Home / Curiosidades / Lenda do Pássaro Quero-quero

Lenda do Pássaro Quero-quero

Descrição física

O quero-quero é uma ave (vanellus chilensis) da família charadriidae, mede 37 cm e pesa 277 gramas. Possui um esporão pontudo, ósseo, com 1 cm de comprimento no encontro das asas, uma faixa preta desde o pescoço ao peito e ainda umas penas longas na região posterior da cabeça, tem um desenho chamativo de preto, branco e cinzento na plumagem. A íris e as pernas são avermelhadas. O esporão é exibido a rivais ou inimigos com um alçar de asa ou durante o voo.

Lenda do Pássaro Quero-quero
Lenda do Pássaro Quero-quero

Habitat e Distribuição

Vive em banhados e pastagens é visto em estradas, frequentemente longe d’água. Ocorre na América Central até a Terra do Fogo e em todo o Brasil.

Hábitos

Adota às vezes tática de pescar semelhante à de certas garças, espantando larvas de insetos e peixinhos ocultos na lama mexendo rapidamente o pé.

Dieta

Alimenta-se de larvas de insetos, peixinhos ocultos na lama, insetos, pequenos crustáceos, moluscos e outros artrópodes que encontra na terra.

Pássaro Quero-quero
Pássaro Quero-quero

Reprodução

Na primavera, a fêmea põe normalmente de 3 a 4 ovos. Os ninhos são construídos em uma cavidade esgravatada no solo, os ovos têm formato de pião ou pera, forma adequada para rolarem ao redor de seu próprio eixo e não lateralmente, sendo manchados, confundindo-se perfeitamente com o solo. Quando os adultos são costumam ser espantados do ninho e fingem-se de feridos a fim de desviar dali o inimigo. Os filhotes são nidífugos, ou seja, são capazes de abandonar o ninho quase que imediatamente após saírem do ovo.

Quero-quero Reprodução
Quero-quero Reprodução

Manifestações sonoras

Emitem um som dia e noite que se parecem com um “tero-tero”.

Curiosidades

É muito estimado pelos fazendeiros, pois é uma espécie de “vigia” das fazendas, funcionando como um guardião nos lugares onde habita, alertando para qualquer alteração na sua área e denunciando possíveis intrusos.

Lenda do pássaro quero-quero

Há uma típica lenda relacionada a esse pássaro e que explica o seu nome. É muito usada por educadores com alunos dos anos iniciais. A lenda é a seguinte:

Era uma vez um pássaro que vivia na floresta e não andava nada satisfeito com sua vida. Ele não sabia por que, mas todas as coisas que ele queria não davam certo. Ele era muito agitado e só sabia dizer “quero” para tudo e para todos. Sempre cantava muito alto e no seu canto somente se entendia a palavra “quero”. Quando entravam os outros pássaros, ele não sabia de que se tratava o assunto e ia logo gritando “quero”. Um dia ele achou que ninguém era amigo dele, e que todos queriam o seu mal. Ficou muito triste e saiu a andar pela floresta chorando muito. Mesmo chorando sozinho pela floresta gritava bem alto seu canto “quero”. Do alto de uma árvore estava o professor Coruja que, vendo aquele pássaro gritando tão alto e chorando muito, não se aguentou e desceu até o chão.

– O que acontece com você, pobre pássaro? Você quer ajuda? Perguntou o professor Coruja.

– Quero. Respondeu o pássaro chorão.

– Por que você grita tão alto? Você quer um amigo para conversar? Quer?

– Quero.

– Você quer parar de chorar e ficar alegre?

– Quero.

– Você quer sentar um pouco aqui perto da minha casa para conversarmos? Perguntava o professor Coruja, curioso pelas respostas do pássaro.

– Quero. Mais uma vez respondeu o pássaro.

O professor Coruja então parou e pensou: “Nossa, esse pássaro só sabe falar uma palavra e para tudo diz quero. Será que ele não sabe dizer outra coisa? Vou perguntar a ele o que realmente quer quem sabe com isso ele pare de cantar”.

– Pássaro, o que você quer?

– Quero. Respondeu o pássaro.

Então o professor Coruja novamente se surpreendeu com a resposta e disse ao pássaro:

– Meu bom pássaro, você não pode simplesmente querer as coisas. Para querer e obter algo na vida é preciso mais. Sempre precisamos ter duas vezes o querer. Você já pensou nisso?

Assim o pássaro que até então só gritava, olhou para o professor Coruja, parou de chorar e pela primeira vez se dispôs a escutar alguém.

– Quero entender isso, professor Coruja, disse o pássaro com brilho nos seus olhinhos.

– É muito simples – disse o professor Coruja. Para vivermos bem e felizes, precisamos querer duas vezes. Querer as coisas boas para nós, mas também querer as coisas boas para os outros que convivem conosco. Todos nós queremos respeito e, para sermos respeitados, precisamos respeitar os outros, ou seja, todos nós queremos ser amados, mas, para sermos amados, precisamos amar os nossos semelhantes. Com ar mais feliz o pássaro começou a entender o que acontecia e disse:

– Explique mais, professor Coruja.

– Veja, todos nós queremos proteção, não é verdade? Mas para termos proteção precisamos proteger. Nós fazemos isto quando cuidamos das coisas dos outros, então eles também cuidarão das nossas coisas. Se quisermos ter saúde, então precisamos também querer nos cuidar, querer nos alimentar bem e querer praticar esportes e querer dizer não.

– Como assim? – perguntou o pássaro, que nunca havia visto alguém falar em não querer.

– Sim, pássaro, às vezes é preciso não querer. Se você quer saúde, você não pode querer ser guloso, preguiçoso e, principalmente, você não pode querer drogas, como cigarro, a bebida e outras porcarias que só estragam a nossa saúde e a saúde dos outros.

– Ah! Agora entendi. O que realmente quero é ser feliz.

– E você deve querer ser feliz, falou o professor Coruja. Mas para querermos ser feliz é preciso também querer fazer os outros felizes. Quando fazemos os outros felizes, somos felizes também. E foi então que o pássaro alegremente disse:

– Quero-quero, quero-quero.

Despediu-se do professor Coruja com grande alegria e retornou para o campo onde morava. Até hoje esse pássaro chamado “quero-quero” vive alegremente nos campos chamando a atenção de todos com seu canto.

– Quero-quero, quero-quero…

Dizem que seu canto é para lembrar a todos que escutarem que é preciso querer duas vezes; querer o bem para si, mas também para os outros.

Fotos de Quero-quero 

E aí, gostou desse artigo sobre a lenda do pássaro quero-quero? Sugiro que você deixe sua opinião, sugestão ou exponha alguma dúvida logo abaixo, nós com certeza leremos todos os comentários e responderemos. Saiba também que aqui no blog todo o dia tem conteúdo atualizado sobre o mundo animal. Caso queira receber artigos exclusivos no seu e-mail como este post, é só se inscrever em um campo que fica à sua direita na tela. Posso lhe pedir uma última coisa? Compartilhe esse conteúdo com os seus amigos! Combinado?

Aproveite! Até breve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *