelida por meio de pequenos furinhos. Tal substância evapora bem rápido, causa um cheiro bastante desagradável, que serve para espantar inimigos.
  • Quando se sente ameaçado, o piolho-de-cobra se enrola todo. Esse é outro mecanismo de defesa.
  • Assim como as minhocas, os piolhos-de-cobra também produzem húmus.

  • Os piolhos-de-cobra têm mais pernas que a centopeia.
  • Ao contrário das centopeias, os piolhos-de-cobra se locomovem lentamente.
  • Se por acaso alguma pessoa chegar a manusear um piolho-de-cobra, ele pode soltar uma tinta que vai permanecer na mão e nos dedos da pessoa por um ou dois dias.
  • Podemos encontrar espécies diferentes de piolho de cobra e em cada grupo uma variedade de tamanho e de coloração.
  • O piolho-de-cobra não tem nenhum grau de parentesco com a cobra.
  • Há cerca de 8000 espécies conhecidas de piolhos-de-cobra.
  • Esses animais também são conhecidos como “gongolas”.
Curiosidades Piolho de Cobra
Curiosidades Piolho de Cobra

Rastejantes e Luminosos

Os piolhos-de-cobra, muitas vezes, podem causar repulsa nas pessoas. Apesar disso, esses animais são importantes componentes da natureza, já que contribuem para o equilíbrio da cadeia alimentar comendo folhas em decomposição e servindo de alimento para outros bichos.

Recentemente, pesquisadores da Universidade do Arizona, nos Estados Unidos, decidiram estudar as espécies de piolhos-de-cobra pertencentes ao gênero Motyxia, que vivem somente nas florestas do estado da Califórnia. Durante a noite, esses animais são facilmente observados ao aparecerem como milhares de pontinhos brilhantes no chão da floresta.

A bioluminescência, capacidade de brilhar no escuro, é uma estratégia usada por eles para se defenderem de seus predadores, como lagartos, cobras e ratos. Os cientistas ainda estão tentando explicar como essa habilidade é desenvolvida pelo animal.

Piolho-de-cobra Enrolado
Piolho-de-cobra Enrolado

Nos estudos, os cientistas analisaram cinco espécies de Motyxia em busca de pistas sobre o que gerava a bioluminescência. Após várias observações, os pesquisadores descobriram que a luz emitida está relacionada a glândula de cianeto, presente em todos os indivíduos do gênero Motyxia.

Diferentemente dos famosos vaga-lumes, que possuem um órgão em sua cauda responsável pela emissão de luz, concluiu-se que os piolhos-de-cobra brilham devido a uma proteína secretada pela glândula de cianeto. O resultado é uma luz de cor azul bem forte, que afasta os predadores famintos.

Infelizmente, ainda não se conhece piolhos-de-cobra brasileiros com capacidade de brilhar no escuro.

Formas de Combate

Piolho-de-cobra De Onde Vem
Piolho-de-cobra De Onde Vem

Apesar deles não morderem e geralmente serem considerados como uma praga de baixo risco, uma súbita invasão de piolhos-de-cobra pode causar mau cheiro, manchas e outros infortúnios. Porém, essas invasões podem ser erradicadas em poucos dias com medidas básicas de controle.

  • Tampe todos os ralos de sua residência e feche todas as frestas e aberturas contidas nos muros em volta de sua casa.
  • Se sua casa tiver um gramado, mantenha-o sempre limpo e com a grama baixa.
  • Regue o seu gramado na parte da manhã. Diplópodes costumam ser mais ativos à noite. Por isso, o ideal é que o gramado tenha a oportunidade de secar antes que esses bichos iniciem suas atividades.
  • Pilhas de folhas mortas ou restos de vegetais semelhantes devem ser removidos completamente.
  • Procure manter a sua casa sempre arejada e livre da umidade. Abra as janelas e deixe a luz do sol entrar, pois os piolhos-de-cobra gostam de viver em locais úmidos.
Piolho de Cobra Corpo
Piolho de Cobra Corpo
  • Livrar-se de matéria orgânica em decomposição também pode eliminar fontes de alimento para essas pragas.
  • Todos os arbustos devem ser podados na primavera, para que o ar possa circular entre as plantas criando, assim, condições mais secas.
  • Desvie a água da chuva para longe da casa e verifique, periodicamente, se as calhas estão limpas e secas.
  • Recorra a pesticidas somente após tentar as medidas anteriormente citadas. Se você não tornar o seu quintal e o interior de sua casa o menos atrativo possível para esses animais, o controle químico não vai ajudar muito e só vai servir como solução temporária.
  • Se o problema estiver realmente fora de seu controle, chame um profissional de controle de pragas para resolvê-lo. Os profissionais têm acesso a produtos químicos mais potentes e mais eficazes.
  • Lembre-se de que muitos pesticidas podem representar um perigo para a saúde de crianças pequenas e animais de estimação.
  • Se você tiver espaço, energia, tempo e recursos, considere criar galinhas em sua propriedade. Essas aves são um método pouco convencional de se livrar de diplópodes, porém muito eficientes. Elas são predadores naturais e podem manter a população de diplópodes sob controle.

Fotos de Piolho-de-Cobra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *