Home / Curiosidades / As Diferenças Entre Sapos e Rãs

As Diferenças Entre Sapos e Rãs

Você provavelmente já se perguntou qual a diferença entre o sapo e a rã, correto? Em uma rápida pesquisa na internet você facilmente encontra a informação que são animais totalmente diferentes e que é fácil identificar qual é qual por uma série de diferenças físicas.

Essa informação não está totalmente errada, mas a verdade é que a resposta é um pouco mais complexa que isso. Como sabemos, todas as espécies de animais estão divididas de acordo com determinadas características, através da taxonomia.

Sapos, Pererecas e Rãs
Sapos, Pererecas e Rãs

Sendo assim, tanto os sapos quanto as rãs são membros da mesma classe, ou seja, ambos são anfíbios, o que significa, entre outras coisas, que são animais que passam o primeiro estágio na água e o restante de vida na terra.

Além disso, também pertencem à mesma ordem Anura, o que significa que compartilham inúmeras características semelhantes, além da ausência da cauda. Existem centenas de espécies dentro dessa ordem, sendo que algumas possuem características diferentes, o que gerou essa diferenciação popular entre sapos e rãs.

De modo geral, essa distinção se refere à família ranidae, considerada a família das verdadeiras rãs e a família bufinidae, considerada a família dos verdadeiros sapos, mas existem várias espécies espalhadas em outras famílias que são denominadas sapos ou rãs, mas apresentam características diferenciadas da explicação usual da diferença desses animais.

Um exemplo é o sapo-barriga-de-fogo (Bombina bombina) que, apesar de ser chamado de sapo, possui hábitos aquáticos e apresenta, inclusive, membrana entre os dedos da pata traseira, características direcionadas para o que chamamos de rãs.

Com isso, queremos explicar que existem diferenças significativas entre a família Bufinidae e Ranidae, as quais iremos mencionar, mas que essas características não são válidas para todos os animais denominados sapos e rãs, principalmente porque não existe base taxonômica dessa divisão.

Principais Diferenças Entre Sapos, Rãs e Pererecas
Principais Diferenças Entre Sapos, Rãs e Pererecas

Diferença de Habitat

Ambos vivem próximo de áreas com a presença de água, como lagos, rios ou córregos, uma vez que dependem da água para depositar seus ovos.

A diferença é que enquanto as rãs passam o maior tempo em meio aquoso, sendo inclusive mais rápidas dentro d’água, o sapo fica em meio terrestre, indo para o meio aquoso somente no período de reprodução, ou seja, para depositar seus ovos.

Habitat dos Sapos e Rãs
Habitat dos Sapos e Rãs

Diferenças Físicas

As rãs possuem um porte mais atlético, com um corpo magro e longas pernas, sendo que as traseiras podem ultrapassar o tamanho do corpo. Essa característica é fundamental para os longos saltos que esse animal costuma apresentar, chegando a uma distância de 1,5 metros e uma altura de 70 centímetros.

Os sapos, mais desengonçados, possui patas curtas e um corpo achatado e gorducho. São mais lentos e seus saltos se limitam a pequenas distâncias próximo do chão, sendo que podem se arrastar em algumas situações.

Como é característico de animais que vivem em meio aquoso, as rãs apresentam membranas entre os dedos nas patas traseiras, sendo que algumas podem apresentar essa característica também nas patas da frente. Por sua vez, nos sapos todos os dedos são perfeitamente separados, afinal é um animal de meio terrestre.

Sapo Físico
Sapo Físico

A pele da rã é úmida e lisa, garantindo, em alguns casos, um aspecto brilhante. Já os sapos apresentam uma pele seca, áspera e com saliências semelhantes a verrugas. Além disso, atrás dos olhos apresentam glândulas parótidas, que soltam um líquido tóxico, que varia a gravidade de acordo com cada espécie.

A rã verdadeira, ou seja, da família ranidae, não apresenta tal característica, servindo inclusive como fonte de alimentação para o homem, já que a carne de algumas espécies são uma iguaria apreciada. Vale mencionar que algumas espécies denominadas rãs de outras famílias podem apresentar veneno.

Por fim, uma característica de todos os membros da família bufinidae, ou seja, dos sapos, é a ausência de dentes, enquanto praticamente todos os outros anuros os possui.

Rã Animal
Rã Animal

Diferença Reprodutiva

Apesar de ambos depositarem seus ovos em meio aquoso, a rã coloca os ovos em forma de cachos ou aglomerados, com uma espécie gelatinosa ao redor. Os sapos, por sua vez, depositam seus ovos em forma de fileira ou linha reta, geralmente em folhas de plantas aquáticas.

Evidentemente apresentam algumas outras diferenças morfológicas, mas essa é a diferenciação perceptível entre sapos e rãs, ou seja, entre a família Ranidae e a família Bufonidae.

Reprodução dos Anfíbios
Reprodução dos Anfíbios

Novamente frisamos que essa diferenciação é popular e que de maneira científica a divisão desses animais não ocorre dessa forma. E se por ventura restou alguma dúvida, é só deixar nos comentários que teremos o prazer em esclarecer. Também estamos abertos para críticas, elogios e sugestões.

Fotos de Sapos

Fotos de Rãs 

Mais Algumas Diferenças entre Rãs e Sapos

Sapos e rãs possuem características gerais muito semelhantes e, por isso, são facilmente  confundidos. Esses animais são anfíbios e pertencem a ordem Anura. De pele úmida, não apresentam cauda e sofrem metamorfose ao passarem para a fase adulta.

Os sapos e as rãs são geralmente vistos em locais úmidos, como brejos lagoas e pântanos. Ambos são dotados de uma pele úmida, permeável e rica em glândulas mucosas. Os pulmões desses animais são simples e insuficientes para as suas necessidades respiratórias. Dessa forma, a respiração cutânea, através da pele, é também fundamental.

Esses anfíbios são seres essenciais para a cadeia alimentar, pois controlam a quantidade de insetos em uma determinada região.

Diferença Entre Sapo e Rã
Diferença Entre Sapo e Rã

As Rãs

O primeiro aspecto que precisa ser esclarecido é que as rãs não são as fêmeas dos sapos. Existe sim sapo macho e sapo fêmea, rã macho e rã fêmea. As diferenças entre esses dois animais são simples e estão presentes na morfologia e no habitat.

As rãs possuem hábito aquático, vivendo nas proximidades de lagos e outros lugares úmidos. São capazes de locomoverem-se bem fora d’água, mas são muito mais hábeis durante a natação. De pele lisa, esse anfíbio possui membranas entre os dedos dos membros posteriores, que se assemelham a um pé de pato e que são auxiliam a locomoção em ambientes aquáticos. As perninhas traseiras são bem mais longas do que as dos sapos.

As rãs brasileiras são representadas pela família Leptodactylidae. Essas espécies têm a pele lisa e brilhante, dedos longos e finos e pernas também longas, chegando a medir mais da metade do tamanho do animal, o que possibilita ao animal dar longos saltos.

Rã de Olho Vermelho
Rã de Olho Vermelho

As rãs são as mais habilidosas entre os anuros. Elas são capazes de executar saltos de até 1,5 metros de comprimento e 70 centímetros de altura.

O período de reprodução das rãs começa no fim do inverno, logo após a hibernação. A fecundação ocorre de forma externa; os espermatozoides e os óvulos se unem fora do corpo, na água.

A fêmea chega a botar de 2.000 a 3.000 ovos, que dão origem aos girinos que se desenvolvem, futuramente, para a forma adulta.

As rãs são os únicos anuros passíveis de ser ingeridos por humanos. Sua carne é muito valorizada na alta gastronomia.

Rã Venenosa

Curiosidade

A rã-coqui macho possui um método interessante para atrair suas fêmeas: o canto. Seu coaxar parece emitir o som “coqui”. Às vezes, essa rã emite apenas a sílaba “co”, principalmente ao entardecer.

Tal variação no canto tem uma explicação. Cada sílaba do canto “coqui” possui um significado diferente: a primeira é para manter os outros machos longe do território do cantador, e a segunda é para acasalar.

O som “co” na linguagem da rã quer dizer “não entre”, e é usado para estabelecer o espaço do macho. Quando ele se certifica de que “a noite de amor” não será interrompida, é acrescentado ao canto a sílaba “qui”, que convida as fêmeas para acasalarem.

O sistema de audição dos machos e das fêmeas sintoniza-se com uma das duas notas. Há, no cérebro desse animais, células receptoras que reagem ao sinal correspondente ao sexo do ouvinte. Cientistas acreditam que essas rãs nunca confundem o “co’ com o “qui”.

Os Sapos

Diferente das rãs, os sapos apresentam uma pele mais seca e rugosa, com a presença de muitos grânulos. Eles dependem menos do ambiente aquático, sendo facilmente encontrados em áreas relativamente mais secas. Porém, em períodos de reprodução, os sapos procuram os ambientes aquáticos.

As patas posteriores mais curtas são outra característica que pode ser usada para diferenciar os sapos das rãs, o que impossibilita grandes saltos. Os pulos dos sapos são geralmente pequenos e desajeitados.

Além disso, os sapos apresentam, atrás da cabeça, glândulas paratoides, que são responsáveis por produzir o veneno desse anfíbio. Localizadas em um local estratégico para sua defesa contra ataque de um predador, essas glândulas têm poros por onde saem um líquido branco, leitoso e com propriedades cáusticas, capazes de causar queimaduras e irritação.

Os sapos, em geral, pertencem à família Bufonidae. O sapo brasileiro mais comum é o sapo-cururu (Bufo marinus).

Sapo-Cururu
Sapo-Cururu

Evitando problemas

Em regiões mais próximas às zonas rurais e mais distantes dos centros urbanos, não é difícil que sapos e rãs adentrem as residências e causem alguns transtornos. Por isso, separamos algumas medidas preventivas para evitar problemas com esses animais em casa.

  • Apague as luzes para diminuir o barulho das rãs. Elas costumam fazer bastante ruído à noite, especialmente em época de procriação. As rãs comem insetos, e as luzes das lâmpadas podem atrai-los para perto da sua casa, fazendo com que esses anfíbios também se reúnam em seu quintal.
  • Você pode também pode utilizar cortinas à noite para evitar que a luz de dentro de casa atraia insetos.
  • Mantenha os cães longe de rãs e sapos. Algumas espécies desses animais podem ser tóxicas para os cachorros. Se um cão pegar um sapo pela boca, substâncias venenosas serão liberadas pelo anfíbio e causarão reações no cachorro.
Curiosidades dos Sapos
Curiosidades dos Sapos
  • Os sintomas causados pelas toxinas de um sapo incluem baba excessiva, irritação na boca e/ou nos olhos, convulsões, dificuldade para respirar e movimentação instável.
  • Se o seu cachorro apresentar esses sintomas, leve-o ao veterinário imediatamente.
  • Se por um acaso você chegar a manusear uma rã ou um sapo, lave bem as mãos. Esses animais podem ser vetores de doenças.
  • Não pegue sapos e rãs selvagens para criar. Os anfíbios da natureza não foram criados em cativeiro e não reagirão bem ao serem capturados. Se quiser adquirir um sapo ou rã de estimação, compre uma loja petshop.

Apesar muitas pessoas terem nojo desses animais, eles não apresentam perigo algum e são de grande importância para manutenção do equilíbrio ecológico. A rã e o sapo participam ativamente de algumas cadeias alimentares e podem, inclusive, servir como bioindicadores tanto de locais com acentuada poluição, quanto de locais que ainda apresentam mata virgem.

Se você gostou deste, deixe seu comentário e curta a página do Portal dos Animais no Facebook!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *